quarta-feira, 20 de novembro de 2013

domingo, 3 de novembro de 2013

Só restou... subir para a série A

Perder é ruim. Perder na Ressacada é muito ruim. Perder para o time do Estreito é péssimo. Perder de goleada é horrível.

Ou seja, não tem nada de bom no que aconteceu neste domingo.

E o que resta depois deste desastre?

Espero que a comissão técnica e os jogadores tenham noção do que aconteceu e o que significa esta derrota para a torcida avaiana.

Mas eles ainda podem fazer o torcedor avaiano esquecer deste domingo amargo.

Pois eles ainda têm chance para fazer o torcedor sorrir e terminar o ano muito mais feliz do que este pessoal que festejou a vitória de hoje como tivesse sido campeão.

Basta que joguem com vontade e conquistem no próximos 4 jogos, no mínimo, os mesmos resultados do turno: 3 vitórias (ASA, ABC e América-RN) e 1 empate (Ceará). Daí na última rodada o Leão vai estar com 63 pontos e talvez até um empate em casa, com o Boa já garanta o acesso para a série A 2014.

Assim, eles poderão junto com a torcida avaiana fazer a carreata e o buzinaço que realmente conta: a festa do acesso para a série A.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Até onde dá para acreditar?

Eu imaginava que nestas 6 primeiras rodadas do returno o Avaí faria pelo menos 9 pontos. O que já não era muito (apenas 50 %). Mas considerando que jogará em casa contra o líder da competição e fora contra adversários diretos (coelhos mineiro e catarinense), a chance de pontuação seria maior nas 3 primeiras rodadas, contra times teoricamente mais fáceis.

Só que o time do HM conseguiu apenas 2 míseros pontos contra dois poderosos times paulistas que estão na rabeira da tabela. Para chegar naqueles 9 pontos, vai ter que vencer o time cearense e o palestra paulista e buscar empates fora de casa.

A sorte do Avaí é que os outros times tropeçaram e a distância para o último do G4 ainda é de 4 pontos. Só que esta distância tem que ser zerada o quanto antes, porque no final vai ser muito difícil entrar no G4.

Nem vou falar na partida contra o time da terra do Frei Galvão, com aquele gramado medonho. Mas time que quer subir, não pode jogar tão mal. Na verdade, acho que apesar da invencibilidade de 10 jogos, o time do HM só se apresentou bem mesmo no clássico. Nas outras partidas jogou para o gasto.

É possível conseguir o acesso com esse elenco? Talvez, mas o time teria que jogar no seu limite em todas as partidas, o que é muito difícil de acontecer. Não vejo diferença técnica do Avaí para os outros times da parte de cima da tabela, com exceção do time paulista. Todos já tiveram seus tropeços, senão vejamos:

- Chapecoense – perdeu em casa para o Icasa e empatou com o Oeste e Paraná e perdeu fora para Bragantino e Oeste. (13 pontos perdidos)

- Paraná – empatou em casa com Jonville e São Caetano e perdeu fora para Oeste e São Caetano (10 pontos perdidos).

- Joinville – perdeu em casa para Boa e Sport e empatou com Ceará e Chapecoense, além de perder fora para Atlético-GO, Icasa e Payssandu (19 pontos perdidos)

- América-MG – jogou 10 partidas em casa e só venceu 4, tendo empatado com América-RN, Bragantino, Ceará e Paraná e perdido para Alliance e JEC. Fora de casa conseguiu perder para ABC, Asa, Boa e Guaratinguetá (26 pontos perdidos).

- Boa – perdeu em casa para Asa e Chape e empatou com América-MG, Atlético-GO, Avaí e Bragantino (14 pontos perdidos)

- Icasa – perdeu em casa América-MG, Avaí, Oeste e Paraná, e empatou com América-RN, além de perder fora para Asa e Guaratinguetá (20 pontos perdidos)

- Sport – perdeu em casa para Bragantino, Chape e Icasa e empatou com Boa, além de perder fora para ABC, Icasa, Payssandu e São Caetano (23 pontos perdidos).

Considerei com tropeço, qualquer derrota ou empate em casa e as derrotas fora de casa para os times da parte debaixo da tabela. Não considerei os pontos perdidos com o Palmeiras.

O Leão perdeu em casa para América-MG e Joinville e empatou com Ceará, Oeste e Paraná, além de perder fora para o Guaratinguetá. São 15 pontos perdidos, mais que o time de Chapecó, do Paraná e do Boa, mas menos que os demais.

Minha projeção ainda é otimista, mas vejo as chances de acesso no limite, na quarta vaga, muito pouco a frente de Joinville e América-MG. Acho que Palmeiras, Chapecoense e Paraná devem garantir o acesso. A briga pela última vaga será contra estes times que citei mais acima, com exceção do Icasa e incluindo ainda o time do Estreito.

Como já disse, o time precisa jogar no limite em todas as partidas, para conseguir as vitórias necessárias. As laterais é um caso perdido e não tem mais ninguém dando sopa por aí para resolver a situação.

A zaga inspira cuidados, mas, talvez com a volta de EC, volte a ficar mais segura.

O ataque é um problema crônico, mas acho que se consegue resolver com que está por aí. Eu gosto muito do Higor e gostaria que ele tivesse outra chance, mas entrando numa partida mais tranquila e não na fria que o HM meteu ele no jogo contra o Oeste.

Em relação ao HM, mesmo errando em alguns jogos, espero que fique até o final do campeonato. Conhece os jogadores e pode, deixando de ser teimoso em alguns aspectos, conseguir resultados ainda melhores.

Eu ainda acredito.


Vai pra cima deles, Leão!

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Palpites e Secadas

O returno não começou como a gente queria e por isso, já não basta só o Avaí vencer. É preciso que alguns percam. Vou começar meu exercício de futurologia e de secação.

Alliance x Coelho mineiro – desconfio que vai dar empate, que também é pelo que eu torço (mas se eles perderem em casa, não tem problema).

Coruja de Varginha x Leão da terra da lingüiça – acho que os vermelhos mineiros vencem, mas bem que a turma de Bragança poderia surpreender com uma vitória.

Duelo do Velho Oeste – mais uma vitória dos verdes de Chapecó. Já que os tigres do oeste paulista arrancaram um empate na Ressacada, bem poderiam também aprontar pra cima dos índios catarinenses.

Azulão paulista x Gralha Azul paranaense – acho que dá vitória dos paranistas, mas bem que a turma do ABC paulista poderia conseguir uma vitória para sua “imensa” torcida, que deve “encher” o estádio.

Garça x Leão – acredito na vitória azurra, mesmo lá na terra do Frei Galvão.

Papão da Curuzú x Vovô – em seu estádio, o azul de Belém é forte e deve vencer o alvinegro cearense, o que é bom para o Leão.

Papagaio cearense x dragão de Natal – o time cearense é favorito, mas vou torcer para o mequinha do Norte arrancar um empate.

Elefante de Natal x Leão da Ilha do Recife – acho que o time pernambucano vai recuperar os pontos que perdeu em casa na última rodada, mas o melhor seria que o time das letras arrancasse pelo menos um empate, afinal, vai jogar em casa.

Porco paulista x Fantasma de Arapiraca – o verdão paulista não vai tomar nenhum susto desta vez (apesar que vão lembrar do vexame de 2002) e deve golear o time nordestino. A zebra seria bem vinda.


Coelho x Dragão de Goiás – a turma do balé é favorita para vencer, mas vou torcer o rubro-negro goiano arrancar um empate.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Raio X do Turno

Olhando por rodada:

Da 1ª Rodada até a 6ª Rodada

2 V  - Icasa (f) e Guaratinguetá (c)
1 E - Oeste (f)
3 D  - Palmeiras (f), Joinville (c) e América-MG (c)

Ganhou 7 em 18 pontos disputados. Deveria ter conquistado pelo menos 9. Começou bem e piorou nas rodadas 5 e 6. Na soma das rodadas, foi razoável.
Palpite para o returno: 9 pontos

Da 7ª Rodada até a 12ª Rodada

2 V - Atlético-GO (c) e Payssandú (c)
2 E - São Caetano (f), Paraná (c)
2 D - Sport (f) e Chapecoense (f)

Ganhou 8 em 18 pontos disputados. Poderia ter conquistados 9 pontos. Razoável.
Palpite para o returno: 8 pontos

Da 13ª Rodada até a 19ª Rodada

4 V - Alliance (f), ASA (c), América-RN (f), ABC (c)
3 E - Bragantino (f), Ceará (c), Boa (f)

Ganhou 15 de 21 disputados. Foi ótimo e o empate dentro de casa foi compensado com a vitória no clássico.
Palpite para o returno: 15 pontos

Total esperado para o returno: 32 pontos

Olhando pelo mando de campo

Jogos em casa

Venceu ABC, ASA, Atlético-GO, Guaratinguetá e Payssandú – resultados esperados, pois são times que estão na parte debaixo da tabela. Eram 15 pontos obrigatórios.

Palpite para o returno: 6 pontos, mas com capricho, chega em 9.

Empatou com Paraná e Ceará – empatar em casa nunca é bom. O Paraná está com um bom time e o Leão foi buscar o empate depois de estar perdendo por 2x0. No jogo com o Ceará o time foi prejudicado com a expulsão do EC e por pouco não perdeu. Era para ter feito pelo menos 4 pontos, pois o empate com o time paranista faz parte dos jogos “aceitáveis” em perder pontos em casa.

Palpite para o returno: 1 ponto. Jogos difíceis, em que trazer 2 pontos poderá ser considerado bom.

Perdeu para Jonville e América-MG – dois resultados horríveis. Contra o rival catarinense, o time foi prejudicado pela arbitragem, mas contra o time mineiro, foi ruindade mesmo. Neste caso, foram 6 pontos perdidos, que poderiam ter sido pelo menos 4 ganhos.

Palpite para o returno: 1 ponto. Jogos difíceis, em que trazer 2 pontos poderá ser considerado bom.

Jogos fora

Venceu América-RN, Icasa e Alliance-Madrid – as duas vitórias contra os times do nordeste foram de virada e mostraram a raça do time. No caso do time potiguar, era quase uma obrigação. Já contra o time cearense, eu esperava apenas o empate. O clássico é sempre uma incógnita e a vitória foi um excelente resultado. A expectativa era de conquistar 5 pontos.

Palpite para o returno: 7 pontos. Contra os times do nordeste, a vitória é obrigação. No clássico, o empate será normal (é claro que espero a vitória).

Empatou com Boa, Bragantino, Oeste e São Caetano – empatar fora quase sempre é bom resultado. Até dá para considerar que contra o Oeste e contra o São Caetano dava para beliscar algo melhor. Dos 12 pontos disputados, dava para sonhar com 6.

Palpite para o returno: Não vai ser tão fácil, mas tem que buscar 4 vitórias e 12 pontos.

Perdeu para Chapecoense, Palmeiras e Sport – derrotas normais, independente dos placares e das atuações. Para quem quer subir, poderia ter arrancando pelo menos 1 ponto.

Palpite para o returno: 5 pontos. 3 jogos difíceis, mas até dá para acreditar em 2 vitórias e 1 empate, conquistando 7 pontos.

Total esperado para o returno: 34 pontos

Se isso acontecer, com os 30 que já tem, o Leão chegará nos 64 pontos, talvez o suficiente para o acesso, mas não garantido.

Para ter mais tranqüilidade, o Avaí precisará caprichar nos jogos contra os times da parte debaixo da tabela, principalmente fora de casa e não bobear contra os principais concorrentes. Se conquistar uns 4 pontos a mais que os meus palpites, chega nos 38, mais que suficientes para o acesso.


Vai para cima deles, Leão!

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Esperanças e Receios

Com a vitória do Leão contra o Dragão, o Avaí saiu do Z4 e diminuiu a distância do G4 para 7 pontos.  Até o final do turno pode diminuir ainda mais esta distância, mas dificilmente vai entrar no G4. Pelos meus palpites, vai faltar uns 5 pontos. Não é um cenário horroroso, considerando o início de campeonato do Leão. É uma distância que pode ser zerada até o fim do campeonato, se a campanha da primeira parte do returno for bem diferente da que vimos no turno.

A esperança disto acontecer é ver que no elenco HM tem vários jogadores de qualidade. M10 e CS88 podem não estar jogando o que sabem, mas é certo que eles têm futebol para ser titular em todas as equipes da série B, basta eles jogarem o que sabem. Além deles, Eduardo Costa, com sua experiência, pode arrumar a cozinha do Leão. No ataque, Márcio Diogo, mesmo não estando tão bem nas últimas partidas, já mostrou que tem qualidade para marcar. Diego Jardel e Igor são outros nomes que me dão esperança.

O receio, é claro, é a zaga. Bruno Maia não me preocupa, mas Leandro Silva anda inseguro e de queridinho da torcida, está virando alvo. Seu passado de campeão estadual o estava imunizando antes, mas a paciência de uma parte da torcida já acabou. Aliás, achei muito feio ver a torcida pegando no pé dele logo no começo do jogo. Porém, já mostrou que sabe jogar, só falta voltar a ter segurança.

Os laterais são uma incógnita. Para serem melhores que os que estavam, não precisam fazer muito. Se acertarem uns dois cruzamentos por jogo, já tá bom. Heracles jogou bem as duas últimas partidas, vamos ver se não é outra amostra grátis. Alex Reinaldo entrou com todo o gás, mas já mostrou que é um do estilo do Arlan: corre muito e cruza pouco, mas pode ser útil.

No meio de campo, além de Eduardo Costa, acho que HM vai ter que colocar mais um para marcar. Por mais bonito que seja, é complicado jogar com 3 meias de criação e só um de marcação. A não ser que CS88 volte para marcar, como fez várias vezes no jogo da terça, porque M10 só olha e Diego Jardel não sabe marcar. Thiesen não é tudo que acham dele. Já Marrone não é tudo que ele acha que é. Alê é bom jogador, mas não está muito bem. Gostaria de ver Ricardinho no meio, pois corre muito e marca em cima.

O ataque está fraco (apenas 13 gols em 11 jogos), mas depende muito da criatividade do meio de campo. Além de surgiram poucas oportunidades durante o jogo, quando a chance que aparece, a turma da frente desperdiça. Há esperança que uma hora isso mude, mas o receio que, como no ano passado, o fim do ano chega e eles não tenham acertado o pé. Reis sabe marcar, mas anda de mal com o gol, Beto é duro de cintura e Tauã não está pronto para decidir. Resumo do ataque: a coisa tá feia.


Esperança não falta, mas o receio da repetição do ano passado é grande.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Hora da Reação

A situação não está fácil, mas tem muito campeonato para jogar a toalha tão cedo.

É verdade que o Avaí precisa conquistar uma montanha de pontos para sonhar com o acesso no final do ano, mas para chegar nos 71 pontos, é preciso primeiro conquistar 3 pontos nesta noite. Nenhuma partida vale 10 pontos e portanto, a fuga do Z4 pode não ser tão rápida e a chegada no G4 pode até demorar. O que não pode é perder de vista os primeiros colocados. Eles já estão um pouco longe, mais ainda dá tempo de alcançar. O Avaí vai enfrentar nestas últimas 9 rodadas do turno, 7 equipes que estão entre a posição 11 e a 20. Então, não é nenhum devaneio acreditar que o time pode encaixar uma boa sequencia de vitórias.

Como diz o ditado, uma caminhada começa com o primeiro passo. E o primeiro passo é hoje. É a chance de HM e seus comandados mostrarem que a torcida ainda pode acreditar neles. É bom que aproveitem a chance e conquistem uma vitória nesta noite, porque senão, vai ser impossível defender qualquer um deles.

Seria bom que fosse acompanhada de um bom futebol, mas pela atual situação, vou me dar por satisfeito se pelo menos o time conquistar os 3 pontos.

Está frio, mas eu vou estar lá, apoiando o Leão.

sábado, 27 de julho de 2013

Mais do mesmo

Mais uma derrota e a coisa tá ficando cada vez pior. HM não consegue fazer o time jogar o futebol que a gente espera. Não há criatividade e as falhas na defesa estão acabando com os esquemas do técnico (se é que tem).

No primeiro tempo, até levar o gol, achei que a partida estava equilibrada, mas sem muitas chances de cada lado. O meio de campo e o ataque do Avaí parecem que não sabem o que fazer com a bola e criam pouquíssimas chances de gol. Apesar das limitações de Tauã e do individualismo do Márcio Diogo, o problema me parece mesmo na falta de criatividade de CS88 e M10. Não é falta de qualidade, mas é falta de inspiração.

Aí veio o gol, que me pareceu falha de marcação do Leandro Silva. O zagueiro deles sobe sozinho e o nosso zagueiro chega atrasado. O Avaí continuou no mesmo ritmo, ou seja, lento e sem criatividade, mas o time do Oeste também não fazia muita coisa. O contra-ataque no final do segundo tempo matou qualquer chance do time na partida. Defesa desarrumada e lenta para voltar, Alê marcando com os olhos e Diego nem se esforçando para ir na bola.

No segundo tempo, pouca coisa mudou e naquele ritmo, o empate não chegaria nunca. O terceiro gol não refletia a partida, pois o time do Oeste também não fez tudo isto para merecer o placar. Leandro Silva ficou reclamando do juiz ao invés de prestar atenção no atacante que estava atrás deles. Nova falha do zagueiro que até tirou várias bolas, mas reclama muito dos companheiros, como se só os outros fossem culpados pelos erros do time. Ele me lembra uns caras que jogam comigo, que estão sempre reclamando dos outros, mas são os que mais erram.

Para não dizer que tudo foi ruim, gostei do Héracles, que apoiou bem e pode ajudar o time. Luciano, que entrou no segundo tempo também foi uma boa surpresa. Reis entrou com vontade e Diego Jardel fez uma fumacinha.

O negócio tá feio e o clima entre os jogadores não parece muito bom. Não quero jogar lenha na fogueira, mas realmente parece que o grupo não está tão unido como dizem.

Perder em Chapecó é um resultado normal. O que não é normal é o futebol que o Avaí está mostrando.

Faltam 28 partidas, das quais serão 15 na Ressacada e 13 fora. Para chegar aos 71 pontos, que foi a pontuação que o quarto colocado teve no ano passado, o Leão vai precisar fazer 62 pontos, o que significa 17 vitórias e 11 empates. Para cada derrota, uma vitória a mais deve ser acrescida nesta conta. Ou seja, se conseguir vencer todas as partidas que faltam em casa, ainda vai precisar buscar 2 fora e empatar todas as outras.

É desanimador, mas só vou jogar a toalha quando a calculadora não me permitir mais sonhar.

Maria, não desista!

sábado, 20 de julho de 2013

Maria, não vá com os outros

Eu achava que o Avaí não deveria ter contratado o HM para o lugar do Ricardinho, mas uma vez que isto aconteceu, ele tem a minha torcida para conseguir o maior sucesso possível e quem sabe, conseguir o acesso ao final deste ano.

Não achava o HM o técnico esplêndido que muitos enxergavam, mas não é por causa de três jogos que acho que ele é péssimo. Não concordo com algumas de suas escolhas, mas não estou no dia-a-dia dos treinos para ousar achar que sei mais do que ele de quais são as melhores opções para o time.

Só espero que ele não fique mudando o time a cada tropeço, para dar uma satisfação para a torcida, imprensa ou diretoria. É preciso que ele tenha convicção do seu trabalho.

Trocar porque um reserva está mostrando nos treinos que está melhor é válido, mas mudar porque alguém falhou em uma partida não me parece uma boa medida, a não ser que os erros estejam se repetindo.

É por isso que espero que o HM saiba conduzir o time do seu modo, sem dar ouvido a quem não tem responsabilidade com resultado.

O Avaí de HM ainda está em formação, apesar do tempo que teve de folga. Ele não tem muito tempo para “encaixar” o time ideal, pois o time já disputou um quarto da competição e está vendo o grupo da frente se distanciar.

Até agora o Leão já enfrentou 6 dois 8 primeiros colocados (2 E / 4 D) e apenas 3 times (2 V e 1 E) fora deste grupo. Isto tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom é que o resto da tabela não é tão indigesto, quando o Avaí poderá diminuir a distância que o separa do grupo da frente. O lado ruim é isto significa que o desempenho contra os principais concorrentes ao acesso foi muito ruim e isto só poderá ser recuperado no returno.

A tarefa de Hémerson Maria é manter o time motivado e seu maior desafio vai acontecer na 14ª rodada, quando enfrenta o time do Estreito. Até lá, vai viajar a Chapecó, receber o rubro-negro de Goiás e o Papão do Pará na Ressacada e ir até a terra da lingüiça.

Espero que até chegar este dia, o time já esteja mais afinado e tenha conquistado, pelo menos, uns 8 pontos, dos 12 que vai disputar antes do clássico.


Arruma este time Maria.

domingo, 14 de julho de 2013

Pouca transpiração, nenhuma inspiração

O Avaí novamente não fez um bom futebol e não conseguiu a vitória que a torcida esperava. O resultado foi ruim. Podem até considerar que, pelo o que aconteceu no primeiro tempo, conseguir empatar já foi lucro, mas a verdade é que foram dois pontos que o Avaí não poderá usar para a conta do acesso.

Estive na Ressacada e minha primeira decepção foi com a torcida. Sábado de sol, temperatura agradável, horário bom, estreia do técnico que a torcida queria na Ressacada, um evento no almoço para atrair os torcedores, etc. Muitos motivos para a torcida comparecer ao estádio para empurrar o time para uma importante vitória. Mas pouco mais de 5000 torcedores compareceram. E o pior foi ver a geladeira que estava a torcida. Não apoiou o time e até vaiou. Só começou a incentivar quando fez o primeiro gol. Novamente foi o time que acendeu  a torcida e não o contrário.

No campo, não vi nenhuma organização, como muitos esperam do time treinado por HM. O resultado de 2x0 no primeiro também não refletiu o que aconteceu em campo, porque o time do Paraná não foi tão superior a ponto de justificar os gols. Foram as falhas na defesa que custaram os gols.

No primeiro gol, a falha começa com Rodrigo Thiesen, que não acompanha o atacante que fez 1-2 com outro atacante, continua com o zagueiro Bruno Maia, que levou o drible e termina com Aélson, que só precisava ficar parado na frente do atacante, mas resolveu ficar de costas para o lance.

No segundo gol, a falha começa com uma furada de, se não me engano, Rodrigo Thiesen. A bola foi lançada nas costa de Bovi, que estava marcando mais a frente. O gol novamente foi em cima do Aelson, mas que desta vez, teve menos culpa. Diego estava mal posicionado.

A torcida, ao invés de ajudar, vaiava, principalmente quando Bovi pegava na bola. Até parece que ele era o único que jogava mal. Este rapaz atingiu o patamar de intolerância que outros jogadores já alcançaram com a torcida, como Robinho, Dirceu e Marcos Vinícius. Se eu fosse HM só escalaria ele (se escalasse) em jogos fora de casa, pois na Ressacada ele não poderá errar nenhuma bola, que será vaiado. Sendo assim, não vai querer arriscar nenhum chute ou cruzamento. Alex Reinaldo entrou e fez uma boa fumaça, devendo ganhar a posição na próxima partida. Mas também não é nenhum assombro para a gente ficar otimista. Aélson tem vontade, mas não tem qualidade para a série B. Marrone como lateral é um bom volante. Resumo das laterais: estamos perdidos.

A zaga, como escrevi no jogo contra o São Caetano, precisa melhorar e só não havia levado gol em São Bernardo, porque o ataque do azulão de lá é ruim.

Rodrigo Thiesen tem que entender que sua capacidade de passar a bola só é eficaz num raio menor que 1 m. Acima desta distância a chance de errar é muito grande. Eduardo Costa errou algumas vezes, marcou outras com os olhos, mas no geral, não esteve tão mal.

CS 88 foi para mim, a grande decepção da partida. Eu sei que tinha um carrapato ao seu lado, mas craque como ele é, poderia aparecer mais para o jogo. Ele fica perdido na frente, esperando receber a bola. Ele precisa recuar para começar a jogada, pois tem muita qualidade. Foi muito mal e como deve ser um dos que mais ganha no time, tem que sair mais cobrado que os outros. Diego Jardel não estava uma maravilha, mas não deveria ter sido substituído. Foi dos pés dele que o Avaí criou as poucas oportunidades do primeiro tempo.

Reis está mal e além disso, a bola não chega nos seus pés. Márcio Diogo foi, para mim, o melhor da partida. Não estava bem no primeiro tempo, mas participou dos dois lances dos gols, fazendo inclusive o segundo. Tauã entrou bem, mas tem que melhorar para ser titular.

HM ainda tem muito crédito para gastar, mas precisa consertar muita coisa no time. O time não está organizado e parece que o clima não está tão bom assim.

A distância para os primeiros está aumentando e daqui a pouco não haverá mais tempo para alcançar.

Acorda Avaí.

domingo, 7 de julho de 2013

O que mudou?

O Avaí voltou a jogar pela série B e empatou com o São Caetano, fora de casa. Resultado ruim? Depende. O time de Chapecó conseguiu vencer lá dentro, mas o Atlético de Goiás perdeu. Acho que poderia ser melhor, mas dá para aceitar o resultado.

O futebol, no entanto, é que não foi dos melhores. A defesa levou alguns sustos e bateu cabeça algumas vezes. Ninguém vai me convencer que o HM já arrumou a cozinha do Leão. O meio de campo não fez muita coisa e o CS88 não parece muito contente com a vida. No ataque, faltou pontaria e habilidade. Ou seja, o técnico mudou, mas o futebol não muito. 

Se o técnico fosse o Ricardinho, a maioria ia dizer que não passou de um empate e mostrou as falhas do ataque de sempre e só não levou gol porque o ataque do São Caetano é muito ruim. Mas como é o HM, acho que a maioria vai dizer que foi um ponto conquistado fora de casa, que a defesa está mais organizada e o que o ataque criou oportunidades, mas faltou capricho dos atacantes.

Tudo é uma questão de boa ou má vontade. Quando se quer, só se vê o copo meio cheio, que é o caso de muitos agora, porque o HM está no comando. Do mesmo modo, muitas vezes, apenas por uma questão de antipatia, só se vê o copo meio vazio, como na era Ricardinho.

Não vi nada muito diferente no Avaí de hoje em relação ao Leão de maio e junho. Toca, toca e não faz nada. Quando a oportunidade surge, o ataque não aproveita. A diferença é que hoje os atacantes adversários não aproveitaram as falhas da defesa avaiana.

Agora é torcer para que o HM veja os problemas desta partida e conserte para a próxima. Quem sabe com M10 em campo, tenhamos um pouco mais de criatividade, pois CS88 e Jardel não estavam inspirados.

O Leão está 5 pontos distante do último do G4, que é time do professor Pardal. Ainda tem muito jogo pela frente, mas é bom se aproximar logo do pelotão da frente, porque depois vai ser tarde.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Os inhos e o retorno de HM

Ricardinho já é passado. Hémerson Maria é o presente. Vamos torcer pelo seu sucesso. Mas antes, quero refletir sobre o que aconteceu.

Antes de mais nada, uma breve história: fui na padaria e perguntei ao dono, que é avaiano e havia ido ao jogo na terça: jogaram mal ou fizeram corpo mole? Ele respondeu, sem titubear: fizeram corpo mole para demitir o técnico.

Ricardinho não é um mau técnico, mas não conseguiu os resultados que precisava. Agora está na moda dizer que ele não conseguiu dar um padrão de jogo ao Avaí. A maioria que diz isso nem sabe definir o que é padrão de jogo. Falam porque ouviram ou leram em algum lugar e ficam repetindo como donos de uma verdade que não existe. O que faltou ao Ricardinho foi a primeira das qualidades do técnico: liderar o grupo. Ele não conseguiu se impor e não tinha as costas quentes.

Além disso, parece que não conseguiu colocar o M10 ao seu lado. E isto é um problema para qualquer técnico no Avaí. Ter um ídolo e craque que é torcedor do time é sempre bom, pois ele realmente veste a camisa. Porém, se ele for maior que o comandante, que foi o caso do Marquinhos em relação ao Ricardinho, é problema. Ficar pedindo a bênção para o galego não deve ser fácil para nenhum técnico. Quando no elenco existem jogadores que são mais fortes que o técnico, isto pode se tornar um grande problema.

M10 é craque, tem história, já fez muito para o clube, mas isso não o isenta de críticas e não lhe dá o direito de fazer corpo mole para tirar o técnico. E não foi a primeira vez que fez isso. Apesar do sobrenome, não é santo. Isto não significa que eu o quero longe do Avaí. Como já disse, é craque e o Avaí só melhora com ele. Mas ele precisa querer jogar. Tem que entender que apesar de ídolo, não é maior que o clube. Ele vai parar de jogar e o Avaí vai continuar.

O Avaí não pode ser refém dele e de mais alguns que se acham os maiorais dentro do time: Diego, Leandro Silva, Eduardo Costa, Marquinhos Santos e Cléber Santana. São bons jogadores e líderes do grupo. Eles também devem ser cobrados pelo desempenho da equipe. É quase meio time. Não dá para culpar somente o técnico e a diretoria. Se incluirmos Márcio Diogo, que também é bom jogador, vamos ver que mais da metade do time tem qualidade garantida. Então não é por falta de elenco. A cobrança que querem fazer da diretoria e do técnico, também deve ser feita aos jogadores, principalmente esta turma que citei, que ganham muito bem.

Agora vem o Hémerson Maria. É curiosa a reação de muita gente na blogosfera. Falam que ele nem devia ter saído, que foi uma injustiça, etc. Pesquisei na blogosfera como tinha sido a reação deste pessoal, em março de 2012, quando a diretoria anunciou que ele assumira o comando no lugar do Mauro Ovelha. Alguns cravaram que não ia dar certo:

"Se vai dar certo? A chance é tão pequena que eu duvido que alguém esteja realmente apostando nisso."
"O que quer dizer? Que o Avaí não tem dinheiro para contratar um técnico de verdade."
"Com todo o respeito a dupla apresentada mas, Hemerson Maria, desde que chegou ao Avaí para treinar o Sub-20 em 2011, se não me engano, nunca ganhou nada".
"... não sei se terão pulso para comandar a equipe profissional de garotos mimados..."

Toda a blogosfera desejou boa sorte ao técnico, mas só vi um acreditar de verdade que ia dar certo.

HM foi campeão e virou santo e super competente. Um pouco mais e já poderia treinar a seleção brasileira. Mas daí veio a série B e o encanto acabou. Mas como um título sempre amacia a torcida, a cada derrota, a culpa era da diretoria. Não era dos jogadores nem do técnico. Ainda assim, muita gente reclamava do jeito defensivo que HM armava o time quando jogava fora de casa. Quando a diretoria o demitiu, aí virou novamente santo e injustiçado. Interessante que ele comandou o time durante 25 jogos na série B e nunca conseguiu colocar o time no G4. Fosse outro técnico, a torcida já tinha pedido sua cabeça antes de acabar o turno.

Acredito que ele possa neste ano, ter um desempenho melhor que no ano passado. O elenco é melhor e o técnico está mais experiente. Como conta com o respeito do CS88 e imagino também do M10, poderá conseguir liderar o grupo. Tem a seu favor o título estadual do ano passado e o apoio do torcedor.

A situação poderá ser parecida com o ano passado, que com o mesmo elenco, que a torcida disse que podia mandar tudo embora depois da derrota para o Camboriú, conseguiu levar o time para a decisão e conquistar o título.

Vamos torcer para que HM entre de vez para história do Avaí como o técnico que subiu o Leão novamente para a série A.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Não precisamos de inimigos

Quem não sabe os resultados e lê alguns blogs e comentários, pensa que o Avaí perdeu todas as partidas que disputou até agora na série B, tamanha é a vontade que alguns torcedores tem em demitir o técnico Ricardinho.

Talvez ele não seja uma sumidade, mas se o critério mais usado pela torcida para pedir a cabeça de um técnico seja o critério dos resultados, então é preciso esperar um pouco mais para justificar sua demissão, pois 7 pontos em 12 disputados, sendo 3 partidas fora de casa não me parece suficiente para isto.

Leio alguns falando sobre falta de padrão de jogo do time avaiano. Com todo respeito, mas a maioria dos ispecialistas nem sabe identificar o padrão de jogo de qualquer time. Aliás, a maioria dos times nem tem padrão de jogo.

Em relação a escalação, os torcedores mudam de opinião como o vento muda em Florianópolis. Antes o Reis é a solução, agora, está quase virando um poste. Alguns querem Tauã, mas ao lado do Márcio Diogo, certamente, no primeiro revez, seriam alvo de críticas, por serem baixinhos. Aliás, já li que o defeito do time era ser um grupo de baixinhos. Eduardo Costa era a experiência que o time precisava lá atrás, só que agora o correto é torná-lo um espécie de líbero ou zagueiro da sobra. O M10 estava sobrecarregado, mas agora com o CS88, qual será a justificativa para a produção baixa dos dois?

A torcida pode inventar qualquer escalação, fazer quantas mudanças quiserem, ou sugerirem as substituições mais criativas possíveis, pois não tem a responsabilidade do resultado. Eu também acho que em algumas partidas a substituição pode não ter sido a ideal, mas não garanto que a minha teria mais resultado.

Vejo que em alguns casos, a blogosfera repete exaustivamente uma opinião até que ela vire verdade. A verdade agora é que o Ricardinho não é um bom técnico. Se o time vence, foi por causa dos jogadores, mas se perde, certamente será culpa do Ricardinho. Não vou defendê-lo, até porque não sou fã do seu trabalho, mas também não vejo nada de errado no que vem fazendo até agora. 

A série B está no começo e para quem não se lembra, em 2008, sob o comando de Silas, o Avaí, levou 5 rodadas para chegar a 7 pontos, vencendo a primeira, fora de casa, e empatando 4 seguidas, sendo duas, dentro da Ressacada. Naquela época a cabeça do Silas também já estava começando a ser pedida, mas o maior acerto da diretoria foi tê-lo mantido, assim, como fez no ano seguinte, mesmo após aquele começo desastroso na série A.

Pra encerrar, que técnico burro este do Coritiba que escala o Robinho como titular. Se ouvisse os ispecialistas da torcida avaiana não faria esta besteira.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Prós e Contras do empate e nossa arrogância

O time fez um bom início de jogo, marcando o gol logo no começo e parecia que teria uma noite tranquila. Mas, aos poucos, o time paulista foi tomando conta do jogo e nosso meio de campo foi sumindo. Passou a maior parte do jogo se livrando da bola. Nos raros momentos que tocava a bola, chegava até com algum perigo no ataque.

Levar o gol de empate no último lance, e ainda por cima do goleiro, transformou o ponto conquistado fora de casa, num sentimento de perda de 2 pontos. Nem vou discutir as alterações do Ricardinho, porque depois do jogo é fácil dizer o que se deveria fazer, e mesmo assim, não se tem garantia do sucesso.

Todo mundo reclamava que o M10 estava sozinho e precisava de alguém para ajudá-lo. A diretoria trouxe o CS88 e a magia só durante 20 minutos. Agora a torcida diz que a culpa é do Ricardinho. É claro que ele como treinador tem sua grande parcela de culpa, mas vamos ser honestos, a turma que corre atrás da bola também tem culpa no cartório, começando por M10 e CS88 que, se não se esconderam do jogo, deram uma sumidinha básica.

É certo que os 3 pontos poderiam ter vindo até de uma forma mais tranquila, mas reclamar de "só empatar com o Oeste fora de casa" me parece um pouco de arrogância por parte da torcida avaiana. Será que o time do Avaí é tão bom assim que empatar fora é perder ponto? Não duvido que o time paulista sofra várias derrotas em casa, mas também é possível que faça um papel razoável em casa. No campeonato paulista, por exemplo, seu desempenho em casa foi de 4 vitórias, 3 empates e 3 derrotas (São Bernado, Santos e Palmeiras).

A série B está no começo e queimar alguns jogadores por causa de uma partida é um pouco precipitado. Vou esperar pela terça-feira para daí sim, poder avaliar melhor o time avaiano.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Só faltam 38 partidas para o acesso

A correria está grande, mas enquanto a Beatriz está sossegada no colo da vó, vou escrever um pouco sobre o Avaí:

- Copa do Brasil

Acho que o time começou bem, mas se perdeu um pouco depois de levar o primeiro gol. Ainda assim, continuou levando mais perigo ao adversário do que o contrário. Mas quando levou o segundo gol, aí a casa desmoronou e nada mais deu certo. Avaliar o jogo pelos 20 minutos finais não é correto. O time não teve qualidade para reagir, mas o resultado foi um acaso. Infelizmente o Leão está fora, mas esta não era a competição principal do Avaí, que sejamos honestos, não tinha muito chance de chegar longe, principalmente pelos adversários seguintes. Bola pra frente, que ano que vem tem mais.

- M10 e C88

Quando naquela pelada de amigos você tem dois caras que sabe que jogam bem, se você puder não coloca os dois no teu time? Ou você acha que um pode atrapalhar o outro? Ninguém pode garantir o sucesso da dupla, mas é mais fácil ter esperança com os dois juntos do que com o Rodrigo Thiesen ajudando na armação da jogada (é só um exemplo, poderia ser o Marrone ou o Alê). Acho que vai este meio de campo, com M10, CS88  e EC pode marcar época e se tornar um dos melhores que já passaram pela Ressacada. Para isto eles vão ter que mostrar o que sabem jogar.

- Série B

Não conheço todos os times, mas pelo seu passado e estrutura e pelo desempenho nos estaduais, divido os clubes em três grupos, dos candidatos ao acesso,  passando pelo bloco intermediário e chegando na turma que vai lutar para ficar.

Quem tem chance de subir: América-MG, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Figueirense, Palmeiras e Sport.

Quem vai ficar no meio da tabela: ABC, América-RN, Bragantino, Chapecoense, Joinville, Payssandu, Paraná.

Quem vai lutar para ficar: ASA, Boa, Guaratinguetá, Icasa, Oeste e São Caetano.

É claro que para um chute deste tamanho, a chance de erro é grande, podendo alguém do grupo de cima parar lá embaixo e alguém cravado para a C aparecer entre os primeiros. Sem contar a turma do meio que pode balançar para qualquer lado.

- Palpites para a primeira rodada

Oeste 1x3 Avaí
São Caetano 1x1 Ceará
Boa 2x2 Chapecoense
Payssandu 2x0 ASA
Figueirense 1x0 América-RN
Joinville 2x0 Bragantino
Icasa 1x1 Sport
Palmeiras 2x0 Atlético-GO
ABC 2x0 Paraná
Guaratinguetá 2x2 América-MG

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Avaianos pelo mundo

Vou copiar o Tarnowsky e mostrar um avaiano de grande valor, o Dinho, que está na Austrália, junto com sua esposa, Priscila, torcedora do Fluzão, e suas filhas Rayssa e Thais.

Logo estarão de volta à terrinha, e o Dinho vai poder novamente presenciar a volta do Leão para a série A.

Boa viagem de retorno.


quinta-feira, 16 de maio de 2013

A torcida do Avaí aumentou

O blog esteve em ritmo mais lento nos últimos meses por um motivo bem justo: dedicar meu tempo para cuidar dos preparativos para receber minha filha.

E para minha imensa felicidade, ela chegou, nossa Beatriz, com muita saúde, neste dia 13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima.

O Avaí vai ganhar com certeza mais uma torcedora, pois sua primeira vestimenta, ainda dentro do centro cirúrgico, já foi azul e branco.

O tempo vai continuar escasso, agora para cuidar daquela que veio trazer alegria, mas eu vou dar um jeito de continuar comentando sobre o Leão da Ilha.


quarta-feira, 8 de maio de 2013

Fomos quem podíamos ser

Um dia me disseram
Que os atletas só davam chutão
Um dia me disseram
Que o galego às vezes erra a direção
E tudo ficou tão claro
Olhei pro banco e vi um cara magrão
Um jogador de brilho raro
Não acerta nem o travessão

A torcida isenta o craque
E malha o presidente outra vez
Disputando um campeonato
Que não paga a conta do mês

Fomos quem podíamos ser
Fomos quem podíamos ser

Um dia me disseram
Quem eram os donos da federação
Sem querer eles me deram
Motivos para mudar de estação
E tudo ficou tão claro
O que era raro ficou comum
Como um veneno depois de outro
Um comentário, um comentário comum

A torcida isenta o craque
E malha o presidente outra vez
Disputando um campeonato
Que não paga a conta do mês

Fomos quem podíamos ser
Fomos quem podíamos ser

Um dia me disseram
Que a torcida sempre tinha razão
Sem querer eles me deram
Ter liberdade de expressão

Quem está jogando tem culpa
Quem comanda o grupo também
A diretoria sempre tem culpa
Mas a nossa torcida também

Fomos quem podíamos ser
Fomos quem podíamos ser

sexta-feira, 26 de abril de 2013

As credenciais, o bloqueio da carteira e o jogo


Fui na Ressacada para assistir ao jogo contra o Volta Redonda e vou resumir o roteiro da noite:

1 - As credenciais

Fui buscar um credencial para um amigo meu. Como não podia ir antes na Ressacada, tentei chegar mais cedo ao estádio, prevendo uma fila. Cheguei às 18:30 e a fila já estava próximo da rua. O sistema de entrega era relativamente rápido, mas a falta de educação de alguns jovens avaianos, querendo dar uma de espertinho e furando a fila é de tirar a gente do sério. Não quis dar um pito nos moleques porque, além de não ser do meu estilo, não queria sarna para me coçar. Mas que eles mereciam uma boa chamada de atenção, mereciam. Sobre a fila, minha única sugestão é usar o método das senhas, como já fazem na secretaria.
Sobre a entrega das credenciais, minha sugestão é que, além desta modalidade de entregar uma credencial, eles também liberassem o uso da carteira para duas entradas, diretamente na catraca, como já fizeram uma vez. Ou seja, se eu ir antes, pego uma credencial, e bloqueio a minha segunda entrada. Se não puder, eu vou na hora do jogo, com meu convidado e passo a carteira duas vezes.

2 - O bloqueio das carteiras

Tive minha carteira bloqueada, mas eles não souberam me explicar o motivo. Para não perder tempo na fila, aceitei deixar a carteira para esclarecer outro dia. Meu pagamento é pela conta de energia, que está em dia, pois é débito automático. Logo, não era por atraso. Li no blog do Alexandre Aguiar (clique aqui) os motivos apresentados pelo clube para retenção da carteira (atraso, chip, numeração, boletos, segunda via, carteira antiga e outros motivos desconhecidos).

No meu caso, a secretaria me informou, hoje, que o motivo era que a Celesc não estava repassando as informações de pagamento para o clube. Suponho então que entrei na categoria da falta de pagamento. Como já expliquei acima, estou em dia com o clube, mas não tenho culpa se o método que o próprio clube disponibilizou não está dando certo. Eles pediram para tirar uma cópia da fatura e mandar para eles para comprovar o pagamento. Fiz isto e mandei por e-mail. Felizmente, pude resolver isto já hoje, mas acredito que eu ia me aborrecer bastante se deixasse para resolver no domingo. Quero registrar que a pessoa da secretaria me atendeu com muita calma e educação, liberou a carteira, garantindo que eu posso assistir ao jogo no domingo, antes mesmo de eu enviar o comprovante. Espero que eu não me decepcione.

Minha sugestão em relação ao bloqueio de carteiras é o seguinte:

Para começar, o sistema precisaria ser programado para diferenciar o primeiro bloqueio da carteira. Não acho que seja difícil gerar um novo código para isso.

No caso de primeiro bloqueio, o sócio seria avisado que há algum problema com a carteira e que ele deve procurar a secretaria, por telefone, e-mail ou pessoalmente. Neste caso, ele não teria a carteira retida e poderia assistir ao jogo. Entretanto, seria avisado que só poderia assistir ao próximo jogo, se resolvesse sua situação, pois seu acesso só voltaria a ser liberado após resolver a pendência com a secretaria.

No meu caso, por exemplo, eu poderia resolver o problema sem precisar ir na Ressacada, pois a carteira continuaria comigo.

Para o clube, teria a vantagem de não precisar ficar guardando uma centena de carteiras, e gerando imensas filas na hora do jogo para resolver a situação e devolver a carteira.

3 - O Jogo

O Avaí jogou muito bem e manteve a calma mesmo levando o gol do empate e não tendo a torcida ajudando (pelo menos no setor A). Volto a dizer que a torcida só ajuda quando o time está vencendo. Aí não precisa da torcida. O time precisa do grito do torcedor justamente quando está numa situação difícil. Isto só acontece num único jogo, que é o clássico.

No jogo, a concordância quase geral é que nossa zaga dá nos nervos, apesar que em alguns lances, a falha começou no meio de campo, com erros de Eduardo Costa ou Alê.

Apesar disso, o time jogo bem, com destaque para Alê, que acertou quase tudo. Ygor também foi bem, principalmente no primeiro tempo, mostrando muita mobilidade e tentando criar situações de ataque. Se o CS10 não vier, talvez possa se tornar o companheiro do M10 para a série B.

Reis até fez o gol, mas ainda precisa melhorar para voltar a condição que se apresentou nos primeiros jogos. Roberson parece ser bom de bola, mas precisa encontrar seu espaço no campo.

Arlan esteve bem e Julinho mostrou que se quiser, pode ser titular absoluto. Marquinhos Santos não esteve tão bem, mas deu sua preciosa contribuição com a cobrança perfeita da falta. Acho engraçado que a torcida  aplaude até erro de passe do galego. Ele é imune a falhas e provavelmente tem gente que vai ficar brabo pela minha insolência em falar um pouquinho mal do craque avaiano. Tô nem aí. Opinião é que nem... nariz, cada um tem a sua. Isto não significa que não ache ele importante para o time. Apenas estou dizendo que na partida de ontem (e em várias outras) ele não jogou o que sabe.

Tauã não entrou bem e parecia nervoso. Ricardinho é um motorzinho e só não é titular porque vai ser difícil tirar EC e Alê. Danilo entrou e guardou o seu, mas não vai ter chance no time titular.

Passada esta fase, agora é pensar de novo no estadual. A parada de domingo é difícil, mas o jogo de quarta deu esperança.

domingo, 21 de abril de 2013

Vencer e não reclamar

Neste domingo o Avaí entra em campo como favoritíssimo contra o rebaixado time do Camboriú. Não tem outro resultado senão a vitória para o Leão da Ilha. Eu sei que no campo são 11 contra 11 e blá, blá, blá, mas o time do Marquinhos tem obrigação de vencer.

Parece que o time de Camboriú vem com vários jogadores da base. Alguns pensam que isto pode dificultar o jogo, pois os garotos vão jogar com vontade. Olha, eles podem até complicar o jogo, mas eu não acredito. Se eles fossem tão bons a ponto de endurecer um jogo contra o time do Avaí, era certo que seriam titulares durante o campeonato. Essa de que jogar contra os reservas é mais difícil porque querem mostrar serviço é desculpa para incompetente.

Talvez o começo do jogo possa até ser um pouco difícil, dada a vontade que os garotos podem mostrar, marcando e correndo, mas isto não vai durar nem o primeiro tempo inteiro. Além disso, independente da vontade do adversário, é o time do Avaí que tem que mostrar serviço. Não querem ser campeões? Então mostrem um pouco de futebol.

Não espero uma vitória de 10x0, mas que seja, pelo menos, de uns 2x0. Os três pontos é que valem, é verdade, mas terminar o returno com uma vitória sofrida contra o lanterna do campeonato não será um bom sinal para o que vem pela frente. De qualquer maneira, a torcida tem que incentivar, independente do placar.   Mesmo que venha uma vitória magra, o importante será vencer e para isso, o apoio da torcida é muito importante.

Com a vitória, virá a classificação para as semifinais. Aí será outra história. Talvez a motivação seja outra, mas um time não começa a jogar bem de uma hora para outra. Ricardinho teve a semana toda para treinar e talvez o time apresente um pouco mais de organização.

Eu que sou otimista por natureza, estou meio cético quanto às chances do Avaí de conquistar o bicampeonato. As atuações do time no campeonato não enchem o torcedor de esperança. O que me consola é ver os adversários, que também não são isso tudo. O time do sul, o do oeste e o de rosa, prováveis adversários nas finais, não assustam ninguém. O time do carvão cresceu no final, mas não se sabe o quanto isto é chama ou brasa. O time do oeste fez bonito no turno e caiu no returno, mas a força da aldeia  é sempre forte e não é todo o dia que se ganha lá dentro. O time do professor pardal pode jogar bem como tentar amorcegar o jogo e se dar mal.

Será que teremos um replay do ano passado? Não temos CS10 mas temos M10. Vamos acompanhar os próximos capítulos.

Neste domingo, o que interessa é torcer pelo Leão.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Reforçando o adversário

A diretoria do Avaí liberou os setores E e F para a torcida do Estreito no clássico do próximo domingo. O setor E é aquela parte coberta que eles já liberaram várias vezes para a torcida adversária.

Por mais que alguém queira defender esta ideia dizendo que aquela parte nunca é preenchida e que é uma maneira de arrecadar dinheiro, eu acho que mais importante do que a parte financeira, é o respeito pela torcida do Avaí.

Aquele espaço é da torcida do Avaí, tanto que no próprio site do clube é oferecido cadeiras para o setor E. Sendo assim, não pode se admitir que a diretoria em determinados jogos coloque torcedores adversários naquele espaço, ainda mais da torcida mais rival que temos.

Pelo que sei, o clube é obrigado a oferecer 10 % da capacidade do estádio para a torcida adversária. Só o setor E tem capacidade para 993 pessoas e o setor F+G+H tem capacidade para mais 3320 pessoas. Ou seja, para não ultrapassar os 1780 lugares, que é o mínimo exigido, o setor F terá que ser reduzido para 800 lugares. Será assim, ou veremos 2000 torcedores alvirosados no estádio?

Eu sei que o jogo é decidido no campo e que a maior ou menor presença da torcida adversária não garante a vitória ou a derrota, mas convenhamos que liberar um número maior de lugares para eles é reforçar o adversário, visto que mais torcedores deles estarão lá, apoiando os jogadores multicoloridos. Para mim, quanto menos torcida adversária, melhor para o time que eu torço.

Por fim,é uma temeridade deixar os torcedores do Estreito ocuparem os lugares do setor E, visto que em cima deles estão camarotes de avaianos e esta combinação normalmente não dá certo.

Em relação a quem pensa que aquele poderia ser um setor misto, quero dizer que apoiaria a ideia se tivesse certeza que lá estariam apenas torcedores da paz que sabem curtir um jogo e sabem brincar com o resultado. Infelizmente, esta espécie é cada vez mais rara no estádio. Num jogo como este, até mesmo aqueles que sabem conviver harmoniosamente com os adversários podem se transformar em torcedores exaltados.

Para que isto acontecesse seria preciso criar uma cultura para ter um espaço misto em todos os jogos, que serviria para que famílias que torcem por times adversários pudessem ver o jogo juntos. Estive uma vez no Maracanã, assistindo a Fluminense e Vasco num setor misto e achei muito legal. Mas aquilo não era uma novidade e além disso, a quantidade de jogos entre os 4 times do Rio é bem maior, além do Maracanã ter espaço de sobra para se poder dar ao luxo de reservar uma parte do estádio para isso. Não é o caso de Florianópolis, que só tem 2 times e da Ressacada, que não é tão grande assim. Sendo assim, sou contra o setor misto.

Por fim, quero dar nota ZERO para a diretoria avaiana por esta ideia. Prefiro ver o setor E vazio, do que ocupado por qualquer torcida, ainda mais dos nossos queridíssimos amigos do Estreito.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Sem preocupações

A derrota em Joinville, apesar de doída, não tirou o ânimo da sempre otimista torcida avaiana. Pelos comentários da blogofera azul, percebe-se que a maioria considerou que a derrota poderia acontecer, apesar do placar mais elástico do que se imaginava.

Ninguém fez terra arrasada. Assim como não haviam se empolgado com as vitórias anteriores, também agora poucos largaram a toalha por causa desta derrota.

Como o técnico só havia feito três partidas, é consenso que ele ainda está ajustando o time e por isso é cedo para considerar que ficando com ele, o fracasso na série B é certo. Retranqueiro ou aposta mal feita também são coisas que não encontrei por ai.

Em relação às substituições, ninguém deu uma de profeta do passado (aquele que afirma categoricamente as coisas, mas só depois do fato acontecido). Todos ficaram com a mesma opinião que tinham até o Avaí tomar o primeiro gol, afinal o time não tinha jogado mal no primeiro tempo e se mantivesse a postura, traria pelo menos 1 ponto. Logo todos concordaram que era esse mesmo o time que deveria ter sido escalado.

Ygor jogou uns 30 minutos (se tanto) e por isso foi poupado pelos torcedores, já que sabem que não é possível, com tão pouco tempo de jogo, avaliar seriamente um jogador. Insinuações sobre a força de seu empresário ou que jogador desse nível a gente tem na base, é outra coisa que não vi.

Em relação ao jogo, o que se viu foi um time entrosado e que não sentiu a sequencia de partidas em campo molhado e o fato da última partida ter sido tão recente (quinta-feira).

Dizer que o time jogou para empatar e por isso mereceu perder também foi outra pérola que não li.

Não vi ninguém dizer que Diego falhou no gol. É claro que o melhor era ficar dentro do gol e torcer para o jogador adversário chutar para fora.

A zaga foi perdoada, pois o senso de colocação dos zagueiros novamente não nos preocupou.

Arlan novamente se destacou, principalmente pelo sua audácia de querer sair driblando no meio de tantos atacantes adversários. Seu apoio ao ataque e seus cruzamentos precisos quase resultaram em lances de perigo.

O meio de campo não sentiu falta do Marquinhos. Apesar que todo mundo já estava reclamando da ausência do galego durante todo o primeiro tempo. O primeiro gol apenas fez a maioria lembrar do cartão amarelo forçado, que todos já haviam condenado, pois era mais importante ele estar em Joinville do que correr o risco de não jogar o clássico.

No ataque, o Roberson esteve bem atento ao jogo e por isso foi até elogiado, enquanto Reis ficou batendo cabeça e pouco produziu. Mas ele não tem que se preocupar, pois assim como os 4 gols não fizeram dele a nova esperança de gols, ficar duas partidas sem marca fará dele um novo poste. A torcida tem paciência sim.

A esperança de uma vitória no clássico e da conquista do bicampeonato ainda são muito grandes para a grande maioria e independente do resultado no clássico, é certo que no jogo contra o Camboriú, a Ressacada vai lotar, como aliás, foi normal nos últimos tempos, pois agora não se dá mais desculpa nenhuma para não ir na Ressacada, seja horário, trânsito, chuva, lei seca ou qualquer outra coisa.

Esta postagem foi uma homenagem ao dia primeiro de abril.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Vitória na medida certa

É claro que a gente gostaria de ver uma goleada em cima do Moleque Travesso, mas isto ia ter um efeito colateral: esconder as muitas deficiências do time.

Se o time goleasse, o técnico Ricardinho não ia poder chamar a atenção dos zagueiros, que perderam todas as bolas no alto e não por serem baixos, mas por não saberem se colocar na área. Não sei se só o Leandro Silva é suficiente para consertar esta zaga.

Se o resultado fosse uma goleada, a gente ia pensar que o meio de campo estava ótimo. Agora, o técnico vai poder chamar o galego (que apesar de craque não jogou o que sabe), o Jéferson Maranhão (que estava bem), o Ricardinho (que lutou o tempo todo) e o Alê e falar que não pode dar este espaço todo para o adversário. Será que o Higor, que está vindo do Fluminense, pode ajudar a mudar isto?

Se o placar fosse elástico, o Ricardinho não ia poder falar para o Julinho jogar mais e fazer menos pose. Acho que este guri poderia jogar muito mais, mas acho que tá com a cabeça noutro lugar.

Se a rede tivesse balançado só a nosso favor e muitas vezes, o técnico não ia poder chamar o Arlan no canto e dizer para ele treinar cruzamento na área até anoitecer. Fôlego o rapaz tem, mas o pé é muito torto.

O futebol não foi bom, mas o resultado veio na medida certa: 3 pontos necessários, sem esconder os defeitos do time.

O técnico Ricardinho vai ter muito trabalho. Mas é pago pra isso.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Palpites para a rodada

Encontrei minha bola de cristal num canto do apartamento, dei uma lustrada e ela me revelou:

- O último que sair apaga a luz - nesta briga pela lanterna, é capaz do time da Palhoça, agora liderado pelo motivadíssimo Joceli, aprontar para o time da beira da praia. Mas pela ruindade dos dois times, vejo empate à vista: 1x1.

- Agora ou nunca - o time da terra da fartura deu uma boa arrancada neste returno e não fosse o início desastroso, estaria nas cabeças. Apesar da idade, o time do Ovelha não vai deixar barato para o remendado time de Jaraguá, que estava indo bem, mas pelos últimos acontecimentos, vai começar a afundar: 3x0 para o time de Ibirama. Para o Leão seria bom que o moleque travessa aprontasse.

- Índios voltam para a aldeia - apesar do sangue doce e da derrota na última rodada, é de se esperar que o time do oeste acerte umas flechadas no time do professor pardal, que afinal, é candidato direto pela ponta da classificação geral. Apesar das amareladas que eles dão quando enfrentam os multicoloridos, dessa vez vai dar o Verdão: 2x1. O melhor seria um empate, mas é sempre bom ver a turma do remendão perder.

- Mentiroso x mentiroso - o time de Blumenau começou mal, melhorou, venceu fora de casa, e na última rodada conseguiu a proeza de perder para o time da Palhoça (é verdade que o Leão quase conseguiu também esta façanha). Já o time do norte me pareceu um bom time, mas na hora H não finaliza o trabalho (para não dizer que amarela). Seria confronto de palpite triplo, mas acho que o craque RC vai aparecer e meter duas buchas no time do ballet: Verdes 2x0. O empate seria o melhor resultado para o Leão.

200 jogos para o Marquinhos e mais uma vitória para o Leão - vamos ver se o que vimos no domingo não foi um brisa de verão, que passou e se acabou. O comando vai mudar, mas o jeito de jogar tem que ser o mesmo, ou até melhor, se os laterais começarem a acertar os cruzamentos. Espero que eles joguem com  a mesma garra, nem que seja para homenagear o Marquinhos. O time do sul vem mordido e o seu técnico vai querer amorcegar o jogo para ganhar na impaciência da torcida. É hora de apoiar até o fim. Aposto no Leão: 3x1.

terça-feira, 19 de março de 2013

Léo Campos e Rodinei

O garoto sensação de Antonio Carlos foi dispensado pelo Guarani da Palhoça. É isto mesmo: dispensado. Pois é, depois da bobagem que a diretoria do Avaí fez em liberar o rapaz para o Grêmio, que por sua vez, emprestou o atleta para o Guarani, agora é a diretoria bugrina que fez a bobagem de dispensar o rapaz. Estes dirigentes não entendem nada de futebol. Deveriam consultar os "ispecialistas" da blogosfera avaiana antes de fazer uma bobagem dessa. 

Como já falei em postagem anterior, não tenho nada contra o rapaz e desejo boa sorte na carreira dele. Espero que volte para o Grêmio e mostre que assim como o pessoal do Avaí, o pessoal da Palhoça também estava errado. Estou apenas usando seu exemplo para mostra a "sabedoria" de uma turma que pensa com o fígado.

Também li que o Rodinei, lateral formado na base que estava emprestado ao Corínthians foi reintegrado ao elenco avaiano. Quando ele saiu foi um deus nos acuda, um absurdo emprestar um lateral, já que os que estavam aqui não prestavam. Por que é sabido que jogador da base que sai do Avaí é craque. Aqui só fica os perebas. Isto segundo os 'ispecialistas'.

Quanto aos laterais que estavam aqui, até concordo que não são muito bons, mas daí a achar que o Rodinei vai ser a solução vai uma grande distância. É bem verdade que para fazer melhor que o Arlan ou o Aélsson não é preciso muito. Se acertar uns dois cruzamentos por jogo na cabeça do Roberson ou do Reis, já vira titular absoluto.

Vou torcer por ele e espero que a torcida, principalmente a formada pelos 'ispecialistas', apoiem o rapaz e tenham paciência com ele, não o vaiando logo no primeiro passe errado.

Mas não tenho tanta esperança (na paciência da torcida).

quinta-feira, 7 de março de 2013

Foi chuva de verão

Parecia que era uma coisa, mas foi outra. Com a mesma rapidez que caiu, parou e secou. Uma hora depois, ninguém mais se lembrou que choveu.

Dizem que depois da tempestade, vem a bonança.
Se já parou de chover, agora é esperar o sol brilhar.

O campeonato ainda não acabou, mas a esperança tá quase no fim.
Mas enquanto houver chances, haverá esperança.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Léo Campos no Guarani?

Na manhã desta terça-feira, o Guarani de Palhoça oficializou mais um reforço para a sequência do estadual. Trata-se do lateral Léo Campos, que estava no Grêmio.  (Fonte: Futebolsc.com)

Mas não é este jogador que os 'ispecialistas' da blogosfera avaiana disseram que era um craque, tinha uma carreira promissora, que a diretoria fez besteira ao deixar o garoto ir para o Grêmio, que lá ele já era destaque e estava fazendo sucesso, etc., etc.

Agora me explica como é que ele vem parar no Guarani da Palhoça? É para pegar experiência e depois voltar para ser titular na fase final da Libertadores? Mas será que ele não serve nem para jogar no time B do Grêmio no Campeonato Gaúcho?

Não conheço o rapaz, que pode até ser bom jogador e arrebentar no Guarani e voltar com tudo para o Olímpico. Desejo sorte para sua carreira.

O que eu não entendo é o fuzuê que às vezes fazem. Se o rapaz estivesse até hoje treinando no Avaí, iam dizer que a diretoria estava gastando dinheiro com que não vai dar nada. Era capaz de sugerirem para o rapaz estudar, ao invés de ser jogador, como já fizeram com outros atletas da base.

Mas é assim mesmo. Se fica aqui, eles dizem que é ruim e estão gastando dinheiro. Se é dispensado, vira craque e é burrada da diretoria.

Ainda bem que estes 'ispecialistas' não comandam o Avaí. Ia ser pior do que já está.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O azedume voltou

Nunca é bom ver o time do Avaí perder, ainda mais para o time multicolorido do Estreito. Mas pelo que estou lendo na blogosfera avaiana parece que os "ispecialistas" ficaram com gastrite e voltaram a pensar com o fígado (se é que um dia já pensaram de outra maneira).

Para uns é tudo perna de pau, com exceção é claro do santo galego da Serraria, que por causa do seu passado glorioso, pode até errar na bola que será perdoado. A culpa sempre vai ser de seus companheiros, nunca do craque de Biguaçú. É claro que o Marquinhos deu ótimos passes no clássico, mas não teve esta lucidez toda durante os noventa minutos. Aliás, boa parte do tempo esteve bem apagadinho em campo. Fez pouco para aquilo que representa e que provavelmente ganha. Deve ser o melhor salário e tem que ser cobrado por isso.

Alguns acham que já tá na hora de limpar a área e renovar o elenco pois "muitos já mostraram que não tem condições de vestir a camisa do Avaí". Ainda bem que estes caras não fazem as contratações, pois neste ritmo, o Avaí ia terminar o ano com 400 jogadores, pois não acredito que eles fossem acertar na mosca em todas as contratações, trazendo apenas jogador bom. A turma olha para o Athos da Chapecoense ou o Marcelo Costa do Joinville e se perguntam porque a diretoria não contrata estes caras. Bem, não há garantia que eles iam jogar a mesma bola aqui, ainda mais com o "grande incentivo" que nossa torcida costuma dar para jogador recém chegado.

Outros, mais apressados, já começaram a fritar o treinador, dando prazo de validade para ele. Depois esta mesma turma fica reclamando da imprensa, falando que eles gostam de tumultuar o ambiente avaiano e fazer intriga no elenco. Esse pessoal nunca vai mudar. Devem ser os mesmos que xingavam o Chamusca, que no final ergueu a taça de campeão.

Até dá para entender este comportamento em uma torcida que fez campanha para público zero no ano passado, depois do vexame contra o Camboriú. Boa parte destes 'ispecialistas' tinham desistido do campeonato, mas no final, apareceram dizendo que sempre acreditaram no Avaí. Vão chupar pregos, seus amarelos.

No ano passado, mesmo com a conquista do estadual, dentro do campo adversário, ficaram desdenhando a conquista e avacalhando o Avaí pela campanha da série B. São os torcedores nível Barcelona que acham que o Leão é sócio fundador do clube dos 13. Será que este ano, se não ganharmos o estadual, mas subir para a série A vai ser bom, ou também vai ser um ano perdido?

Eu sempre vou aos jogos, mas só de pensar no 'incentivo' que esta torcida vai dar no sábado, fico pensando se não é melhor ficar em casa, do me incomodar com esta malarada toda, que logo no primeiro passe errado já vai xingar. Já estou até escutando o idiota que tem no setor A fazendo isto.

Ah, antes que falem, a campanha do Avaí e a derrota não é culpa da torcida é claro. Muito menos as vitórias que já aconteceram e vão acontecer.

Só para lembrar, o Avaí terminou o primeiro turno do ano passado com apenas 15 pontos e fez 17 no segundo turno. Ainda assim, foi campeão.

Se o turno já foi embora, ainda há muitos pontos em jogo e as vitórias nas partidas restantes são importantes, para que o Avaí alcance os 17 pontos e comece o returno mais tranquilo. Conquistar o returno será muito importante e fazer o maior número de pontos ainda mais, pois nem sempre será possível vencer a Chapecoense na casa deles.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Balanço da Rodada

Mais uma rodada encerrada, com algumas confirmações das previsões, mas algumas surpresas:

- Bailarino mordido por cachorro - essa eu não acreditava, mas aconteceu. O lanterna (ainda é), de técnico novo, venceu, e ainda por cima, de virada, o time do norte, que saiu na frente e até pênalti perdeu com o bailarino principal. O time da beira da praia vem até o remendão, jogar contra o desencantado time dos 20 %, onde dificilmente vai escapar de uma derrota (apesar da minha torcida a favor do time de Camboriú), enquanto o pessoal do balé recebe a turma da terra da fartura, tentando a reabilitação.

- Os rapazes do rebanho da terra da fartura salvaram a lã do comandante, vencendo o time da Palhoça, que não conseguiu ameaçar a meta adversária, como eu imaginava. Agora o time do Sinhozinho Malta (essa eu copiei do Tarnowsky) viaja até o norte para se apresentar no palco dos bailarinos, enquanto os garotos do Amaro recebem o Leão da Ilha.

- Que várzea! Trave caindo no meio do jogo. Inspeção boa essa. Será que o zagueiro do Tigre tá muito acima do peso? De qualquer maneira, o time do oeste venceu, com gol do Santo Gral e voltou a liderança e derrubou mais um invicto. O time do Oeste viaja até Blumenau, decidindo a liderança e os amarelos do sul vão até Jaraguá para morder o moleque.

- Acabou o encanto? O carrossel barbie levou dois solavancos (não foram do craque RC, mas num dos gols, o passe foi dele) e só descontou porque mais uma vez cabecearam pra trás, ajudando o incompetente ataque alvirosado, que por conta própria não faz. O time verde do vale recebe o time do oeste, podendo se isolar na liderança, enquanto o time dos 20% recebe o cachorro lanterna da beira da praia. Acertei o placar em cheio: 2x1.

- Fácil que ficou difícil - com um início avassalador, mas sem nenhum gol, o Leão assustou e acuou o moleque em seu campo, transformando o jogo num ataque contra defesa. A água mole não furou a pedra dura, mas no finalzinho do primeiro tempo, o contestado e já perseguido (cedo né!) centroavante azurra acertou um chute improvável, tranquilizando o time. No segundo tempo, um replay do início do jogo, mas que desta vez resultou em gol, em grande jogada do ataque azul. Com as alterações, o time de Jaraguá se soltou e encontrou muito espaço pela direita, onde descontou e quase empatou, não fosse os olhos de lince do bandeira. O Leão vai até a Palhoça, enfrentar o Bugre e o time de Jaraguá recebe os amarelos do sul.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Palpites da rodada

Lustrei a bola de cristal e vi que será uma noite com muitos gols, o fim das invencibilidades e a queda de mais um técnico:

- Bailarinos acertam o passo - o time do norte vai até Camboriú, onde deve faturar mais 3 pontos. Talvez até tenha alguma dificuldade, pois o time da casa vai estar de técnico novo, mas com os jogadores antigos. Podem até correr mais, mas no final, vai dar o tricolor: 2x0. Para o Leão, seria bom uma zebra.

- A noite de Rafa Costa - o artilheiro do time verde de Blumenau vai mostrar seu "imenso" talento, não aproveitado no sul da ilha, e meter umas duas buchas no time dos 20%. O marrento técnico Pardall pode até estar encantando algumas raposas, mas hoje ele vai se dar mal: 2x1 para o time do vale. Sempre é bom ver o time dos bilingue perder, mas um empate não seria de todo ruim.

- Tosquiada final - o time da terra da fartura vai ter que correr um pouco mais para salvar seu comandante da degola. Mas o time do Amaro não vai deixar e vai arrancar um empate em pleno caldeirão da baixada: 1x1. Para o Leão, o resultado não afeta quase nada, mas um empate seria um bom resultado.

- Tigre ferido pela flecha verde - o time do sul gastou o estoque de gols logo na primeira rodada e vai sofrer sua primeiro derrota no campeonato para o time do oeste, que vai atacar com todo gás: 3x1. O empate seria o melhor resultado para o Leão.

- Moleque vai sair chorando - gostaria de prever uma goleada, mas acho que vai ser só uns 2x0. O Leão vai  atacar e atacar, enquanto o time de Jaraguá vai se defender e amorcegar o jogo. Mas com Marquinhos em campo, não tem placar em branco.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Sugestões para o novo estatuto - Parte 1

Em março do ano passado fiz uma postagem sobre a reforma do estatuto. Como o assunto voltou a pauta na recente reunião do Conselho Deliberativo, vou dar algumas sugestões para o novo estatuto, começando pelo capítulo IX, que trata das Normas Eleitorais:

Seção I - da eleição do Conselho Deliberativo

- Quem pode votar e quem pode ser candidato

Como é hoje?
Segundo o artigo 39, podem participar da Assembleia Geral (que se transforma em colégio eleitoral) os sócios maiores de 18 anos, em gozo com seus direitos estatutários e com 1 ano de filiação. O artigo 81, item f, também esclarece que apenas os sócios quites com a tesouraria podem votar. Do mesmo modo, segundo o artigo 81, item c, os candidatos devem ser maiores de 18 anos e sócios há pelo menos 1 ano e  em gozo dos seus direitos estatutários.

Sugestão 1
O sócio deverá estar em dia, ininterruptamente, há pelo menos 6 meses. Para votar não basta apenas ser sócio e estar em dia com a tesouraria. Assim, eliminaria aqueles que querem colocar tudo em dia só para votar e aqueles que não pagam em dezembro e janeiro e ainda querem desconto para colocar em dia.

Sugestão 2
Para ser candidato, o candidato deverá ser sócio há pelo menos 2 anos e estar em dia, ininterruptamente há pelo menos 1 ano.

- Tamanho do Conselho Deliberativo

Como é hoje?
O artigo 46 define que o Conselho Deliberativo deverá ter um número mínimo de 100 e máximo de 300 integrantes e seu tamanho será definido pelo edital da eleição. O artigo 53, item s dá competência ao Conselho Deliberativo de eleger e empossar novos membros do Conselho caso haja vacância (artigo 41 §1) ou se o número de membros da chapa vencedora foi inferior ao número fixado no edital da eleição (artigo 46 §3)

Sugestão 3
O Conselho Deliberativo deverá ter tamanho definido pelo estatuto. Considerando a pouca presença registrada nas reuniões, sugiro fixar em 150 membros.

Sugestão 4
Uma chapa só poderá ser registrada se tiver o número de membros igual ao número de vagas fixadas pelo edital (tamanho do conselho). Não tem essa de preencher depois da eleição.

Sugestão 5
Se houver vacância, assume o cargo o primeiro suplente da lista (ver sugestão do formato das eleições). Vamos parar de preencher as vagas com os amigos dos conselheiros. Aliás, isto foi e é muito comum na gestão do conselho.

- Formato das Eleições

Como é hoje?
Atualmente, a eleição do Conselho é feita através de formação de chapas, com uma lista de membros de  cada chapa. A chapa que vence empossa todos os seus membros no Conselho e as que perderam não elegem nenhum.

Sugestão 6
A eleição deverá ser realizada através de registro de chapas, com voto em lista fechada, em que a chapa define a ordem de posse de seus membros. Neste sistema, o sócio continua votando em uma chapa, mas o conselho será composto proporcionalmente aos votos recebidos por cada chapa. Vamos supor que existam 3 chapas, cada uma com 150 candidatos. A chapa 1 recebeu 50  % dos votos válidos, a chapa 2 recebeu 40 % e a chapa 3 recebeu 10 %. Se o Conselho fosse formado por 150 membros, seria constituído por 75 candidatos da chapa 1, 60 da chapa 2 e 15 da chapa 3.

Sugestão 7
Será formada uma lista de suplência, de acordo a lista de cada chapa. Havendo vacância de um membro que era da chapa 1, por exemplo, o suplente será o primeiro candidato não eleito desta mesma chapa, (segundo ordem estabelecida pela chapa no momento do seu registro), não importando sua colocação em relação aos outros candidatos das outras chapas. O Conselho não terá competência para indicar novos membros, independente de motivos (vacância ou falta de membros).

Seção II - da eleição dos membros da presidência do clube e dos membros

- Quem pode votar

Como é hoje?
O artigo 86 estabelece que é o Conselho Deliberativo quem elege o presidente, o vice-presidente e os membros do Conselho Fiscal.

Sugestão 8
A eleição para presidente e vice deveria ser feita pela Assembleia Geral (sócios), mas a eleição dos membros do Conselho Fiscal deveria continuar sendo feita pelo Conselho Deliberativo.

- Quem pode ser candidato

Como é hoje?
O artigo 19 estabelece que qualquer sócio maior de 18 anos, com pelo menos 1 ano de sócio, e em pleno gozo de seus direitos estatutários, pode ser candidato.

Sugestão 9
Alterar a idade mínima para 21 anos e o tempo mínimo de associação para 5 anos. Não gostaria de ver nenhum aventureiro, que chegou agora, sendo presidente do Avaí. Pode até dizer que já é avaiano há 50 anos, mas se só se associou há 1 ano, não pode ser presidente.

- Tempo de Mandato

Como é hoje?
O artigo 86 estabelece que as eleições para presidente, vice e conselho fiscal devem ser convocadas a cada 4 anos e o artigo 59 estabelece que são permitidas reeleições, não limitando seu número.

Sugestão 10
Manter o tamanho do mandato em 4 anos, mas limitar a reeleição em apenas uma vez.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Balanço da Rodada

Balé de um ato só - o principal bailarino do time do norte balançou o corpãozil de um lado para o outro e conseguiu acertar um chute no único lugar que a bola passava. Mérito para os tricolores que venceram os verdes do vale. Agora o time do norte vai até Camboriú, onde deve faturar mais 3 pontos. Já o time de Blumenau recebe o time dos 20%, que lidera (por enquanto) o turno.

Bugre finalmente acerta a flecha - como já era de se esperar, o time da Palhoça conquistou seus primeiros pontos na competição, contra o candidatíssimo ao rebaixamento e primeiro time a demitir o técnico, o guapeca de Camboriú. Foi só 1x0 (eu previa 2x0), mas serviu para o time do Amaro, que na quarta vai até Ibirima, num confronto difícil. O lanterna recebe o time do norte e vai lutar para pelo menos conquistar um empate.

Moleque cada vez mais atrevido - o time de Jaraguá já fez mais pontos em 3 rodadas do que eu pensei que faria no campeonato inteiro. De virada, venceu o time do seu Marchetti, que deve estar furioso com seus meninos veteranos e o seu técnico de lã. O moleque bom de bola vem até a Ressacada, sonhando em aprontar pra cima do atual campeão. O time da terra da fartura recebe o time da Palhoça, na obrigação de vencer para sair da zona maldita.

Índios confusos com a conversa dos bilingues - o então lider, verde do oeste, não mostrou aquele futebol e como eu esperava, levou 2 (um deles contra a própria oca) e só acordou no final, quando fez unzinho. Eu havia previsto 1x0 mas estava torcendo pelo 2x2. Não deu. O time do oeste volta para sua terra, onde vai receber os amarelos do sul, na esperança de reassumir a ponta. Já o time dos 20 % vai até Blumenau, tentando manter a liderança.

Tudo igual na briga dos felinos - o Tigre saiu na frente, mas o Leão foi melhor o jogo inteiro, e teve chance até de vencer de virada. No fim, tudo igual, como eu havia profetizado (1x1). O time do sul viaja pro oeste e vai encarar os índios de lá, enquanto o Leão recebe o moleque na Ressacada, na esperança de fazer outra boa apresentação, desta vez transformada em vitória.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Palpites da rodada

Mesmo atrasado (por causa do jogo do sábado) e em cima da hora dos jogos de domingo, vou lustrar a bola de cristal e fazer as previsões:

- Bailarinos e Verdes do Vale - eu pensava num empate, pois o pessoal de Blumenau sempre gosta de aprontar em cima do time do norte, mas desta vez, mesmo que aos trancos e barrancos, o time da laranja lima venceu o time do craque rafa costa.

- O último que sair apaga a luz - no confronto dos lanternas, o time da Palhoça tem a grande oportunidade de faturar 3 pontos. Aliás, uma das poucas chances de fazer pontos no campeonato. Depois da derrota para o moleque de Jaraguá, o time de Camboriú tem que melhorar muito para conseguir pelo menos um empate. Vai dar Bugre: 2x0. O resultado não interessa ao Leão.

- Moleque segura o capeta - animado com a vitória fora de casa contra o time de Camboriú, o moleque de Jaraguá vai pra cima do time do seu Marchetti, que vai amorcegar o jogo e conquistar um empate: 1x1. O resultado não interessa ao Leão, mas um empate ia bem, para os moleques não chegarem muito atrevidos na quarta, na Ressacada.

- Bilingues não entendem kaingang - o time do oeste vem animado, mas parece que não gosta de jogar no remendão, onde dificilmente faz uma boa partida. O time dos 20 %, apesar de limitado, deve conquistar um vitória, magra, mas que vai valer 3 pontos: 1x0. A torcida é sempre pros alvirosados perderem, mas desta vez, um empate seria bom para o Leão.

- Clássico felino no sul - o time dos amarelos do sul é favorito, pelo futebol apresentado. Mas Avaí é Avaí, e não se pode descartar uma aprontado Leão, que faz cosa. Acho que vai dar empate: 1x1.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Muito cedo para conclusões

A derrota foi quase vexatória, o time não jogou bem, mas é só o início do campeonato.

Vejo várias críticas ao goleiro, e apesar de não achar que ele seja um excepcional goleiro, acho uma injustiça jogar a culpa da derrota nas suas costas.É certo que em pelo menos 2 deles, ele poderia ter evitado, mas em nenhum deles houve uma grande falha.

No primeiro gol, Aleks poderia realmente ter interceptado o cruzamento, mas a falha maior foi da defesa que não matou a origem e não acompanhou o atacante. No segundo e no terceiro gol, o atacante adversário entrou sozinho na área e neste caso, o erro maior é da defesa e não do goleiro. Talvez um goleiro mais experiente poderia ter evitado, mas isto não é tão certo assim. No quarto gol, o Aélson e mais outro jogador avaiano pararam e não bloquearam a chegada do atacante do time do oeste. Se o goleiro demorou para sair, do mesmo modo, a defesa falhou.

Portanto, não dá para fazer esta crucificação toda que muitos estão querendo. Parece que querem mostrar que estavam certos quando diziam que era preciso contratar um goleiro mais experiente. O time levou 4 gols, mas não por culpa exclusiva do goleiro.

Volta a dizer: o único campeonato que é possível testar o goleiro é o estadual. Se não fizer neste, não é na série B ou na Copa do Brasil que vai fazer. Deixa ele jogar mais umas 3 partidas e daí sim, decide se deve trocar ou não.

A defesa falhou, o meio não marcou nem criou e o ataque não funcionou.

Não é a primeira vez que o Avaí leva uma goleada no campeonato. Nos últimos anos, os piores resultados foram os seguintes:


2012 - 1º Turno / 8ª Rodada: Joinville 3x0
 2011 - 1º Turno / 2ª Rodada: Brusque 3x0
 2010 - 1º Turno / 8ª Rodada: Atlético 3x1
 2009 - 2º Turno / 3ª Rodada: Chapecoense 5x1


Só lembrando que nestes 4 anos, o Leão só não foi campeão em 2011, mas disputou a final do 2º Turno.

Agora é pensar no Criciúma e trazer pelo menos um empate de lá.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Palpites da rodada

A segunda rodada será disputada nesta quarta, e a minha bola de cristal prevê o seguinte:

Tudo igual na baixada - os rapazes do Marchetti recebem os amarelos do sul e a turma da terra da fartura deve dificultar a vida dos rapazes do supermercado, mas a vitória não vai acontecer. Jogo movimentado e no final 2x2.

Guapeca morde moleque - duelos dos candidatos ... ao rebaixamento, para ser claro. Jogo duro ... de ver e de prever. Apesar da sacola de gols que levou, o guapeca de perto da praia vai avançar no tornozelo do moleque de Jaraguá: 2x0 pro time de Camboriú.

Verde vale amansa o bugre - o time de Blumenau, apesar das amareladas que costuma dar em casa, deve vencer o time da Palhoça, que vai continuar patinando no campeonato: 2x1 para os verdes de Blumenau.

Bilingues enrolam os bailarinos - apesar da minha torcida contra, o time dos 20 % vai ganhar mais uma, agora contra o time do norte: 2x1 (espero errar e dê coluna do meio).

Leão enfrenta os índios - jogo duro, fora da oca deles, mas numa aldeia incompatível com o campeonato (ou talvez até compatível com a várzea que é mesmo). É o primeiro teste do SS e a primeira oportunidade para os corneteiros tocarem as trombetas. Acho que atual campeão volta com pelo menos um ponto na bagagem: 1x1, com gol do Dinélson (essa eu forcei).

O que eu vi na Ressacada

Foi ao jogo no sábado e vi o seguinte:

- Aleks - apesar de já ter atuado no time principal, parecia um pouco nervoso e passou um pouco de insegurança. Ainda assim, acho cedo para querer trazer outro goleiro. Se tem um campeonato para ele ser testado e aproveitado é o estadual. Na série B é que não dá para fazer isto. Se não der chance para ele agora, quando é que vai dar?

- Arlan - o mais do mesmo. Correria e muita disposição. Não se esconde do jogo. O problema é que seus cruzamentos continuam os mesmos - horrorosos.

- Aélson - outro que não mudou. Não marca e não ataca bem. Julinho, volta logo pra lateral, que no meio tu não vai ter chance.

- Paulinho - entrou mais preocupado em marcar do que atacar. Não teve tempo para mostrar nada.

- Alex Lima - ótima surpresa. Acho que ganhou todas por cima, enquanto esteve em campo. Seguro, mostrou bom toque de bola. Dá para ter esperança.

- Cleyton - não comprometeu, mas precisa evoluir.

- Pablo - entrou e achei que ia ser expulso logo que levou o cartão amarelo. Teve trabalho para conter o ataque adversário. Não parece muito seguro, mas posso estar enganado.

- Ricardinho - gostei de sua movimentação e disposição. Cometeu alguns erros, mas parece que vai ser útil ao time.

- Alê - começou mal, mas foi melhorando no decorrer da partida. Vai ser um bom reserva do Eduardo Costa.

- Nádson - muito ciscador e pouco produtivo, mas pode ter futuro no ataque do Avaí.

- Marquinhos - o futebol de sempre, cadenciado e com qualidade. Mas tem que melhorar.

- Rodriguinho - mostrou qualidade e vontade. Deve ser titular.

- Danilo - o cabelo estilo pica-pau não ajudou o rapaz, que até se movimentou, mas é parecido com os atacantes do ano passado.

- Felipe Alves - o mesmo de sempre, só que desta vez, sem a sorte de alguns jogos do ano passado.

- Sérgio Soares - o time estava organizado e variou as jogadas, mas é claro, precisa ainda de entrosamento.

- Torcida - não respondeu às contratações da diretoria, mas ainda sim, esteve em número razoável.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Imagens da Primeira Rodada

O campeonato começou e poucas surpresas aconteceram:

Cachorro atropelado no sul - o Tigre não teve pena da turma de perto da praia e meteu uma sonora goleada de 6x0. Pela minha bola de cristal só tinha visto 3 gols, mas não era difícil adivinhar que a vitória ia ser dos amarelos do sul, que agora vão para a terra da fartura, enfrentar o sempre difícil (em casa) time do seu Marchetti. Já a turma do guapeca Boriú recebe o moleque travessa, onde vai ter uma das poucas chances  de fazer 3 pontos neste campeonato.

Índio acerta flechada em bailarino - quase acertei o resultado do jogo, mas no final da partida, a turma do oeste virou o jogo com seu inspirado volante. A turma do balé não conseguiu impor sua pressão habitual dentro do seu palco e levou uma virada dos verdes do velho oeste, que na próxima rodada recebem o atual campeão, o Leão da Ilha, em confronto sempre equilibrado. A turma do norte vem até a capital, jogar contra a turma do bilingue.

Bugre quase tira lasca da figueira - eu bem que estava torcendo para errar o palpite, mas o time da Palhoça não conseguiu arrancar o empate (e bem que merecia) contra o time dos 20 %. Infelizmente, acertei o palpite de 1x2 para os alvirosado, que agora recebem a turma do balé no remendão. Os garotos do Amaro viajam até o vale para enfrentar o verde de lá, um concorrente direto no campeonato.

Moleque é atropelado pelo Metrô - moleque de Jaraguá até começou bem, mas depois levou uma virada do  cada vez mais perigoso time de Blumenau. Achava que dava empate, mas parece que o time verde do vale não é tão ruim assim (ou o time do Jaraguá é realmente muito ruim). A turma do vale recebe os bugres na próxima rodada, com chances de faturas 3 pontos, enquanto o pessoal de Jaraguá vai até Camboriú, onde tem chance de conseguir um dos poucos pontos que deve conquistar durante todo o campeonato.


Leão ruge e mata o capeta - como em toda primeira rodada, o jogo foi difícil e por pouco o atual campeão não perde pontos em casa para os rapazes do Marchetti. Se tivessem mais capricho, os jogadores avaianos teriam feito o segundo gol e eu teria acertado o placar. Mas tudo bem, o que vale são os 3 pontos. Agora os comandados do SS viajam até o oeste para enfrentar os sempre difíceis índios. A turma da terra da fartura volta para casa para receber os amarelos do sul e conquistar os primeiros pontos do campeonato.


sábado, 19 de janeiro de 2013

A bola vai rolar

A temporada 2013 de futebol vai ser aberta neste sábado e a expectativa é grande. Não analisei nenhum time para dizer quem é melhor que quem, mas mesmo assim, vou lustrar minha bola de cristal para dar os palpites para o fim de semana:

Tigre x Cão Boriú - no duelo dos animais, total favoritismo para a turma do carvão. Acho que sem o Lucas, o time dos amarelos do sul será bem inferior que o time que subiu para a A, mas mesmo assim, começa como favorito ao título. Já o time de perto da praia vai entrar no campeonato somente para tentar não ser rebaixado. Se conseguir, vai estar no lucro. Palpite: 3x0.

Coelho x Índios - parece que a torcida da turma do balé está empolgada com o time, enquanto o time do velho oeste não mudou muito daquele que subiu para  B. A turma do norte não costuma se dar bem quando joga contra o verde do oeste e por isto aposto num empate em 1x1. No campeonato, os dois entram como candidatos, mas não acredito em nenhum deles.

Bugre x Brisa do Estreito - num jogo que parece que não vai ter torcida, o rebaixado time das barbies deve vencer o reformulado time campeão do acesso. Mas vai ser placar magro, tipo 1x2. O time da Palhoça vai lutar para não cair. Já o Aliance Sports entra como candidato natural ao título, mas só a arrogância do técnico não vai fazer este time chegar lá. Se não contratarem, não se classifica nem para as finais.

Moleque x Jacaré - o time de Jaraguá vai ser do tipo bate e volta. Segundo o que escutei por aí, o time do vale não montou um bom elenco e deve sofrer no campeonato. Para este jogo, prevejo um empate daqueles  de dar sono, tipo 0x0.

Leão x Capeta - o mais vezes e atual campeão estadual não vinha sendo cotado para nada, até que anunciaram Eduardo Costa e Marquinhos Santos. Aí a coisa mudou de figura. Só que no papel é uma coisa e só quando a bola rolar é que a gente vai ver se vai dar caldo. Para o campeonato, o Leão da Ilha entra como candidato ao título, mas seu desempenho vai depender do encaixa que o SS vai conseguir dar num time totalmente reformulado. O time do seu Marchetti entra para disputar uma vaga na série D e acho que tem boas chances. Mas é só isso mesmo. Para este jogo, que vai ser duro, há um leve favoritismo para o time azul, principalmente por jogar em casa. Palpite: 2x0 Leão.