quinta-feira, 29 de março de 2012

Balanço da Rodada


A noite fria não impediu jogos quentes e muitos gols, além da confirmação do que já estava previsto desde o fim do turno, que era o rebaixamento da dupla composta de marrecos e marinheiros.

Índio finalmente escalpela alguém - fazia tempo que eu previa que algum visitante ia sofrer um escalpe no oeste, mas os índios estavam sendo bons anfitriões. Ontem, porém, depenaram e colocaram os bailarinos de quatro. E olha que ainda perderam dois pênaltis. O time do norte descontou no final. O time oeste viaja até Blumenau precisando trazer pelo menos um pontinho para não ficar longe da ponta. Já o time do norte recebe o amarelo do sul, agora líder, precisando de uma vitória para não virar novamente um cavalo paraguaio.

Quase na série D – o time do craque RC já estava comemorando mais uma vitória até que Chipote estragou a festa da torcida blumenauense, empatando aos 40 do segundo tempo. A vaga para a série D ainda não está matematicamente assegurada e é bom o time verde do vale abrir o olho, pois o time do seu Marchetti não está morto, ainda mais que na próxima rodada vai jogar com o caçula dentro de casa. O jacaré vai receber os índios.

Adeus primeirona – até a estátua da liberdade fake sabia que o time dos marrecos não conseguiria ficar na “elite” do futebol catarinense. A gente só não sabia quando que o caixão ia ser fechado. E foi ontem. E olha que o super-ataque brusquense, que já havia feito 8 gols em 14 jogos, marcou primeiro no jogo. Mas depois, a defesa entregou e o time de Camboriú virou o jogo, selando a vitória e o destino dos marrecos, que agora vão fazer um jogo melancólico contra os marinheiros afogados, decidindo a lanterna do campeonato. O tricolor da baixada viaja até Ibirama, de sangue doce, sem mais nada o que fazer no campeonato.

Parafuso de segunda não enrosca - com a intenção de poupar as barbies para o clássico, o barbie-chefe deixou metade delas na capital. Os amarelos do sul jogaram com sangue nos olhos e fizeram um gol em cada tempo. No segundo gol, aliás, achei que teve falha do super-arqueiro brocolense, mas mídia alugada nem vai falar nisso. O time do sul viaja para o norte, para tentar trazer um pontinho da terra do balé.

Três vira, seis ganha – se fosse um certo time da região continental da capital, uma vitória por seis gols seria motivo para muitos comentários positivos. Como foi de um time do sul da ilha, o destaque foi por conta da má qualidade do adversário. O Leão jogou em ritmo de treino, mas preocupado em decidir o jogo logo no primeiro tempo, quando Felipe Alves encaçapou três pelotas. O time sossegou no segundo tempo, levou um gol bobo, voltou a jogar com vontade e meteu mais três. Continua vivo no campeonato, mas agora vai ter que enfrentar o rival no remendão, lugar, aliás, onde não perde desde 2007. Já o marinheiro afogado recebeu a passagem de volta para a segundinha e agora recebe o companheiro de fundo de poço, num jogo para casa cheia (de espaço na arquibanca).

Foi bom, mas foi ruim

Vencer é sempre bom, principalmente de goleada. Não importa se o adversário era fraco. Isto não é problema do Avaí. Jogou os primeiros 45 minutos com vontade, indo pra cima. Teve várias chances e o estreante Felipe Alves mostrou que pode ter vaga no time, marcando três gols.

No segundo tempo, o time mostrou-se muito preguiçoso, irritando demais a torcida. Fez mais três, em lances isolados, de falhas do adversário.

Cléber Santana é realmente um jogador diferente do resto do time avaiano. Fiquei até imaginando o que devia estar passando na cabeça dele, jogando uma partida para pouco menos que 2.000 pessoas, numa noite gelada, contra um adversário horroroso, com os companheiros de equipe que tem. Deve ter pensando: P... m.... Se eu tivesse aproveitado mais as chances no São Paulo eu não tava aqui, tendo que armar jogada pro Nunes e tendo que tabelar com o Robinho. De certo ele via o Arlan fazendo aqueles cruzamentos horríveis e desejeva ir pra casa mais cedo. Mas ficou o jogo inteiro, se movimentou bastante.

Nunes está perdido no ataque, mas vou moderar a crítica porque esperar cruzamento do Arlan e do Aélson é dureza. Ele até perdeu gols, é verdade, mas a maioria das bolas passava longe dele. E não tenha essa de dizer que está mal posicionado na área, pois quem cruza é que tem que procurar o atacante.

Robinho tem que pedir para ir embora do Avaí, pois grande parte da torcida não torce por ele. Parece que os caras ficam contentes quando ele erra um passe, para ter a chance de xingá-lo. Não o acho um craque, mas é melhor que vários outros sem talento do plantel.

Saldanha fez o cruzamento para o primeiro gol, mas é um peladeiro de marca maior. Pode até se destacar em um jogo ou outro por alguma jogada que faça, mas é muito improdutivo.

A defesa jogou com seriedade e Leandro Silva mostrou que realmente é um bom zagueiro. Bruno não comprometeu, mas já fez partidas melhores. Renato Santos fez o básico.

Arlan precisa treinar muito os cruzamentos e Aélson precisa cruzar, o que pouco fez no jogo. Mostrou vontade, é verdade, mas foi pouco.

Diego Palhinha entrou e nos primeiros minutos nem apareceu em campo, de tão lento que estava. Mostrou um pouco de futebol nos minutos finais, quando marcou dois gols. Apesar dos gols, esperava mais dele na criação das jogadas.

Laércio entrou e já estava sendo xingado pelos craques chatolinos do setor A quando marcou um gol. Realmente ele só pode ser opção para banco.

Marrone entrou e quase nem teve tempo para tocar na bola.

E Diego. Como pode levar um gol daquele, meu filho? No primeiro tempo o jogador do time de Itajaí tinha cobrado a falta do mesmo jeito, só que de mais perto. Diego, também estava adiantado e voltou para colocar a bola para escanteio. Não aprendeu e tomou na cabeça. Tem que melhorar, porque no domingo o buraco é mais embaixo.

Aliás, falando em domingo, quando haverá o clássico, as minhas esperanças são pequenas. É possível vencer, dentro do remendão? Sim, é possível, mas não é provável. Ficarei satisfeito com um empate, que ainda manterá o Avaí no páreo.

Para terminar, apesar da atuação não tão boa do time, é duro aguentar as críticas dos boca alugada dos microfones. Quando este mesmo time de Itajaí levou 5 na estréia do campeonato, não escutei os admiradores da boca mole alugada da mídia fazerem qualquer ressalva sobre a qualidade da equipe adversária. Aliás, ao contrário, até disseram que o time grená não ruim, mas era o time do parafusito que era bom. Agora como é com o Avaí, a vitória é enganadora, tinha mais era obrigação de vencer e de goleada, etc. etc. Coisas da mídia alugada.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Tudo ruim, mas eu vou!

Campanha ruim, futebol ruim, jogadores ruim, time ruim, adversário ruim, horário ruim, tempo ruim e torcida ruim.

O que não falta é motivo para ficar em casa, num ambiente quente e gostoso, com quem a gente ama, assistindo ao jogo embaixo do cobertor.

Mas nada melhor do que assistir ao vivo, dentro do estádio, torcendo pelo time que a gente gosta.

Pode até ter os corneteiros que reclamam do time antes da bola rolar, pois eu vou torcer por quem for escalado.

Pode até ter os chatos de galocha que reclamam até se a cor do calção do time não combina com as meias e a camisa, porque o uniforme do meu time sempre é o mais bonito.

Pode até ter os incompetentes dos microfones, inflamando a torcida, porque eu não vou escutá-los.

Pode até ter o soprador de apito da bolinha gelada marcando tudo errado, porque eu vou reclamar e acreditar que a gente passa por cima disso também.

Eu vou para a Ressacada para torcer pelo Avaí.

Eu vou lá para me divertir, não para brigar ou me aborrecer.

Eu vou lá para ver o Avaí vencer.

Previsão do tempo para quarta

Uma frente fria vai congelar os pontos de muitos times nesta rodada em que todos os jogos acontecem na quarta-feira.

Frio no Oeste - o verde do oeste pode superar o tricolor do balé na classificação geral, pois no returno está um pouco distante. Já os argelinos tentam manter a boa fase e a ponta da tabela. Só que a temperatura vai baixar na terra dos índios que, encarangados, ficarão na igualdade com a turma da sapatilha que vem do norte do estado, vestindo colant para o frio.

Clima ameno em Blumenau - na decisão pela vaga na série D, o time do craque RC e dos rapazes do seu Marchetti vão disputar uma mini-decisão. Se o time de verde vencer ou empatar, praticamente liquida a fatura a seu favor. Se o time da terra da fartura conseguir devolver a derrota que sofreu no turno, continua sonhando com uma vaga na quarta divisão do brasileiro.

Neblina em Brusque - vai ser difícil enxergar futebol com os times do marreco e do cachorro da baixada em campo. Eles também vão fazer uma mini-decisão, só que para ver quem escapa da degola. O time da casa precisa desesperadamente da vitória, pois um empate praticamente o coloca na segundona. Já o caçula do campeonato ficará contente com o empate, mas se vencer, fechará o caixão do marreco, que assim estará matematicamente rebaixado. Como dizia Walter Abrahão, o placar vai ficar oxo.

Clima quente em Criciúma - o time dos amarelos está subindo na tabela e pode alcançar a liderança em caso de vitória. Já o time do parafusito vai querer apenas manter a invencilibilidade, pois dificilmente vai perder a ponta da tabela geral até o final do returno. Outro jogo para placar igual.

Vento frio na Ilha - o Leão, agora comandado pelos emersons, vai tentar descontar no marinheiro afogado o prejuízo que teve no sábado. Novamente não há outro resultado, senão a vitória para os rapazes do Arini. O time do Popeye ainda sonha com a Olívia Palito, mas uma derrota combinada com uma vitória do caçula em Brusque, pode mandar o marinheiro para os braços do Brutus. O Leão gosta de quebrar a minha bola de cristal, mas dessa vez não tem erro: é vitória azul e branca.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Público zero = Torcida Nota Zero

Os torcedores estão, com toda razão, tristes com a situação do Avaí, de saco cheio com as opções do técnico e com a atuação dos jogadores, furiosos com a diretoria e muitas outras coisas.

A torcida não é culpada pelas besteiras da diretoria ou pelos erros dos técnicos e dos jogadores.

Mas a torcida também vem errando. E muito.

Os torcedores não podem ser tratados apenas como vítimas e coitadinhos, que foram afugentados da Ressacada por causa dos preços, do trânsito, da diretoria, dos resultados, da chuva, do sol, da praia, do aniversário da sobrinha do cunhado da vizinha da irmã, do jogo do Oeste x Portuguesa que passou na TV, etc.

Ninguém é mais avaiano por ser sócio ou não, por ir ao estádio ou ficar em casa.

Mas como reclamar do time e da diretoria se não faço minha parte? Se não posso ser do CD ou trabalhar no Avaí, será que a minha única possibilidade de ajuda é ficar reclamando nas rodinhas dos amigos ou nos blogs, seja nos comentários ou nas postagens?

Todos tem direito de reclamar, sócios ou não, presentes ou ausentes. Mas será que não seria melhor ajudar o clube, indo aos jogos e apoiando o time?

Sim, apoiando o time, porque para ficar vaiando é melhor ir para a torcida adversária ou ficar em casa. Não adianta ir para vaiar, porque não vai estar ajudando.

Se o time é de R$ 1,99, nossa torcida hoje, pelo apoio que vem mostrando ao time, não vale mais do que R$ 3,00. E acho até que a estou supervalorizando.

A torcida não pode confundir o clube com a diretoria. Se a diretoria está levando o clube para o buraco, a torcida está de braço cruzado, assistindo a tudo isso. E fugir do estádio não é a melhor maneira para mudar as coisas.

Agora vem esta idéia de público zero. Todos dizem que tem direito de dar a sua opinião. Eu também tenho. Se a torcida fizer isso, aí mesmo é que o valor dela vai reduzir:

vai virar TORCIDA NOTA ZERO

Balanço da Rodada

Passamos da metade do returno e algumas coisas vão se encaminhando, principalmente na parte inferior da tabela.

- Marreco assado na cerveja - o time do Joceli não tem jeito mesmo, vai disputar a segundona, pois só um milagre pode mudar a situação. O time de Brusque até chegou a empatar a partida, mas depois os rapazes do seu Marchetti fizeram dois e fecharam o caixão do time dos marrecos. O time da terra da fartura vai até Blumenau para tentar adiar a definição para a série D, enquanto o time de Brusque recebe seu concorrente de rebaixamento, na esperança de diminuir a distância de 8 pontos que o separam.

- Marujo arranhado - não foi fácil, mas os amarelos do sul venceram mais uma e deixaram o time do porto de Itajaí segurando a lanterna do returno e cada vez mais fundo no poço negro do rebaixamento. Os dois times agora encaram as equipes da capital. Enquanto o time do Popeye vai até a Ressacada na esperança de aproveitar a fase negra do cambaleante Leão (agora sem Ovelha), o time do sul recebe o time do parafusito de olho na ponta da tabela.

- Fator palco prevaleceu - o time do norte jogou melhor e mereceu vencer o time de Blumenau, que vem caindo de produção. RC passou em branco de novo. O time dos bailarinos viajam até o Oeste, na esperança de beliscar um ponto e se manter próximo da ponta, e os verdes de Blumenau recebem o time da terra da fartura, podendo praticamente concretizar a vaga para a série D.

- Apito amigo no remendão (de novo) - o time do parafusito jogou melhor, mas novamente foi beneficiado pelo apito amigo com um penalti pra lá de duvidoso, daqueles que o árbitro tem que ter uma baita boa vontade para marcar. Antes, o atacante barbie sofreu uma grave contusão num lance que, pela vídeo do site Futebolsc.com não me pareceu assim tão violento. Acho que foi é azar na queda. Espero que o rapaz se recupere logo. Posso até não torcer contra o time, mas nunca vou querer mal aos jogadores. Agora as barbeies vão até o sul, defender a liderança e os índios recebem os bailarinos, tentando se manter na luta pelo campeonato.

- Leão guiado por ovelha é mordido por cachorro - o time azul jogava bem até levar o gol. Depois, foi um amontoado, sem esquema e sem comando. O tricolor da baixada se aproveitou da fase negra do time avaiano e somou mais três pontinhos, que praticamente lhe asseguram a permanência para o próximo ano.

A coisa ficou complicada agora para o Leão. Se até vencer o Marcílio já não parece mais assim tão simples, quanto mais encarar o time do parafusito no remendão e os bailarinos na Ressacada. Mas como tudo muda no futebol, ainda tem muito ponto para disputar, para nossa esperança e desespero, ao mesmo tempo.

domingo, 25 de março de 2012

Mauro Ovelha não é mais técnico do Avaí

Do site do Avaí:

O treinador foi informado pessoalmente de seu desligamento do clube há poucos minutos. A decisão foi tomada pela diretoria do clube, que se reuniu em caráter extraordinário na noite de hoje, no Centro de Florianópolis.

O treinador foi contratado pelo Avaí em novembro de 2011 e comandou o Leão em 14 partidas pelo Campeonato Catarinense, obtendo sete vitórias, um empate e seis derrotas, com aproveitamento de 52%.

A reunião da diretoria que decidiu pelo desligamento de Mauro Ovelha durou mais de quatro horas e foi comandada pelo presidente João Nilson Zunino. Uma comissão técnica provisória assume o comando do time nesta segunda-feira. O gerente de futebol Carlos Arini permanece no clube.

Os jogadores se reapresentam na tarde desta segunda-feira e começam os preparativos para o jogo da próxima quarta-feira, contra o Marcílio Dias, pela sexta rodada do returno. Na classificação geral, o Avaí soma 22 pontos e está a três do segundo colocado.

Do blog

Não dava mesmo mais para o Ovelha ficar. Para o catarinense não vai adiantar muito, mas quem sabe para a série B serve. Porém:

- Tem que contratar um técnico que saiba disputar este tipo de campeonato.
- Que não seja o Benazzi nem o Márcio Goiano
- Que contratem jogadores de qualidade, pois com este grupo, só o Mandrake como técnico para o Avaí conseguir alguma coisa boa
- Não precisa fazer uma barca, porque o grupo também não é tão ruim assim e na hora da pressão se manda muita gente boa embora que não teve tanta chance. Mas que alguns precisam ser dispensados, não há dúvida.

Publico zero não

Nem vou me alongar num debate acerca deste assunto pois é uma discussão movida mais pela emoção do que pela razão, o que significa que seria uma contenda sem fim.

Só quero avisar aos que pregam o público zero que eles podem até conseguir reduzir o já pequeno número de torcerdores que pretendem assistir ao jogo contra o Marcílio Dias, o que convenhamos, não é uma tarefa tão difícil. Mas não vão conseguir deixar o estádio vazio, por um simples motivo:

EU VOU AO JOGO CONTRA O MARCÍLIO DIAS.

E VOU TORCER PARA O AVAÍ VENCER.

sábado, 24 de março de 2012

Quem for no jogo contra o Marcílio devia ganhar um descontão no ingresso do show do Paul

Acho que para conseguir trazer a torcida para o jogo contra o Marcílio, só fazendo a seguinte promoção:

- Torcedor que for no jogo contra o Marcílio vai ganhar um desconto de 50 % na compra do ingresso para o Show do Paul McCartney.

Só assim para alguém ir assistir até a Ressacada assistir a este partidaço.

É o fundo do poço ou pode ficar pior?

Eu nem sei o que escrever depois de uma derrota dessa. Culpar o Ovelha? Por um lado não, pois colocou em campo o time que a maioria queira. Por outro lado, com certeza, pois parece que o time não treina, é um amontado em campo. Culpar os jogadores? Por um lado, sim, pois o técnico não erra passes, perde gols ou falha na defesa. Por outro lado, eles parecem perdidos e sem comando.

O primeiro tempo até que não foi de todo ruim, pois o Leão pressionou e buscou o gol. No final do primeiro tempo, na base da empolgação, o time do Suca foi pra cima e num escanteio, marcou o gol do time da casa.

Para o segundo tempo, Ovelha mudou de cara, colocando Saldanha no lugar de Cássio. Era uma tentativa, tirando um dos zagueiros. Pra mim, jogou pra torcida e para os corneiteiros que ficam dizendo que o Avaí não precisa de tantos zagueiros. Eu não teria feito nenhuma substituição, mesmo perdendo, pois o time tinha sido melhor que o adversário. Não fez e levou, é verdade, mas se mantivesse o padrão, poderia chegar ao empate.

As mudanças não resolveram. Saldanha não fez nada, Neilson e Laércio, muito menos. Era muito ataque e pouco meio. Robinho ficou quase como um segundo volante ao lado do Bruno. O time estava perdido em campo.

Muito chuveiro na área. Quantos gols o Avaí fez de cruzamento na área neste campeonato? Pouquíssimos. Então não era a jogada certa, mesmo com o Nunes lá na área. E de escanteio? Acho que nenhum. Tiveram uns 10 e não ganharam nenhuma de cabeça. Podia estar jogando até agora que de escanteio é que não iam fazer gol.

A coisa ficou complicada. Neste ritmo, o time vai é ganhar umas duas semanas a mais para se preparar para a série B. Será que é este o plano?

E o Ovelha? Sua lã já foi toda tosquiada. Eu sei que o time pode não ficar melhor sem você, pois os jogadores são ruins mesmo, mas com você é não vamos subir. Pede o chapéu.

Soltando as amarras

Pode não ser o time dos sonhos, mas dentro do plantel que tem o Avaí, deve ser a formação preferida por quase a maioria dos torcedores. Serão 3 zagueiros (Renato, Leandro e Cássio) e apenas um volante (Bruno). Tudo bem que Cléber Santana também é volante, mas acho que vai estar mais ajudando Robinho na criação (que dureza) do que propriamente marcando. Na frente, Cléverson e Nunes e nas laterais, apoiando, Pirão e Arlan.

Acho que pode ser uma boa formação.

Não se pode acusar o Ovelha de não mexer no time. Se vai dar certo é outra coisa.

De qualquer maneira, este time não parece suficiente para encarar uma série B. Há muito que melhorar.

Mas por enquanto ainda estamos no catarinense e a ordem de hoje é uma só: vencer.

Espero que não seja o sofrimento como foi contra o Brusque, nem mesmo como foi contra o próprio Camboriú, no turno.

Vai pra cim deles, Leão!

Previsões para o fim de semana

O tempo está esfriando e o campeonato esquentando, apesar que para alguns pode ficar gelado neste fim de semana.

Sol e chuva em Ibirama - se o seu Marchetti ainda sonha com alguma coisa neste campeonato é bom que os seus rapazes façam jus ao dindim que ganham e assem o marreco. Já o lanterna do campeonato (no geral) precisa buscar pontos para ainda sonhar com algo diferente da panela negra. Vai ser uma tarde de sofrimento para a torcida da terra da fartura que vai ver seu time perder mais dois pontos preciosos e praticamente dar adeus a série D.

Pancadas de chuva em Itajaí - o marinheiro afogado ainda está sonhando com a Olívia Palito, mas hoje vai encarar é o Haroldo, que está se assanhando e já tem planos para as semifinais. O Popeye não é o Calvin, mas vai conseguir dominar o Tigre amarelo do sul e arrancar um ponto.

Vento sudeste em Camboriú - o Leão não tem outro caminho senão partir para cima do caçula e trazer 3 pontos para o Ovelha manter seu emprego. Já o tricolor da baixada precisa de mais alguns pontinhos para se distanciar dos colegas de perigo. Como este time do Carianos gosta de pregar peça, é capaz de se complicar, mas no final, trazer mais uma vitória com gosto de pão integral.

Garoa em Joinville - a turma do balé, mas viva do que nunca no campeonato, encara o time do artilheiro RC que vai tentar se manter na ponta. O veterano Ramon pode voltar ao time do norte, o que pode ser bom, só não sei pra quem. Já o time verde de Blumenau pode ter a volta de Thiago Cristian, que eu nem sei quem é, mas a diretoria renovou o contrato. Jogo equilibrado, mas com vitória do time da casa.

Tempo ruim na capital - as barbies vão encarar o time que tirou a virgindade delas neste campeonato e por isso estão furiosas e sedentas de vingança. Os índios sofreram durante a semana pra passar de fase na Copa do Brasil e devem estar cansados. Podem até complicar no começo, mas no final vão entregar o cachimbo.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Reforma do Estatuto

Li o estatuto do Avaí e algo que me chamou a atenção foi a eleição para o Conselho Deliberativo.

Salvo engano de minha interpretação, a eleição para o CD é feita por chapa, com uma nominata de todos integrantes. A chapa vencedora forma o novo Conselho Deliberativo.

O que isso significa?

Que no Conselho Deliberativo, em teoria, todos tem uma origem comum e pensam de forma semelhante, já que integraram a mesma chapa na época da eleição. É como se na eleição para o poder legislativo a gente votasse nos partidos (como seria o voto em lista) no lugar de votar nos deputados ou partidos (como acontecesse hoje). Só que ao invés das cadeiras da Assembléia Legislativa serem preenchidas de acordo com a votação de cada partido, apenas o partido com maior número de votos é que teria assento na Assembléia. Ou seja, no poder legislativo haveria os deputados só de um partido.

Um dos lados negativos desta forma de eleição é que muitos são convidados para integrar o CD mas nunca aparecem nas reuniões. Você sabia que Ângela Amim é conselheira? Não tem nada com sua ideologia partidária ou atuação política na cidade, mas o fato de que nunca a vi na Ressacada. Como pode ser conselheira? O que ela sabe do clube? Tem vários outros casos que podem ser citados. É só olhar a relação dos conselheiros que tem no site.

Dizem que isto é para algumas pessoas terem o direito de ter duas cadeiras e vaga no estacionamento, que é o que o conselheiro tem direito. Aí eu entro em outro ponto: o custo para ser conselheiro. Novamente, salvo engano das informações que tenho, o conselheiro paga uma mensalidade de R$ 230,00 mensais, que dá direito a duas cadeiras no setor A, bem no meio do campo, na parte de cima das cadeiras (lugar reservado para os conselheiros) e duas vagas no estacionamento. Isto não está no estatuto, mas estava no site do Sócio-Coração.

Com estas condições, poucas pessoas podem se dar ao luxo de ser conselheiro. Será que o torcedor do setor C, D ou H tem condições de pagar esta quantia? Não sei é possível ser conselheiro e não pagar esta taxa, optando em ficar no setor onde já possui cadeira. Acho que não.

Como já escrevi, uma das consequencias deste formato de chapa é o número de faltas dos conselheiros nas reuniões. No atual estatuto, o conselheiro pode faltar a 4 reuniões consecutivas ou 6 alternadas, sem justificativa. Entretanto, com justificativa, não há limites de faltas. Ora, se o sócio é eleito conselheiro e não consegue vir às reuniões, mesmo justificando sua ausência, significa que ele deve ceder seu lugar para outro.

Além disso, o próprio conselho pode admitir novos conselheiros durante sua gestão, caso não o número total de vagas no CD, que é 300, não esteja preenchido. Isto significa uma mudança na sua composição em relação a chapa que originalmente venceu a eleição. Com todo respeito aos conselheiros que entraram no CD através deste dispositivo (como meu presidente do PFI), eu acho isto errado. Eles não foram eleitos pelos sócios.

Outra problema no atual formato estabelecido no estatuto é em relação às eleições para presidente. Uma das funções do Conselho Deliberativo é eleger o presidente do clube. Se todos os conselheiros eram da mesma chapa e elegem o presidente, isto pode significar uma fiscalização sobre as ações da diretoria não tão rígida, pois o indicado para presidente já é da preferência dos conselheiros. Novamente fazendo uma analogia com o sistema político brasileiro, é como se o prefeito e todos os vereadores fossem do mesmo partido. Sabemos onde a cidade ia parar se fosse assim.

Quais as minhas sugestões?

- Mudanças na forma de eleição para o Conselho Deliberativo - realizar a eleição para conselheiro através de candidaturas individuais. Quem tem interesse, se candidata. Deve ser estabelecido um número fixo de conselheiros (hoje o número pode variar entre 100 e 300). Sugiro 150. Assim, teremos uma pluraridade de opiniões no CD e não esta tom quase monocromático que existe atualmente.

Pode ocorrer de não haver candidato suficiente para preecher as vagas mínimas estabelecidas (na minha sugestão, 150), mas isto vai mostrar o real interesse do torcedor na gestão do clube. Se houver mais candidatos que vagas, sugiro a criação da suplência, de tamanho igual a 20 % do número de conselheiros (para minha sugestão, seriam 30 vagas). Estes sócios assumiriam um lugar no conselho, caso algum conselheiro eleito renunciasse ou fosse eliminado por motivo de ausências. Deste modo, o CD não teria autonomia de preencher as vagas por sua indicação.

- Mensalidade do Conselheiro - o sócio-conselheiro pagará o valor de sua mensalidade de acordo com o setor que tem sua cadeira, continuando a ter acesso apenas a este setor. A única vantagem adquirida, uma vez conselheiro, será ao direito de uma (apenas uma) vaga no estacionamento. Para aqueles figurões que tem as cadeiras no setor A, reservadas para conselheiro, sugiro criar uma modalidade para os mesmos, com direito a estas mesmas cadeiras de localização privilegiada e vagas no estacionamento.

- Número de faltas nas reuniões do CD - manter os limites de faltas justificadas (4 consecutivos ou 6 alternadas). Entretanto, uma vez ultrapassado o limite de 4 consecutivas, mesmo justificada, o conselheiro seria comunicado de sua exclusão do conselho. Se não consegue vir em 5 reuniões seguidas é porque

- Eleição para presidente do clube - há um movimento para que a eleição para presidente seja de forma direta, pelo voto dos sócios. Não me oponho a esta idéia, que acho interesante. Entretanto, se mudarem o formato da eleição dos conselheiros para o modelo individual, a eleição para presidente do clube poderia continuar sendo uma tarefa do CD. Todavia, se não mudarem isto, a eleição para presidente do clube deveria ser de forma direto pelo voto dos sócios.

Há várias outras coisas que podem ser alteradas no estatuto, que deve ser estudado por todo aquele que queira dar palpite sobre a gestão do Avaí.

Aliás, alerto ao pessoal do site que o link para download não está funcionando. Para minha sorte, já havia feito o download do estatuto na época do antigo site.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Projeções para as últimas rodadas

A bronca da torcida está grande, o futebol do Avaí não está bom, o Ovelha está sendo tosquiado, mas as chances do time se classificar são boas. O problema é o Leão perder para si mesmo. Ainda é cedo para prognósticos, mas vou me atrever a fazer um exercício de futurologia para mostrar que a tabela está boa para o Avaí.

Vou fazer uma projeção até a 17ª Rodada.

Metropolitano - perde do JEC e do Criciúma (fora) e vence o Atlético e a Chapecoense em casa. Na melhor das hipóteses, arranca empates fora de casa, o que seria ainda melhor para o Leão.

Joinville - vence Metro e empata com Criciúma (casa) e perde para Chapecoense e Avaí (fora). Se vencer também o Criciúma e arrancar um empate do time do Oeste, também não tem problema. Só não pode é trazer ponto da Ressacada.
 
 
Criciúma - vence Marcílio (fora) e Metro (casa), empata com Joinville (fora) e Tombense (casa). Se vencer o Tombense em casa, pode complicar a matemática avaiana.

Chapecoense - perde para Tombense e Metropolitano (fora) e vence Joinville e Atlético (casa). Se arrancar empate do Metropolitano ou do Tombense, é melhor ainda.

Avaí - vence Camboriú (fora), Marcílio e Joinville (casa) e empata com Tombense (fora). No mínimo isso. Para melhorar, uma vitória no remendão.

Tombense - vence Chapecoense (casa) e Brusque (fora) e empata com Criciúma (casa) e Avaí (fora).

Atlético - vence Brusque e Camboriú (casa), perde para Metro e Chapecoense (fora). Não afeta nada, mas se trazer ponto de Blumenau ou de Chapecó, ajuda.

Camboriú - perde para Avaí (casa) e Atlético (fora) e empata com Brusque (fora) e Marcílio (casa).

Brusque - perde para Atlético (fora) e Tombense (casa) e empata com Camboriú (casa) e Marcílio (fora)

Marcílio - perde para Criciúma (casa) e Avaí (fora) e empata com Brusque (casa) e Camboriú (fora)

Se estes resultados acontecerem, a classificação vai estar assim na última rodada:

Returno

Geral
1
Tombense
18

1
Tombense
38
2
Criciúma
17

2
Avaí
32
3
Avaí
17

3
Metropolitano
31
4
Metropolitano
15

4
Chapecoense
30
5
Joinville
14

5
Criciúma
29
6
Chapecoense
12

6
Joinville
26
7
Atlético
9

7
Atlético
23
8
Brusque
3

8
Camboriú
12
9
Camboriú
3

9
Marcílio
8
10
Marcílio
2

10
Brusque
7
A última rodada tem os seguintes jogos:

- Tombense x Camboriú - vence e é campeão do returno

- Joinville x Brusque - nesta previsão o time do norte já não teria mais chances e o de Brusque já estaria rebaixado. Porém, se venceram o Criciúma em casa, podem se classificar como terceiro colocado do índice técnico.

- Chapecoense x Criciúma - decisão pelo segundo ou terceiro lugar no índice técnico, com o time do Oeste jogando pelo empate.

- Atlético x Marcílio - não vale nada

- Metropolitano x Avaí - o Avaí poderia jogar por um empate em Blumenau para se classificar como primeiro melhor colocado no índice técnico e jogando a segunda partida das semifinais em casa.

Muitos destes resultados podem não acontecer, mas o mais importante é o Avai fazer sua parte, vencendo Camboriú e Marcílio (obrigação) e Joinville (parada dura, mas confronto direto) e empatar no clássico (clássico é clássico).

Isto não quer dizer que o time está jogando bem ou que acho que o Ovelha está escalando certo. O que quero mostrar é temos grandes chances sim, de se classificar para semifinais.

Portanto, acho que a hora é de apoiar o time, pois temos chances sim de conquistar o titulo. Ou a gente já vai desistir e entregar o ouro pro bandido?

domingo, 18 de março de 2012

Balanço da Rodada

Com o fim da quarta rodada, tudo continua indefinido. 6 times continuam sonhando uma vaga nas semifinais e 3 lutam para não cair. Apenas o time de Ibirama está sozinho do purgatório, pois as chances de se classificar para semifinais são quase iguais as de ser rebaixado.

Sem ajuda eu não consigo - a turma do balé quase dançou. Se não fosse o apito amigo mandar o jogo seguir até que fizessem o gol, teriam perdido pontos preciosos. A turma da terra da fartura saiu atrás, conseguiu o empate ainda no primeiro tempo e depois tentou amorcegar o jogo para manter o empate. Mas não contava com aquela placa famosa dos acréscimos sem fim. Agora o time do norte recebe o time de Blumenau e o pessoal de Ibirama recebe os marrecos de Brusque.

Muitos cartões e pouco futebol - os índios do Oeste fizeram o dever de casa e derrubaram o marinheiro afogado de Itajaí, com um gol em cada tempo e 5 expulsões, duas para o time da casa e três para os visitantes. Aliás, depois de um jogo com tantos cartões, adivinha quem será o próximo adversário do time do Oeste. Ele mesmo, o locatário da mídia. Já o Popeye, que gastou o pouquíssimo estoque de espinafre que tinha, vai receber os amarelos do sul, sonhando em fazer uma partida tão boa como fez no primeiro turno no sul, para continuar sonhando com a Olívia, ao invés de ter pesadelos com o Brutus.

Atropelamento no sul - o caçula levou mais uma lambada e agora está com um saldo de gols tão bom quanto os marrecos, só perdendo neste quesito para a fortíssima defesa de Itajaí. Vai disputar um triangular com estes times nas próximas rodadas para definir quem fica fora do poço negro. O time do sul gastou o estoque de gols e continua sonhando com as semifinais. Na próxima rodada os amarelos do sul vão até Itajaí, tentando não repetir o vexame do turno, quando só empataram com a ajuda do apito amigo, enquanto o tricolor da baixada recebe o Leão.
RC, não faz isso comigo! - ele teve a chance de marcar de penalti o primeiro gol da partida, mas cobrou foi um tiro de meta. O time do parafusito voltou para o segundo tempo mais ligado e saiu na frente. Depois, se aproveitou dos buracos da defesa verde e meteu mais três, além do boi mascarado também ter perdido um penalti. O time de Blumenau vai até a terra do balé e o time das Barbies recebe os índios desfalcados do Oeste.

Marreco sem recheio - num jogo ruim (segundo quase todo mundo), o Leão deu duas patadas no marreco seco. O primeiro gol saiu depois de um escanteio, uma caçada de borboleta do goleiro de Brusque e uma cabeçada (?) do Pirão. No segundo, já no final do jogo, outro cruzamento e Saldanha completou de cabeça. Antes, Cléber Santana cobrou um penalti, cavado por Nunes, na mão do goleiro deles. O Leão, ainda sem confiança dele e da torcida, vai até Camboriú, com a obrigação de uma nova vitória. Já o time de Brusque vai até a terra da fartura, esperando que o time do seu Marchetti já tenha entrado em férias.

A próxima rodada é no fim de semana e será a chance do Leão chegar mais perto da ponta, pois alguns concorrentes vão se enfrentar e alguém vai ficar pra trás.

Valeu pelos 3 pontos

Não assisti a partida devido a compromissos particulares, então não posso falar pelo jogo. Pelos comentários que se lê por aí, a partida foi ruim. No vídeo que vi com um resumo do jogo, deu para notar que o time não esteve bem. Valeu pelos 3 pontos.

Ainda bem que não estava na Ressacada, pois além de ver um desempenho ruim do time, ter que aguentar os próprios torcedores vaiando é demais para mim. Eu não consigo ententeder. O que será que pode melhorar com a vaia? Será que o jogador vai virar craque ou jogar mais? Ou será que a intenção é desanimar o time para ver se os jogadores desistem e pedem as contas? Será que isso é bom para o Avaí? Será que para ser contra o Zunino eu tenho que ser contra o Avai?

Eu não aguento mais isso. Se estivesse no estádio era capaz de mandar todos os vaiadores a m. Depois do jogo tudo bem, mas antes da partida e durante o jogo. Vocês merecessem é voltar para aquela época gloriosa da série C. Continuem ajudando deste jeito que a gente chega lá. A diretoria já está fazendo sua parte. Com a colaboração dos jogadores e com o apoio desta torcidinha avaiana, não tenho dúvida qual será o nosso destino.

Para não dizer que não falei da retirada da faixa contra o Zunino, é claro que sou a favor da liberdade de expressão. Não vejo por que proibir estas faixas de "Fora Zunino" ou "Fora Delfim" ou até "Volta FF". Cada um escreve o que quer. Se foi a diretoria que mandou retirar, muitos pontos negativos para ela. Ela tem que aprender a conviver com oposição, que tem o direito de se manifestar. Li num blog (acho que do Aguiar) que há um TAC (ou coisa parecida) que proíbe isto. Noutro blog, li sobre um sujeito que em outro jogo disse para o policial que o queria proibir de entrar com a faixa que ia na delegacia registrar um BO contra a Polícia (cabra bom esse) e com isso conseguiu entrar no estádio com a faixa. Não sei quem tem a razão. Talvez os dois.

De minha parte, vou torcer para o time conseguir mais vitórias e continuar sonhando com o título, independente de quem seja o treinador ou o presidente.

sábado, 17 de março de 2012

É para vencer

- O jogo é jogado e o lambari é pescado.
- São onze contra onze e tudo pode acontecer
- O futebol é uma caixinha de surpresa
- Não existe mais bobo no futebol.

Estas frases não servem para o jogo de hoje. Como todo respeito ao time e aos jogadores do Brusque, o Leão tem obrigação de vencer um time que é o lanterna da competição, só ganhou uma (na primeira rodada) e empatou duas. Não tem desculpa.

É claro que os jogadores tem que fazer por onde e não dar bobeira, pois os índios na semana passada, conseguiram a proeza de levar um empate deste time dos marrecos.

Mas se jogarem com atenção, não tem outro resultado, senão a vitória. Nem precisa ser de goleada, mas que também não seja apenas de 1x0, sofrido.

É bom os jogadores que forem escalados aproveitarem esta oportunidade, pois não vai ter outro jogo mais favorável que este para mostrar um bom futebol. Se não conseguirem jogar bem contra o time de Brusque, pode esquecer, pois não vai ser contra o Atlético-PR que vão conseguir.

Ovelha treinou secretamente durante três dias. Espero que os jogadores não esqueçam do combinado.
Cléber Santana tem tudo para mostrar um futebol ainda melhor. Nunes, tem que parar de tuiutar e começar a fazer gol, pois a chance vai aparecer. Diego Palhinha, se jogar, tem que mostrar que valeu os apelos da torcida. Cléverson está em dívida e precisar pagar com bom futebol. Moretto, se jogar, que não me apronta mais nenhuma, pois agora ele tem uma sombra forte.

Vai pra cima deles, Leão.

Previsão para o fim de semana

O verão está indo embora e as temperaturas diminuindo (até porque não dava mais aumentar mais do que estava). A quarta rodada promete:

Vendaval no sul - o cão que late mas não morde viajou até a terra do carvão, mas apesar de minha torcida, não vai conseguir nem arranhar os amarelos do sul, que mesmo jogando mal, devem vencer.

Chuva no oeste - os índios vão fazer a dança da chuva pra ver se conseguem uma vitória, coisa que não acontece há mais de um mês. Eles conseguiram perder de um time do Espírito Santo, empataram em casa contra os marrecos, mas dessa vez vão empalar o marinheiro afogado, que já está dando os últimos suspiros.

Trovoada no norte - na terra da garoa catarinense, o time do balé vai tentar mais uma vitória para cima dos rapazes do seu Marchetti. A turma do laranja lima é favorita, mas vai ser um pra cada um.

Tempo seco no Vale - as barbies não estão com vontade de jogar e são capazes de entregar o jogo para o time de Blumenau. Será que o RC vai guardar um? O líder vai continuar líder.

Vento sul na ilha - o marreco vai ser engolido pelo Leão, que comandado e modificado pelo Ovelha, vai tentar atropelar o time da malharia, que só escapa da segundona por milagre.

sexta-feira, 16 de março de 2012

A favor da democracia, mas contra o golpe!

Não vou entrar no mérito do desempenho do time e dos acertos e erros da diretoria e das conquistas e dos fracassos da gestão do Zunino. Apenas faça uma ressalva para aqueles que dizem que as únicas conquistas do período de gestão do Zunino foram quando esteve associado a LA e que este sim, seria o responsável pelas poucas conquistas.

Antes de tudo é preciso lembrar que no primeiro ano da parceria (2007), o Avaí quase caiu para a série C e que em 2010, quando quase caiu para B, a parceria ainda estava de pé. Ou seja, o empresário de Curitiba também tem sua parcela de culpa nos fracassos.

Em relação às conquistas, que não foram poucas, se tiveram o dedo da LA na condução do departamento do futebol, não tira o mérito da diretoria, que foi quem chamou a empresa para ser parceira. Não tem sentido exaltar a contratada e denegrir a contratante. Se a LA fez sucesso no Avaí foi porque a diretoria chamou a empresa. Logo, os louros das vitórias devem ser creditados aos dois.

Feito esta ressalva, quero falar sobre ser oposição. A diversidade de opiniões e de idéias é sempre salutar e neste sentido, existir um grupo oposição ao grupo que esteja no comando de qualquer associação pode ser benéfico. Eu digo pode ser, porque, num clube de futebol, quando a oposição começa a se comportar como as oposições dos partidos políticos se comportam em relação aos governos, ela perde o seu sentido.

Na política, os partidos de oposição, via de regra, com a desculpa de que estão fiscalizando, combatem e se opõe a quase tudo que vem do governo. Seja boa ou ruim, a tendência é ser contra qualquer proposta de origem da base do governo.

Além disso, apesar de não admitirem, a oposição é adepta do quanto pior, melhor. Fracassos de planos e desempenhos pífios do governo são comemorados secretamente e criticados publicamente. E isto independente dos partidos que estão na oposição ou no governo. Pode haver exceções dentro dos partidos, mas eu não conheço nenhum para citar.

A oposição dentro de um clube do futebol não pode torcer por derrotas ou vibrar com fracassos. Não deve ser contrário às ideias da diretoria só porque não são delas. A oposição deve sim fiscalizar e exigir transparência. Deve se fazer presente em todos os momentos, não importa a fase do clube. Desaparecer no período do sucesso e fazer barulho na época ruim é oportunismo.

Por fim, o clube tem um estatuto que deve ser respeitado. Se esta diretoria foi eleita para um mandato, que seja cumprido. A interrupção deste mandato só deve acontecer de acordo com o estabelecido neste estatuto. Fora disso, é golpe, o que não podemos aceitar.

Se tomarmos atitudes com o fígado (como diz o Aguiar), corremos um sério risco de criar um precedente perigoso para o futuro. E se amanhã o novo presidente perder 5 seguidas, ou levar uma goleada num clássico, eu também poderei pedir a renúncia dele? O que vai estabelecer se é hora do presidente ir embora antes do fim do mandato?

O que plantamos hoje, será colhido amanhã.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Balanço da Rodada


Um terço do returno se foi, mas nada ainda está definido, como muitos pensam.

- Agonia em Brusque – que jogo ruim! Os amarelos do sul conseguiram fazer um gol num lance confuso e que teve até impedimento não marcado. Mas o time dos marrecos é ruim demais para poder reclamar. O time do sul, que ainda sonha com o título, vai jogar no meio da semana pela Copa do Brasil e depois recebe o caçula do campeonato. Já o marreco, quase morto, vem até a capital, sonhando em aprontar pra cima do Leão (Deus me livre), mas acho que vai levar a patada final.

- Marinheiro é atropelado por um jacaré – o Popeye perdeu o espinafre e o rumo da vida. Levou uma rabada do jacaré de Blumenau e continua sentado no poço, abraçado com um marreco. No fim de semana vai viajar até o Oeste, onde deve ser empalado pelos índios. O time do craque RC, que fez mais, venceu e lidera o returno. Mas é bom eles não se iludirem com a ponta, pois só tem 9 pontos porque venceram os três piores do campeonato. Quero ver daqui pra frente, quando não tem mais galinha morta para comer. Agora recebem o time da entrega (e do parafusito).

- Índios sem rumo – o time do Oeste perdeu mais um ponto importante e começa a ficar em dúvida se vai chegar lá. Saíram atrás, empataram, levaram outro, viraram, e no finalzinho, levaram o empate, para desespero dos torcedores indianos. Agora os índios, que ficaram sem cacique (mandaram o técnico embora), tem a oportunidade de se recuperar em cima do marinheiro afogado. Já o caçula, que aos pouquinhos vai se afastando do poço negro, vai até Criciúma, sonhando cometer um pequeno delito.

- Barbie e Balé, tudo haver um com o outro – o time do parafusito saiu na frente e até ensaiou uma goleada. Mas o time do balé tinha outro roteiro em mente e se aproveitou do branco da defesa barbie e empatou o jogo, com direito a centésima dose de suco de laranja lima em cima do intransponível arqueiro da mídia alugada. O time do Estreito, ainda sem preocupação à vista, vai até Blumenau, enfrentar o líder do returno. Já a turma do balé que ganhou o primeiro ponto de verdade (os outros seis foram contra os fortíssimos times de Camboriú e Itajaí) recebe o pessoal da terra da fartura.

- Virada a moda da casa – o Leão fez o mais difícil, que foi sair na frente, e ainda colocar dois gols de vantagem, de Cléber Santana. Mas deixou o time do seu Marchetti se empolgar e depois da expulsão do lateral avaiano, não conseguiu segurar nem o empate. Agora o Leão recebe o marreco de Brusque e o time da terra da fartura vai até Joinville.

Está certo que o time de Blumenau tem 9 pontos, o de Joinville tem 7 e o Leão só tem 4. Acontece que acabou o estoque de galinha morta para o líder, enquanto para o time do balé só restou o marinheiro afogado. Já o Leão vai jogar 3 partidas seguidas com estas mesmas galinhas e é obrigado a faturar todas, de preferência com boa margem de gols. Nas vitórias até dá para acreditar, o difícil é ter esperança de goleada com este ataque de asma azul.

domingo, 11 de março de 2012

Os carneiros obedientes não resolveram

Pois é. Mandaram o cabrito ruim embora, mas os carneiros obedientes não conseguiram trazer nenhum ponto de Ibirama. Aliás, não é de se esperar outra coisa de Neilson e Capixaba.

Até acho que o ex-índio tem qualidade, mas deve ter esquecido o futebol em Chapecó. A paciência com ele acabou. Já o esforçado ex-bailarino.... é só esforçado mesmo. Como é que o Capibraba conseguiu ser artilheiro da série C? Enquanto isso, tem um outro atacante que foi dispensado. Pode até ser mau-caráter, com foi acusado por alguns, mas como tinha contrato com o Avaí, deveria é ter sido punido no bolso, mas ficar no grupo, depois de um bom puxão de orelha.

O tempo destes dois acabou. Se for para ser teimoso, que coloque o Nunes como titular, mas deixe ele começar umas 5 partidas pelo menos. Colocar no meio do jogo, com o time perdendo, na esperança do jogador resolver, é até injusto para avaliar. O mesmo serve para o Saldanha. Já o Laércio, jogador de rara habilidade (alô Tarnowsky, abraços), pode até ajudar, mas é muita fogueira para o rapaz, entrar em Ibirama, com o time perdendo, achando que ele vai resolver. Ovelha, assim não dá.

É verdade que a zaga falhou no primeiro e no segundo gol e o goleiro no terceiro. Mas o meio de campo ficou olhando o jogador atleticando, com todo espaço e tranquilidade, cruzar a bola na área no primeiro gol e o japonês ajeitar a bola e chutar no terceiro. Não pode dar espaço meus filhos, tem que marcar em cima.

Para salvar a pátria, Cléber Santana mostrou que tem futebol de sobra para jogar neste time. Pode até escolher a posição, seja de volante, na criação, e quem sabe até de atacante, que é melhor que os outros. Só que ele precisa de alguém para tabelar e dividir a responsabilidade, pois o cara não vai aguentar jogar bem os 90 minutos. Até porque deve desanimar um pucado, jogar com estes companheiros valorosos e guerreiros do ovelha.

O resultado foi ruim, mas se o Leão tivesse vencido os índios, perdido para os amarelos do sul e empatado em Ibirama, todo mundo ia dizer que estava dentro do esperado. Teria os mesmos quatro pontos.

O Avaí está longinquos 5 pontos do time de Blumenau no returno, mas só depende dele na classificação geral. Aliás, ao final da primeira rodada, com o empate, o Avaí estava nas semifinais. Na segunda rodada venceu e caiu fora. Nesta rodada, perdeu, mas voltou para as semifinais.

Ainda tem muito campeonato pela frente. O time não dá esperança, o Ovelha parece que vai morrer (ou ser demitido) com esta convicção deste ataque de asma, mas os outros times são piores. Podem ter certeza.

Ainda não joguei a toalha.

sábado, 10 de março de 2012

De volta ao seu pasto

Não, não estou chamando o campo do Ibirama de pasto. O que eu quero dizer é que o Ovelha está voltando para o lugar onde já fez muito sucesso. Foi duas vezes vice-campeão estadual, sendo que na segunda vez perdeu o título jogando em casa, contra os amarelos do sul. Ao todo, já teve três passagens pela terra da fartura, sendo a primeira como jogador (2001) e as outras como técnico (2004-2005 e 2007).

Ou seja, conhece muito bem cada canto daquele estádio. Deve saber o nome de muito torcedor atleticano. E tenho certeza que todos da cidade respeitam o Mauro Grasel. Só que agora ele está do lado adversário e não vai ter moleza por causa do seu passado vencedor na cidade.

Jogar em Ibirama sempre foi difícil para qualquer time, e com o Avaí não é diferente. Desde que o time de Ibirama começou a jogar a primeira divisão do estadual, o Leão já jogou na terra da fartura, pelo estadual, 11 vezes, com 5 derrotas, 4 empates e 2 vitórias, a primeira em 1995, por 9x1 e a segunda em 2008, por 2x0.

O time e o futebol apresentado pelo Avai não estão dando confiança para o torcedor acreditar firmemente numa vitória. Mas depois da vitória do último domingo, dentro do campo dos amarelos do sul, não é de se duvidar que os comandandos do Ovelha consigam mais uma vez nos surpreender. E espero que positivamente.

A maior curiosidade é saber como será o comportamento dos atletas, depois de uma semana conturbada, com multas e dispensa. Depois de uma vitória fora de casa, se esperava uma semana de tranquilidade, mas o que se viu foi muito agito e incertezas na Ressacada. Ovelha ganhou a queda de braço e parece estar fortalecido. A dúvida é saber se este poder será traduzido em campo com um desempenho bom e com raça por parte dos jogadores.

Um empate não é um bom resultado para quem sonha com o título do returno, mas devido às circunstâncias poderá ser comemorado. Uma derrota complica o Avaí e novamente vai colocar o Mauro Grasel na berlinda. Dependendo do empenho dos atletas, toda a discussão sobre seu comando voltará ao debate.

Espero que Saldanha e Palhinha tenham oportunidade para jogar e que Nunes também possa entrar no jogo e mostrar se realmente serve para o Leão.

Vamos aguardar e torcer.

Vai pra cima deles, Leão!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Previsão para o fim de semana


A terceira rodada do returno promete surpresas.

Maremoto em Itajaí – o marinheiro afogado ainda sonha com a Olívia Palito e vai cometer um crime no porto, matando o jacaré de Blumenau, que já está se achando o Wally Gator. O time do Popeye não inspira este tipo de palpite, mas o time do craque RC tem mania de quarar o tom verde de sua camisa.

Tempo seco na capital - num jogo de times super-simpáticos é até difícil de escolher um para secar. O laranja-lima vai tentar marcar o centésimo no companheiro do náufrago, o que não acho tão difícil. As barbies estão agora apenas passeando e estão mais preocupadas no milésimo projeto de arena apresentado para iludir as bonecas. A turma do balé sonha que pode manter a ponta até o final, mas vai ficar apenas com aquele festival paralelo para as crianças (meia-ponta). Neste confronto dos líderes, o jogo vai terminar como começou.

Chuva torrencial em Brusque – o marreco ainda sonha em bater as asas e voar para fora do buraco que se caiu. Mostrou reação e garra no oeste, mas vai levar uma patada do Tigre amarelo que vai até doer. Se isto não acontecer, pode fechar o supermercado para balanço e abrir para a série B.

Brisa leve em Camboriú - o caçula do campeonato vai tentar desesperadamente somar mais alguns pontos para se afastar do poço sem fundo que estão o marreco e o marinheiro. Se melhorarem a pontaria, podem surpreender os índios, que já estão cansados e devem perder mais uns pontinhos importantes.

Vento sul em Ibirama – é o Leão que vai rugir na terra da fartura. Jogo difícil (menos para o entendido do mal), mas que o Ovelha sabe bem como jogar. Não espere nada bonito, pois nosso ataque de asma só serve para cansar os zagueiros adversários. A vitória vai vir na bola parada (parada antes da cobrança é claro).

quinta-feira, 8 de março de 2012

Sugestão para a diretoria

Se o Ovelha tá de mal com o Gilmar e não quer mais vê-lo na Ressacada, a diretoria tem que realmente fazer alguma coisa. Mas não vende, não.

Faz o seguinte: empresta para um time, que não seja nem os amarelos dos sul, nem os bailarinos do norte e se possivel, que também não vá disputar a série B (eu sei que aí fica difícil).

Quando o Ovelha for embora (sim, porque ele não vai durar muito mesmo), traz o Gilmar de volta.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Jogando contra o patrimônio

Pelo jeito o Avaí vai dispensar o Gilmar. Ao que parece, o atacante não está mais nos planos do Ovelha.

Até compreendo e acho que certo que o Ovelha tenha que mostrar quem manda no Avaí. O Gilmar fez besteira e merece ser cobrado por isso. Só que a dispensa é um exagero para mim.

Acho que o Ovelha pegou o Gilmar como bode expiatório. Viu que seu comando estava em perigo e precisava sacrificar alguém para mostrar aos outros atletas que ele tem o apoio da diretoria. Aproveitou o descontrole do Gilmar, que pelo jeito já não gostava muito, pois pouco utilizou, e decretou sua dispensa.

Como o atacante pouco jogou, não teve tempo para mostrar seu futebol. Sendo assim, não pode provar para a torcida que pode ser importante para o time. Por isso, está numa situação desfavorável e sem onde se apoiar.

Acho que se a dispensa se concretizar, será um gol contra da diretoria, pois se o Gilmar não mostrou o que sabe, tem um passado que mostra que tem potencial. Ou será que o Ovelha acha que vai transformar o Capixaba e o Neilson em jogadores de série B? É ruim! O Nunes até pode fazer gols, mas também tem que melhorar muito. Futebol por futebol, nenhum dos atacantes tem crédito.

Quero ver daqui pra frente.

Espero que estejam tomando a atitude certa, mas acho que começamos a perder definitivamente o campeonato.

Sobre as punições

A direção do Avaí, não sei se por pressão ou por vontade própria, decidiu punir os atletas Cléverson, Capixaba e Gilmar. Punir um atleta é sempre uma faca de "dois legumes", como diria Vicente Mateus. Pode colocar ordem na casa ou azedar de vez o que já não está bom. A parte ruim disto tudo pode acontecer se o critério não for mantido em caso de futuras manifestações de outros atletas.

O que penso sobre cada punição:

- Capixaba - se reclamou durante o jogo, podia ter sido chamado atenção, mas daí a multá-lo, achei um exagero. Se houve desrespeito ao treinador, uma advertência da diretoria ao atleta, mostrando que quem manda é o Ovelha, já seria suficiente.

- Cléverson - a multa foi correta, pois o atleta foi expulso infantilmente. É bom para colocar a cabeça no lugar e voltar a jogar o futebol que sabe. Pena que eles não tiveram esta coragem com o Marcinho Guerreiro, naquele jogo com o Criciúma. Os amantes do ex-capitão podem até dizer que não foi a mesma coisa, mas ele também cavou uma expulsão desnecessária. Detalhe que naquele jogo, a expulsão aconteceu no meio da partida, quando o Avai vencia e depois do lance, levou um gol e mais tarde, o empate.

- Gilmar - achei o afastamento do jogador uma medida muito drástica. Merecia uma multa e uma advertência, mostrando para ele que se quiser jogar no Avaí tem que saber respeitar o treinador. Mas daí a afastá-lo, acho que foi demais. Espero que não façam com o Gilmar o que fizeram com Fábio Santos que era um centroavante bom, mas que depois da reação contra a torcida, ficou sem clima na Ressacada. O Gilmar já mostrou que é bom jogador e pode ser titular com um pé só, considerando que seus concorrentes são Capixaba, Neilson e Nunes. Dispensar o jogador é prejudicar o próprio time, que já não é tão bom. Vai com calma, diretoria.

Por último, vou esperar os próximos jogos para ver se tudo isto não foi um jogo de cena do seu Carlos Arini, para tentar iludir a torcida e os blogueiros que está tudo controlado.

Apoio que a diretoria mostre aos atleteas que o treinador é o comandante do grupo, tem que ser respeitado e que não adianta façar beicinho se não jogar.

Mas não adianta ser mais real que o rei.

PS: Amanhã vai ser um prato cheio para turma que só vê coisa errada em tudo que se faz no Avai.

terça-feira, 6 de março de 2012

Balanço da Rodada


A segunda rodada terminou com algumas surpresas e poucas definições. O Leão reagiu e o Marreco mostrou que ainda não foi ensopado.

Susto na barbilândia – o time da parafusito que os boca-alugada vivem dizendo estar sobrando no campeonato, não jogou bem, mas venceu os rapazes da terra da fartura. O apito amigo se enganou ao expulsar uma Barbie descontrolada, mas em seguida se redimiu com o time do patrocinador do campeonato e igualou o número de jogadores, mandando um atleticano para o chuveiro. Na próxima rodada a Tombense recebe a turma do balé, num confronto que vale a liderança, e o time de Ibirama recebe o Leão, num jogo que pode definir o destino do time do seu Marchetti no campeonato.

Jacaré papa cão boriú – o craque RC passou em branco, mas Maurinho garantiu a vitória dos verdes de Blumenau contra o caçula do campeonato, que para sua sorte, pode conseguir permanecer nesta divisão graças a incompetência de seus concorrentes de Itajaí e Brusque. O time da terra do chopp vai até a vizinha Itajaí enfrentar o marujo afogado para manter-se no topo da tabela, enquanto o tricolor da baixada recebe o índio cansado, na esperança de fazer mais uns pontinhos e se distanciar da boca do poço negro.

Surpresa no oeste – o índio não empalou o marreco como era previsto. E o mais surpreendente foi que o time de Brusque jogou melhor. Os marrecos saíram na frente, levaram a virada dos índios, mas no finalzinho, Marcelo Guerreiro igualou tudo de novo. Os índios, que já parecem cansados das viagens, vão até Camboriú tentar recuperar os pontos perdidos em casa, enquanto o time de Brusque recebe os amarelos do sul, sonhando com dias melhores e com o presente do coelhinho da páscoa.

Quebra-marujo – o marinheiro está mesmo com o destino selado. Até chegou a sair na frente do placar, mas o apito amigo da turma do balé não deixou que o Popey comemorasse. Depois, com muitas lambanças do marujo, o time do norte venceu com facilidade. Agora a turma do balé vem para a capital, colocar a liderança em jogo contra o time do parafusito e os marinheiros recebem o jacaré de Blumenau, ainda sonhando com a Olívia Palito (mas acho que vai acordar abraçado com o Brutus).

O tigre amarelou – e o Leão rugiu mais alto. No melhor estilo Ovelha de jogar, de muita defesa e pouco ataque, o Leão deu duas patadas e feriu o Tigre, que mesmo cambaleante, ainda não está morto. O time do sul vai até Brusque tentar papar o marreco e o time do Ovelha vai até Ibirama, tentar uma nova surpresa.

Como diz um certo amargurado pintor de rodapé, se o campeonato terminasse hoje, o Leão estaria fora das semifinais. Mas o catarininha ainda não terminou e dá tempo do Leão chegar lá.

domingo, 4 de março de 2012

A vitória era mais importante que o jogo

Eu sei que tem muito torcedor criticando o time, mesmo com esta vitória. Pode até ter razão, mas hoje a vitória era mais importante que o desempenho dos jogadores. Jogar bem, mostrar jogadas ensaiadas, qualidade no toque de bola, criar situações de gol, marcar bem, tudo isso é importante. Mas hoje, a vitória era o mais importante, não importava como acontecesse. Não se pode desprezar esta vitória de hoje.
É claro que esta vitória não pode ocultar os defeitos do time. Do mesmo jeito que nos empates e derrotas nem tudo está errado e é preciso ver as coisas boas, nas vitórias a gente tem que ver os problemas. O Leão teve como mérito aproveitar as poucas chances que apareceram, mas arriscou muito ao dar campo demais para o adversário.

Moretto - alternou grandes defesas e falhas perigosas. Tem que trocar as luvas porque nunca vi a bola escorregar tanto das mãos de um goleiro. Mas é melhor que o Aleks, principalmente no quesito experiência, que tanto precisava hoje.

Zaga - Leandro Silva é titular absoluto da zaga. Renato Santos pouco apareceu, mas não comprometeu. Rafael melhorou e ganhou muitas bolas. Acho que esta é a zaga titular e não precisa mais mudar.

Laterais - Aélson tem o mérito de ter feito o cruzamento para o gol, mas ainda está tímido. Patrick está dando nos nervos, tanto na defesa, como no ataque, quando perdeu muitas bolas. Para não dizer que foi tudo ruim, deu um passe açucarado para o Cléverson que perdeu uma grande chance já no final da partida. Arlan entrou só para defender.

Meio - Diogo Orlando e Marcinho Guerreiro mostraram a falta que o Bruno faz. Bola com um dos dois é sinônimo de bola perdida. O resumo da atuação dos dois foi um lance no segundo tempo em que a bola sobrou para Neilson que deixou com Diogo Orlando que por sua vez, ao invés de ir para frente, passou a bola para Guerreiro, que matou na canela e perdeu a bola para o adversário. Coloca o Santana ali, no lugar de um dos dois.

O Cléber Santana mostrou a qualidade que tem, principalmente na cobrança de falta, quando colocou a bola na coruja. Só que sozinho não vai fazer muita coisa. Tem que colocar alguém com habilidade para jogar ao lado dele.

Ataque - não dá para criticar o cara que faz um gol, mas Neilson só fez aquilo. É pouco. Capixaba foi pior, pois nem gol para se salvar fez. Gilmar ou Nunes precisam entrar neste time. Saldanha entrou bem e talvez cave uma posição no time. Cléverson é bom jogador, mas está se perdendo na profissão. Está na hora de dar mais atenção a profissão do que aos sites e twitter.

Ovelha - sabia que seu emprego estava a perigo e retrancou o time. Apostou no contra-ataque que pouco aconteceu. Demorou, mas fez as substituições corretas. Contou com a incompetência do adversário em não empatar. Ganhou um respiro e pode usar a vitória como ponto de partida para um novo campeonato.