segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Os números do Benazzi

Sem contar as partidas do ano passado, pois era outro elenco, outra competição e outro clima, neste ano, em jogos oficiais, a campanha do Benazzi é de 9 jogos, com 3 vitórias, 2 empates e 4 derrotas, 11 gols marcados e 15 sofridos. É, eu estou contando as 3 primeiras partidas em que ele não estava dirigindo a partida. Não me interessa, ele é o comandante do time profissional do Avaí e sobre ele recai todos os resultados do time.

Se contar apenas as partidas com o time titular, são 7 partidas, 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, com 10 gols marcados e 10 sofridos. Para os otimistas, ele está invicto há 5 jogos, sendo 2 empates e 3 vitórias.

O problema não estão nos números, que nem são tão bons assim, já que não se classificou para as semi-finais de um campeonato fraco (mas que inegavelmente melhoraram nas últimas rodadas), mas pelo futebol (ou pela falta dele) apresentado em todo este tempo.

Em 2008, eu achava que o Sérgio Ramirez não era técnico para o Avaí, mas admito que ele conseguiu fazer o Avaí jogar e bem, aplicando várias goleadas. Não fosse aquela fatídica derrota para a Chapecoense e a perda do primeiro turno, além do empate com o Cidade Azul, ele teria permanecido no comando e o Silas talvez nem aparecesse por aqui. Não deu naquele ano, já que não passamos de um empate naquele último jogo do returno contra o Criciúma. Ficamos tristes, mas a torcida simpatizava com o Silas e acreditava que time podia fazer bonito na série B. Não deu outra, foi o ano do acesso.

No ano seguinte o caneco não escapou. Mas vocês sabem qual foi a campanha do primeiro turno de 2009? 3 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. Ficamos em sexto. Ninguém se atrevia em mandar embora o técnico que levou o time para a série A. Ele ficou e ganhamos o returno com 7 vitórias, 1 empate e apenas uma derrota (1x5 Chapecoense). Daí pra frente, a gente sobrou no campeonato, escolhendo o adversário para a final (já que perdemos da Chapecoense em casa) e aplicando uma sonora goleada (6x1) no time do oeste na final.

No ano passado, sobramos no campeonato e apesar de perder o primeiro turno no último segundo para o JEC e apesar das desconfianças da torcida em relação ao Chamusca, dava para se ver que o time era bem melhor que os outros. Podem até falar que com aquele time qualquer um seria campeão, mas foi o Chamusca que comandou o time e ele merece o crédito.

Neste ano, o elenco parece ser até melhor que o dos anos anteriores, mas os resultados e o futebol apresentado não estão agradando ninguém. Eu que não queria a renovação do Benazzi mas entendia que não era hora para trocá-lo, já vejo que não podemos esperar por um resultado negativo para mandá-lo embora. Espero que a diretoria faça alguma coisa. Se não fizer, vou ser obrigado a torcer para que o Benazzi faça o que não conseguiu até agora: fazer o time jogar futebol.

Tricampeonato? Eu ainda acredito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados