terça-feira, 31 de maio de 2011

Ingresso mais barato? Sou contra

Pelo menos enquanto a torcida não esgotar os ingressos da promoção a Timemania. Apenas 3 ingressos foram vendidos na promoção do último jogo.


A reclamação em relação ao preço dos ingressos é uma constante há algum tempo. Muitos dizem que os valores praticados estão afastando o torcedor do estádio. A diretoria até fez algumas promoções no campeonato estadual e também na Copa do Brasil. Algumas não funcionaram, mas outras sim, como a semifinal contra o Vasco, motivadas, é claro, pela importância do jogo. Neste jogo foram vendidos 2.650 ingressos da promoção, que custava R$ 30,00 para quem apresentasse duas apostas da Timemania (mais R$ 4,00). (clique para ver borderô)


No jogo contra o Atlético-MG, a diretoria fez a mesma promoção do jogo do Vasco, só que restrita ao setor H. Entretanto, o torcedor não aderiu. Foram vendidos apenas três, isto mesmo, três ingressos da promoção. (clique para ver borderô) E agora? Como podem reclamar do preço se só querem ir na boa? Ah, mas o torcedor estava desanimado. E daí? Eu também estava e fui ao jogo. Quer dizer então que só vem apoiar quando o time está vencendo? Só quando tem jogo bom, é isso?


Eu pago minha mensalidade todo o mês, não interessa como está a campanha do time. Paguei de janeiro a maio, quando o time fez uma campanha horrível no estadual e não decidiu nenhum jogo em casa. Enquanto isso tem uma cambada que fica reclamando do preço dos ingressos, mas só querem vir assistir a jogo bom. E nem aproveitaram a promoção do último jogo.


Apoio a promoção de ingresso para alguns setores, principalmente neste formato de ter que apostar na Timemania, para mim, uma promoção inteligente. Espero até que a diretoria continue com esta promoção da Timemania, mesmo com a baixa adesão do último jogo. Entretanto, enquanto a torcida não esgotar todos os ingressos desta promoção (foram 1.000 no último jogo), não pode ficar reclamando do preço dos ingressos. Vai querer ingresso mais barato que R$ 30,00? Então vai torcer para o Marcílio Dias e assistir aos jogos da Copa Santa Catarina, vai.


Como já disse aqui, quem vai ao estádio, na maioria dos jogos, são sócios. Neste jogo contra o Atlético-MG, por exemplo, dos 4.127 pagantes, 4.060 eram sócios, ou seja, 98 % dos presentes. No jogo contra o Vasco havia 9.876 sócios. Se o clube tiver 10.000 sócios e 70 % deles virem aos jogos regularmente, teremos uma média mínima de público de 7.000 pessoas. Não é tão ruim. O que a gente precisa é aumentar o número de sócios, para aumentar a média dos presentes.


Chega desta discussão do ingresso caro. Pode colocar a R$ 10,00 que o torcedor não vem assistir Avaí x America-MG. Ele só vem se for Flamengo, Corínthias, Inter, etc.


Fontes: Site da CBF

Avaí x Vasco - www2.cbf.com.br/sumulas/avva250511b.pdf

Avaí x Atlético-MG - www2.cbf.com.br/sumulas/avat280511b.pdf

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A saída de Marquinhos Santos

Com a confirmação da saída do Marquinhos Santos para o Grêmio, quero fazer algumas considerações:


O lado profissional do atleta

Marquinhos é um atleta profissional e assim como todos nós, busca sempre o melhor para sua carreira. O fato de sair do seu time de coração não o torna mercenário ou mentiroso. A torcida por um clube é uma paixão e não rende nada, mas a carreira profissional tem que ser vista com a razão, pois é o sustento de sua família. Imagine você recebendo uma proposta de emprego muito melhor que a sua atual, mas que você tivesse que morar longe daqui. Você diria não só para ficar por aqui para assistir aos jogos do Avaí? Talvez você até não aceitasse a proposta por outros motivos, mas com certeza, não seria por causa do Avaí.


Ele deve ter pesado todos os lados e visto que só poderia ficar por aqui por uma proposta que compensasse. Aliás, ele disse isto na entrevista. Para mim, isto significa que ele não está buscando espaço ou um clube maior para aparecer no cenário nacional, mas indo atrás da melhor proposta financeira. Se o Avaí cobrisse a proposta gremista, ou pelo menos chegasse perto dela, acho que ele ficaria.


A atuação da diretoria

É claro que a diretoria não vai passar ilesa neste episódio, que será lembrado a cada derrota e será certamente definido como um dos principais motivos, caso o rebaixamento aconteça. Entretanto, apesar do valor do Marquinhos, existe uma coisa chamada equilíbrio financeiro. Ainda estamos engatinhando neste negócio de elite do futebol. Temos um dos menores orçamentos entre os 20 clubes que disputam a série A. Então não adianta fazer loucuras. É claro que às vezes é necessário correr alguns riscos, fazendo investimentos em jogadores importantes, mas o Marquinhos já era (eu acho) o jogador mais bem pago do plantel. Como seria possível aumentar ainda mais seu salário? Há muita gente que fala que é melhor pagar um jogador de 100 mil do que ter 10 de 10 mil. Isto nem sempre é verdade, porque o futebol é cada vez mais coletivo e a estrela só brilha quando tem outros jogadores de nível não muito diferente. E qual é a certeza que este jogador tão caro vai corresponder? E se ele se machucar? Por isso, não condeno a diretoria em não tentar segurá-lo. Além disso, uma diferença tão grande de salário entre um atleta e os demais poderia gerar ciúmes e não seria bom para o grupo.


Valorização do Marquinhos

Tem muita gente que fala que o Marquinhos não joga nada, principalmente os torcedores do Tombense. Como é que o Santos quis contratá-lo e agora o Grêmio mostrou interesse no futebol do galego? Isto só mostra que o cara tem futebol. As multa rescisórias dos craques do estreito devem ser muita altas, porque nunca escutei algum clube querendo contratar o craque do Madureira, o rei do INSS ou o Mão de Alface.


Chances do Marquinhos no Grêmio

É fato que em termos de futebol os gaúchos são arrogantes e sempre olham com desprezo para tudo que vem daqui. Para eles, esta origem significa que não presta. Por isso, a cobrança virá de forma cruel, principalmente por parte da imprensa de lá, tão ou mais bairrista que o pessoal do eixo Rio-SP. Entretanto, o galego tem mais futebol que o Douglas, cuja velocidade não é muito maior que a do galego. Não vai ser fácil para o homem de Biguaçú, mas acho que ele pode virar titular sim.


Reposição

O Marquinhos joga cadenciado, protege bem a bola, faz lançamentos precisos, é um meia clássico. Não existe jogador semelhante no futebol brasileiro. Então não dá para esperar um substituto para ele. Isto é o fim? Não. Outro jogador, com características diferentes pode encaixar bem no time e junto com os outros fazer o time jogar um futebol ainda mais eficiente. Um dos "defeitos" do Marquinhos é que ele quase não marca. É o jeito dele, mas é uma verdade. Pode ser que venha outro jogador, talvez não tão clássico, mas com bom toque de bola, rápido e que ajude um pouco mais na marcação. Por que não?


Nosso futuro

Alguns já determinaram que isto foi o começo de nossa descida rumo a série B. Acho um exagero. Já fizemos algumas boas partidas sem o Marquinhos. Seria melhor com ele? É claro, mas isto não quer dizer que sem ele estamos num mato sem cachorro. Agora eu quero ver o Estrada mostrar o que sabe. Só falta o Silas deixar ele mostrar, é claro. Além disso, o clube deverá trazer outros jogadores para reforçar o grupo.

A torcida foi o diferencial

Não, não foi a torcida do Avaí, mas a do Bahia. Para René Simões, torcida foi o diferencial do Bahia. Para o treinador do time baiano, era a vibração das arquibancadas que fazia a diferença. O treinador exaltou a energia dos torcedores, que não pararam de empurrar o Bahia, mesmo quando o Flamengo conseguiu a virada.


"Estávamos com dez homens e a torcida apoiou e jogou junto", afirmou o treinador tricolor.


Fonte: http://glo.bo/io6GfR

Copa Santa Catarina: você sabia que ela está sendo disputada?

Olhando as notícias na Internet vi que a Copa Santa Catarina está sendo disputada. Brusque, Concórdia, Jonville, Marcílio Dias e Metropolitano estão participando do torneio, que dará ao vencedor o direito de participar da série D. Como Metropolitano já está classificado e Joinville está na série C (vaga conquistada no tapetão), significa que o torneio vale mesmo é para o time da Havan, para o marinheiro e para o galo do oeste.

Ainda bem que a diretoria decidiu não participar deste torneio e inclusive está emprestando os seus jogadores sub-23 para alguns destes times. O time de Itajaí vai se "reforçar" com Ildemar e Renan Oliveira (que já estavam lá) e agora com Jhonny, Juninho e o craque Rafael Costa.

Medina e Rodrigo Thiesen irão jogar a série C para a Chapecoense. Clayton e Cristian também irão jogar a série C, mas pelo Marília. Bom teste para eles.

Boa sorte para todos eles. Que brilhem e façam a gente criticar a diretoria por não ter aproveitado eles em nosso time.

Exageros da imprensa

Assisti a decisão da Liga dos Campeões em que o Barcelona venceu o Manchester United. Não vou comentar sobre o jogo, mas sobre os comentários do pessoal da ESPN. O Trajano já é ruim mesmo, mas o PVC é um ótimo comentarista, muito observador e estudioso.

O que me chamou atenção é o exagero para os elogios ao time e aos jogadores do Barcelona. É claro que o time do Barcelona é o melhor do mundo, o Messi é um jogador fora de série e que Iniesta e Xavi também são craques. Mas tudo que faziam era exaltado, por demais da conta pelo pessoal da transmissão. A cada jogada, podia ser uma troca de passe, até o que dava errado, era elogiado. Parece que os caras estavam babando na transmissão.

Sinceramente, não vi o Messi destruindo o jogo como eles falaram. Fez um gol, fruto da marcação frouxa da zaga já cansada do time inglês e mais umas firulas durante todo o jogo. Mas daí a dizer que ele acabou com o jogo foi um pouco demais.

Eu vejo que os jornalistas muitas vezes são impelidos a fazer o elogio para determinados jogadores e times, porque a maioria também está fazendo isso. Se falaram alguma coisa diferente, já serão vistos de lado e poderão ganhar uma geladeira. Isso me lembra um caso com Romário, já no final de sua carreira, mas antes de ele ficar imóvel no ataque.

Num determinado jogo, nem sei se ele jogava pelo Flamengo ou pelo Vasco, aconteceu um lance em que um jogador de seu time faz uma grande jogada e dá o passe para o ele, Romário, que bem colocado, faz o gol. Narrador e comentarista concordam que só podia ser gol de Romário mesmo, sempre bem colocado, que não perdoava. Nem falaram do companheiro que fez a jogada.

O jogo continua e lá pelas tantas Romário faz uma boa jogada, dá uns dribles nos zagueiros e passa a bola (ou a bola sobra, não me lembro) para outro jogador do seu time (o mesmo que tinha feito a jogada do primeiro gol) que bem colocado, faz o segundo gol do jogo. O que vocês acham que o narrador e o comentarista falaram desta vez? Sobre o senso de oportunismo do jogador que fez o gol? Que nada, só falaram do Romário, que tinha feito uma grande jogada. Acho que só falaram o nome do jogador que fez o gol no momento do gol, depois esqueceram dele e só falaram do Romário.

Ou seja, nas duas jogadas o que importou foi o que o Romário fez. Se houvesse uma terceira jogada que tivesse resultado em gol, mas que ele não tivesse participado diretamente, era capaz de eles falarem que a presença do baixinho preocupou os zagueiros, e por isso os outros ficaram livres para marcar o gol.

É comum ver a imprensa do eixo Rio-SP exaltar qualquer perna de pau que faz uma boa jogada por lá. Parece que craque só tem nos times grandes. Para um jogador daqui ser exaltado, tem que comer a bola. É por essas que acho o Marquinhos Santos um craque, porque conseguiu ser elogiado quando atuava no Avaí, novidade na série A, na campanha de 2009.

domingo, 29 de maio de 2011

Balanço da 2ª rodada

Terminada mais uma rodada, vamos analisar os resultados:

Surpresa no Beira Rio - O Ceará, depois da eliminação na Copa do Brasil, conseguiu um resultado que só os os mais otimistas cearenses acreditavam. Já recuperaram os pontos perdidos para o Vasco. Falcão que abra o olho, que o batatassômetro dele aumentou, já virou purê e se não melhorar vai queimar.

Reservas não dão conta do recado - O Botafogo aproveitou a ausência dos titulares do Santos e conseguiu vencer por um gol. O próximo jogo do Leão é contra o Santos na Vila e talvez seja contra este time. Podemos ter esperança (por causa do nosso time)?

Avaí perde para Atlético - sem comentários

Mão de Alface aceita chute no último minuto - eles já estavam comemorando o resultado, quando o Lucas mandou um canudo, que contou com a colaboração do "sensacional" arqueiro multicolor, sempre tão festejado pela nossa "imparcial" imprensa. Engraçado foi ouvir aquele dono de loja e dublê de comentarista dizendo que o Tombense jogou de forma correta. Quando é o Avaí ele diz que o time não posso ser tão defensivo. Não aguentei e desliguei o rádio.

Timão vence reservas do Coxa - o time paulista jogou com uma nova camisa, cor de vinho e venceu os reservas do Coritiba. Quero ver os entendidos em marketing que tanto falam do departamento similar do Avaí e tocam pau nas camisas da Fanatic falar deste "linda" camisa do Coringão. Não vão falar da tradição?

Empate no Pituaçú - num jogo de muitos gols, o time baiano conseguiu arrancar um empate no último minuto contra o rubro-negro carioca. Este time da boa terra vai lutar para não cair. O time da Gávea até da pinta que que pode ir longe, mas ele não me engana.

Derrota na baixada - o furacão do Paraná sofreu nova derrota e faz companhia ao Avaí. O Adilson Batista vai ter muito trabalho com este time. O futuro time do Marquinhos (?) ganhou um gol (foi contra) e depois se defendeu. É outro que não me engana, apesar de estar se reforçando. Aliás, o zagueiro artilheiro do time paranaense não conseguiu jogar bem, mesmo com a torcida vaiando. Será que eles achavam que ele ia jogar melhor com as vaias?

Palestras empatam - o Palmeiras saiu na frente com um golaço do Luan (Santana?). Mas o Cruzeiro conseguiu empatar com Anselmo Ramon (por onde anda?, diz aí Felipe), que já esteve aqui mas não caiu nas graças da nossa "paciente" torcida.

Nau lusitano-carioca continua de vento em popa - os reservas do Vasco venceram o Coelho mineiro com facilidade. O time carioca está me surpreendendo, mas o mineiro deve mesmo vai disputar o mesmo campeonato do Avaí.

Atual campeão vence fora - o Atlético Goianiense perdeu para o Fluminense num gol de zagueiro. Será que o Abel Braga vai dar jeito neste time? O time de Goiás já gastou os pontos que tinha ganho em Coritiba.

Com estes resultados, o Leão continua sem marcar pontos, junto com os times paranaenses. Seis pontos nos separam da zona da Libertadores (é brincadeira, tá). Muita gente perdeu pontos em casa. Alguns recuperaram (Ceará, Fluminense e Grêmio) e outros ficaram no prejuízo (Avaí, Atlético-PR, Coritiba, Inter, Bahia e Cruzeiro).

Vamos acordar Leão, que ainda dá tempo.

Vaia da torcida nunca ajuda

Assistindo aos jogos deste domingo, escutei o Batista comentando as vaias que a torcida do Atlético Paranaense fazia cada vez que um de seus zagueiros tocava na bola. O comentarista gaúcho disse que estas vaias só atrapalhavam e prejudicavam não só o rendimento do zagueiro como de toda a equipe, pois os outros jogadores também sentiam a pressão.

Ele disse que a pior coisa que existe para um jogador é ser vaiado pela sua própria torcida.

sábado, 28 de maio de 2011

Tem gente que torce para jogadores, não para o Avaí

Eu não gosto de ver o Avaí perder, mas fico ainda mais chateado com o comportamento da nossa torcida. Ficam pegando no pé de alguns jogadores, mas relevam o erro de outros.

Vaiar o Marquinhos Santos? Vocês estão de brincadeira, né? Se o galego estava em dúvida se devia aceitar a proposta do Grêmio, deve ter achado a resposta neste jogo. E olha que eu cobrei aqui várias vezes um desempenho melhor dele. Eu sei que ele pode fazer mais. Mas daí a vaiar o cara e chamá-lo disso e daquilo vai uma distância grande.

Quando o Estrada finalmente entrou, fez umas boas jogadas, mas também errou. Não escutei ninguém vaiando. Ué? A cada erro era uma vaia, por que não vaiaram o erro do colombiano?

Vaiar o técnico. Eu não vou defendê-lo, apesar de achar que pouca culpa ele teve hoje. Mas vaiar o técnico é vaiar o time todo. Façam isso depois do jogo, nunca durante.

O time não foi bem hoje, mas a torcida foi pior que ele.

Acorda torcida. Vão esperar chegar nas últimas rodadas para apoiar o time, não importa quem esteja jogando? Por que não começam a fazer isto agora?

Depois não reclamem em voltar a jogar contra Brangantino e cia.

O jogo que eu vi

Apesar do resultado, não achei que o time tenha jogado tão mal assim. No primeiro tempo, é bem verdade, o time pouco fez, mas ainda assim conseguiu marcar um gol, num lançamento do Marquinhos Gabriel para o Rafael Coelho que ganhou de cabeça do zagueiro e a bola sobrou para Fábio Santos que não desperdiçou e marcou o primeiro gol do jogo.

O Atlético não assustava. Trocava passes, mas só chegava no gol de Renan através de chutes de fora da área. Mas daí, numa cobrança de escanteio, um zagueiro mineiro ganhou do Julinho de cabeça e a bola sobrou para outro zagueiro que fez o gol. O resto do primeiro tempo foi de dar sono, sem chance por parte de nenhum dos dois times.

No início do segundo tempo, o Atlético fez o segundo, em novo escanteio. Desta vez, a falha foi do Gustavo Bastos que nem subiu e o zagueiro mineiro cabeceou e fez o gol. Depois, mais um gol de escanteio e nova falha da zaga. O Avaí atacou, criou chances, mas não fez o gol.

A torcida xingou, chamou o técnico de burro, mas eu não concordo com isso. No segundo tempo o Avaí merecia sorte melhor, pois atacou e produziu, talvez até sem muita coordenação, mas tentou. O Atlético chegou pouquíssimas vezes e só vez os gols por causa dos seus zagueiros. Não fariam de outro jeito. Dizer que o time estava escalado errado? Talvez, mas a derrota não foi por causa disso.

Não vi falha do Renan em nenhum dos gols. A bola estava muito longe para ele se arriscar e sair. As falhas foram de marcação da defesa. Gostei do George Lucas. Não é veloz, mas mostrou que sabe cruzar. O Julinho não sabe jogar de lateral. Ele só sabe jogar de ala, indo para cima do adversário. Não sabe marcar. Não adianta insistir. Esta talvez tenha sido a falha do Silas. O time se apresenta melhor com três zagueiros. Ele sacou Révson, mas não o culpo por isso. Se tivesse escalado o garoto e mesmo assim o Avaí tivesse perdido, iam falar que ele é teimoso. Como mudou, agora estão dizendo que ele não tem convicção. É duro de aguentar esta turma. A defesa para mim é Gustavo Bastos, Gian (não sei se os dois podem jogar juntos) e um terceiro a ser contratado. Enquanto não chega, coloca o Bruno assim que puder.

No meio de campo, Marcinho Guerreiro e Acleisson não me inspiram confiança. Acho os dois muito pesados, apesar do Acleisson ter chegado bastante no ataque e ter cobranças duas boas cobranças de faltas que exigiram grande defesa do goleiro atleticano. Prefiro Diogo Orlando e Bruno, mas não sei se vai dar certo. Marquinhos Santos deve ter feito sua última partida. A torcida não tinha o direito de pegar no pé dele como fez. Acho que o Silas tirou ele antes dele se irritar de vez com a torcida e mandar uma banana para os corneteiros. Vou falar mais da torcida mais tarde. Estrada entrou bem em seu lugar e deu outro ritmo a partida. Se o galego for para o sul, ele deve ficar no seu lugar. Marquinhos Gabriel fez uma boa partida, mas pode melhorar.

Na frente, gostei bastante do Fábio Santos. Acho que vai ser titular junto com o Willian. Rafael Coelho participou do primeiro gol, mas parece que se esconde do jogo, ou não sabe se posicionar em campo. Romano entrou e perdeu um gol na entrada da grande área. Isto poderia ter dado uma esperança para o time. Robinho novamente entrou numa fria e não deu em nada.

O campeonato só está no começo, mas é bom não esperar muito, porque aquela arrancada de 2009 não irá se repetir. É melhor começar a pontuar. E o próximo adversário é complicadíssimo. Se o Santos ir a final, jogaremos contra um time misto, que não é fraco.

O brasileiro começa hoje para nós

A Copa do Brasil já é passado. Vou torcer para o Coritiba, mas acho que nem vou assistir aos jogos decisivos. No mesmo horário tenho meu futebol semanal que deixei de lado nas últimas duas semanas para assistir os jogos do Avaí.

Agora é série A. E não vai ser nada fácil. Cada rodada, um time grande. O rubro-negro da Gávea já foi e agora é a vez do Galo Mineiro. Nos últimos dois anos, foram 4 partidas, com 3 empates e uma derrota.

O time mineiro vem se renovando e seu técnico está apostando em alguns jovens, mesclados com nomes um pouco mais conhecidos, como Magno Alves, Richarlyson, Neto Berola e Guilherme. O técnico deles diz que vem com uma postura ofensiva, o que eu não acredito. No bolão do Uol, somos favoritos. O que não quer dizer nada.

Não sei qual o time Silas vai escalar, mas espero que a única coisa que os jogadores se lembrem da quarta-feira é que eles precisam ter mais vontade para jogar. Espero também que o trio cotado para sair (Renan, Julinho e Marquinhos Santos) se concentre no jogo e mostre porque outros times estão interessados neles. Acho que temos times para encarar bem o adversário e conseguir uma boa vitória.

Por fim, se a torcida quer que os jogadores mostrem futebol, a gente precisa mostrar que também deixou o abatimento para trás e que vai torcer e apoiar a equipe durante todo o jogo.

Aos corneteiros, que costumam vaiar a equipe, principalmente num jogo após uma derrota como a da quarta, peço que fiquem em casa, assistindo pela TV, ou vão passear em outro lugar. O dia está bonito e vocês podem aproveitar o tempo, sem estragar a diversão dos outros torcedores.

Hoje é dia de apoiar o time. Não podemos perder ponto em casa, para não começar a criar um clima de desespero e desconfiança.

Oh, oh, oh, vai pra cima deles, Leão!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Estamos evoluindo

É claro que todos esperavam chegar à final da Copa do Brasil, já que a oportunidade apareceu e não sabemos quando isto voltará a acontecer. Entretanto, apesar da tristeza, é preciso reconhecer a evolução do clube nos últimos anos.


E não estou falando apenas da parte patrimonial, que salta aos olhos. Quem tivesse ido morar fora há 10 anos e voltasse hoje na Ressacada, ia ficar espantado com as mudanças no estádio, que está muito mais bonito. Campos de treinamento, novas coberturas, cadeiras em todo o estádio, etc. Isto porque a gente nem sabe de todas as alterações que aconteceram na parte interna, como a recente reforma do vestiário do Avaí.


Mas houve também uma grande evolução nos resultados obtidos dentro do campo. Até 1998, nossa história estava resumida às conquistas estaduais e alguns episódios fora daqui. Uma rica história é verdade, mas com uma repercussão apenas local.


Em 1998, com a conquista do Campeonato Brasileiro da série C, tivemos nosso primeiro brilho nacional e colocamos uma estrela no peito. Depois disso, ficamos 10 anos buscando um acesso para a elite nacional. Batemos na trave por duas vezes (2001 e 2004), mas em 2008, alcançamos o sonho de estar na competição mais importante do futebol brasileiro.


Já em nosso primeiro ano na elite, em 2009, após um começo preocupante, subimos como um cometa e alcançamos a melhor colocação de um clube catarinense no campeonato brasileiro, conquistando a 6ª colocação. Fomos notícia durante todo o ano. De quebra, conquistamos o campeonato estadual depois de um longo e tenebroso inverno de secura e amargura.


Em 2010, se não fomos tão bem no certame nacional, conquistamos o bicampeonato estadual e chegamos numa fase mais avançada na Copa do Brasil (3ª fase), depois de termos eliminado o Coritiba em pleno Couto Pereira. No segundo semestre fizemos um bonito papel na Sulamericana, chegando as quartas de finais. Poderíamos ter ido até mais longe, mas a pressão do rebaixamento dividiu nossas atenções.


Neste ano, começamos mal, com uma campanha bisonha no campeonato estadual, atenuado levemente por conseguir eliminar o Tombense na casa deles. Mas na Copa do Brasil, voltamos a ser notícia. Fizemos uma ótima campanha, alcançando as semifinais, com reais chances de conquista do título. Fomos destaque na mídia e a Ressacada foi palco de grandes atenções por parte da imprensa.


Não soubemos aproveitar a oportunidade que apareceu, mas fica a lição que podemos pensar um pouco mais alto e mais longe. Não podemos deixar se abater com esta desclassificação. Outros grandes clubes também pararam no meio de caminho. Times com mais tradição e bem mais recursos financeiros saíram antes de nós, como São Paulo e Botafogo, que o Avaí mesmo eliminou, além de Flamengo, Atlético-MG e Palmeiras.


Restou o campeonato brasileiro, o que não é pouco. É claro que a primeira meta será permanecer na série A, mas acho que podemos almejar pelo menos a Sulamericana, cuja classificação não é tão complicada (tem que ser 13º ou 14º). Vejo neste torneio, uma boa chance do Leão voltar a brilhar em 2012. Não sonho por enquanto com a Libertadores, apesar do time de 2009 ter mostrado que não é impossível chegar lá. Mas talvez não fosse a hora certa para nós. Vejo que outros times que já chegaram lá, hoje estão penando nas séries B (Criciúma, Sport, Paraná, Goiás, Guarany, São Caetano), C (Payssandú e Santo André), D (Juventude) e até sem série (Paulista e Bangú).


Não duvido que a disputa deste torneio pudesse ser a oportunidade do Avaí dar um salto de tamanho, qualidade e orçamento, mas temo que nossa estrutura não esteja pronta para este salto. É como uma empresa, que vê um novo nicho de mercado, mas que precisa decidir entre investir muito pesado para conquistá-lo, sem a certeza do retorno, com o risco de quebra, se não der certo, ou esperar crescer com sustentabilidade, para alcançar seus objetivos a longo prazo, solidificando sua marca ao longo dos anos.


Assim como demoramos para chegar na elite, mas quando chegamos, aparecemos e começamos a escrever uma bonita história, talvez seja o caso de não nos apressarmos em chegar tão rápido a Libertadores. Nosso quadro associativo não é tão grande como poderia ser. É claro que aumentaria com a ida à Libertadores, mas como o clube se manteria nos anos seguintes? E a estrutura do estádio e fora dele?


Eu sei que muitos times não têm a estrutura que o Avaí tem, mas eles têm algo que vamos demorar algum tempo para conquistar: visibilidade na mídia. É isto que atrai os patrocinadores. Os patrocínios têm aumentado, mas creio que ainda não sejam suficientes para este nível de competição.


Enfim, ficou o gostinho de quero mais. Mas também ficou a certeza que podemos mais. Tudo chegará a seu tempo. O que não podemos é diminuir. Temos que continuar na elite, para daí, subir cada vez mais.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

E a torcida?

Quase 17.000 pessoas estiveram na Ressacada nesta quarta. Parabéns a toda torcida que fez uma bonita fez. Mas tenho algumas considerações a fazer:

Apoio da torcida

A torcida apoiou bastante o time, mas ele não correspondeu em campo. Sei que dificilmente seremos como os argentinos, que apóiam seu time, o tempo todo, independente do resultado. Entretanto, nesta noite, a torcida, se não o fez em tempo integral, tentou empurrar o time em boa parte do tempo.

Corneteiros do Setor A

Não sei se o número de corneteiros nos outros setores é igual ao setor A, mas acho difícil ter mais que lá. Teve um momento do jogo que alguns corneteiros começaram a vaiar o Marquinhos Santos quando ele tocava na bola. Felizmente, os demais torcedores, que eram maioria no setor, reclamaram imediatamente da atitude dos corneteiros, que fecharam o bico. Por que esse pessoal não fica em casa? Eles não fazem falta. Prefiro ter uma torcida menor, que incentiva o time, do que ter um pouco maior (felizmente são poucos), com a presença destes infelizes.

Presença da Torcida Adversária em Setor Avaiano

Como eu já havia alertado (clique), torcedores vascaínos compraram ingresso no setor reservado para a torcida do Avaí (só me enganei com o setor, que foi o E). A polícia deixou entrar e ainda ficaram separados. Não posso acreditar que a diretoria disponibilizou ingresso para eles naquele setor, porque se fosse assim, teriam aumentado um pouco o espaço nas arquibancadas descobertas. Isto é um absurdo. Depois acontece confusão e a culpa é do Avaí.

Deixo aqui uma sugestão para a diretoria do Avaí. Nos próximos jogos, cuja previsão de lotação do espaço adversário seja total (jogos contra Grêmio, Inter, Corínthians e Flamengo), a diretoria não deve vender antecipadamente ingressos para os setores vizinhos ao setor da torcida adversária (F), no caso os setores E e G. Nos demais setores, se comprarem, não conseguirão se aglutinar, como fizeram na quarta.

Assim, reduzimos o risco de ver torcedores adversários em locais reservados para nós, pois eles terão que ir até as bilheteria deste setor, reservadas para os avaianos. Prefiro ter estes setores vazios do que com a presença dos torcedores adversários.

Podem ter certeza que na casa deles, eles não vão deixar a gente ocupar o espaço deles.

Quem não jogou sempre é a melhor opção

Estou lendo na blogosfera avaiana uma grande relação de opções que o Silas tinha e não usou. Por que não usou Emerson Nunes? E o Batista? Pra que ter Fabiano no elenco se não usa? Até o Clayton ressuscitaram.


Não duvido que um destes, ou outros que não citei, poderiam ter entrado e num passe de mágica, começassem a jogar o que não jogaram neste ano. Mas é improvável.


Quando a gente gosta de um jogador, só vem lembranças do que ele fez de bom. Batista já jogou bem? Já, mas faz tempo. Este ano não se apresentou. Émerson Nunes, que eu até gosto bastante, não fez boas partidas nas últimas vezes que entrou. Fabiano poderia ser uma opção para ontem se o Avaí estivesse vencendo ou empatando sem gols, porque com sua experiência poderia ajudar a "amorcergar" o jogo. Mas não era este o caso. E o Clatyon? Pode até ser um bom rapaz, mas achar que só porque é zagueiro vai jogar melhor que outros que estão improvisados é um sofisma. Se fosse assim, era só usar os juniores para compor o elenco: afinal, um zagueiro novinho deve ser melhor que um volante mais experiente improvisado. Ah, mas ele entrou uma vez e fez o gol da vitória. E daí? O jogo ontem era contra o Vasco da Gama pelas semifinais da Copa do Brasil.



Se o Silas colocasse qualquer um dos que não foi usado, a gente ia estar perguntando porque não usou os que foram usados. O Marquinhos Gabriel, por exemplo. Se ele tivesse ficado na reserva, não tenho a menor dúvida que ia ter gente perguntando: para que ter ele no elenco, se é para ficar na reserva? Isto já aconteceu este ano.



Ou seja, não tem jeito. Para muitos comentaristas de resultados, a melhor opção sempre será aquela que não foi usada pelo técnico.



Estes comentaristas nunca perdem uma partida.

E o trevo da seta não acabou com a fila

Isto era previsível. Já dizia numa postagem que fiz em março (clique), que para os grandes jogos, o problema para chegar até o estádio continuaria o mesmo.


Saí de casa, no Kobrasol, às 19:50, ou seja, duas horas antes do jogo começar. Se o jogo do Avaí ocorresse em Itajaí eu poderia ficar um pouquinho mais em casa. Encontrei fila no túnel Antonieta de Barros e só passei a terceira marcha já perto do elevado. Cheguei ao estádio às 21:20, uma hora e meia depois de tirar meu carro da garagem. É muito tempo. Considerando que são 16 km de distância, fiz o trajeto numa velocidade média de 10,7 km/h. Acho que de bicicleta teria sido mais rápido.


Estacionei meu carro no lugar de sempre. Foi a última vez que fiz isto, porque o proprietário cresceu o olho e aumentou de R$ 5,00 para R$ 10,00. Vai ficar sem meu dinheiro daqui para frente.

Na volta, a fila gigante que esperava. Tudo trancado. A fila só começou a andar depois da uma hora da manhã. Eu não entendo. O jogo terminou perto da meia-noite. Para hoje, por exemplo, o último vôo marcado é para 23:35, o que significa que o passageiro precisa chegar lá no máximo às 23:00 horas. Então, porque demorou tanto para as liberações surtirem efeito? Acho que a Polícia precisa também cuidar dos outros pontos que podem represar a saída, como os semáforos da via expressa sul.


Cheguei em casa por volta das duas, pois inventei de passar no McDonald's do Kobrasol para comprar um lanche. Mais uma fila. Não sei qual é o melhor deles, mas o pior com certeza é o drive-thru deste estabelecimento do Kobrasol. Não recomendo.

Resumo dos tempos: gastei quase 6 horas para assistir a um jogo que dura 90 minutos. É muito tempo perdido.


Por isso que digo que um dos maiores entraves para aumentar o número de sócios (além é claro do preço) é essa maldita fila.


E tem gente que achava Florianópolis tinha condições de sediar a Copa do Mundo!

Silas errou?

Quando o time perde, o técnico sempre tem uma parcela de culpa. E ontem não foi diferente.

Entretanto, não achei errada a escalação proposta por Silas. O que ele poderia colocar diferente daquilo? Levamos um gol de bola parada, logo aos 3 minutos de jogo. Não existe esquema de jogo ou tática que possa evitar isto. São coisas do jogo. Não foi porque Silas escalou fulano ou sicrano que levamos este gol. Podia ter Estrada, Rafael Coelho, Fabiano e quem mais quisessem escalar, que o gol poderia ter acontecido.


A proposta do técnico avaiano era segurar o ímpeto vascaíno e não levar gol, fazendo que o time carioca ficasse talvez ansioso e se desarrumasse em campo. Não foi o que aconteceu. Fizeram um gol e quem se desarrumou foi o Avaí.


Pressionado pelo resultado e pela torcida, Silas resolveu sacar Acleisson e colocar Rafael Coelho. Não gosto de ser profeta do passado, mas acho que Silas fez isto muito cedo, pois o setor de marcação ficou ainda mais vulnerável. Em outros jogos, ele dizia que tentaria manter o esquema tático durante o jogo e só nos últimos 10 minutos é que se lançaria com tudo. Ontem ele não pensou assim. Arriscou muito cedo e o Vasco, num contra-ataque, chegou ao segundo gol e tudo ficou mais difícil.


Eu teria mantido a estrutura tática, apesar dos gritos e clamores da torcida que queriam o time indo para cima do Vasco. Aliás, acho que a torcida anda pensando que nosso ataque é uma máquina, pois acha que podemos encarar todos os times de peito aberto. Ainda não chegamos lá. No brasileiro de 2009, nosso sucesso acontecia porque tínhamos uma defesa muito sólida, que garantia lá atrás. Bastava o ataque funcionar um pouco que as vitórias aconteciam.


Quando ainda estávamos perdendo por um gol, mesmo não jogando bem, não estávamos longe da classificação. Bastava um gol para levar a disputa os pênaltis. Rafael Coelho não entrou bem e o Acleisson, mesmo não estando tão bem, ajudava bastante na marcação. Ficamos pior depois da substituição.


As outras substituições foram apenas uma maneira de tentar mudar o time para ver se algo mágico acontecia. Estrada é craque da galera, mas em campo ainda não mostrou que é diferente dos outros. Como já falei antes, Robinho não acrescentou nada.

Eles jogaram e a gente assistiu

Esta frase eu escutei quando estava saindo do estádio e acho que resumo o jogo. Não foi a noite que a gente queria. Quando acontece uma derrota como esta, os profetas do passado aparecem aos borbotões, mostrando o que o Silas fez de errado.


Uns falam do Romano, que para mim, jogou uma boa partida. Dizer que o ataque não produz com ele? Mas antes era o Diogo Orlando e o Felipe e conseguimos chegar até as semifinais com eles. Com eles na ala, aí mesmo que não tínhamos jogada de ataque pela lateral direita. Então este argumento não é válido. Falar que ele não marca bem? Os gols saíram do outro lado e o Éder Luiz fez uma festa foi nas costas do Julinho. Vi o Romano com muita vontade e jogando com garra. Infelizmente ele parece não ter velocidade para jogar de ala. É habilidoso, mas o jogo do Avaí não está encaixando para ele. Do outro lado, Julinho fez uma partida apagada. Não atacou quase nada e nem marcava direito. Ou seja, peça nula em campo. Tem muito futuro e pode ser uma grande arma para o Avaí. Espero que não seja liberado para outro time.


Também falam da improvisação do Révson. Jogou muito bem em São Januário e na Ressacada contra o São Paulo. Então, o problema não foi a improvisação. O problema é que ele, além de perder o tempo da bola (por isso cabeceou para trás), está com um azar danado. Já é a segunda vez que faz isto e já é a terceira vez que isto acontece na Copa do Brasil (o gol do Ipatinga na Ressacada, marcado pelo Julinho).


Quem para mim está abaixo do resto do time é o Cássio. Toda vez que ele joga, parece que a zaga fica insegura, principalmente nas bolas aéreas. Ele está inseguro e apesar de seu histórico, tem que lutar para ficar pelo menos no banco. Gustavo Bastos mostrou que foi uma boa contratação. Está precisando de uma boa companhia para fechar a zaga. Senti falta do Bruno, que muitos nem queriam ver na Ressacada. Não é garantia de coisa alguma, mas acho que a zaga fica mais segura com ele ali. Renan foi bem e se mostrou seguro. Não teve culpa nos gols e evitou coisa pior. É outro que precisa ficar na Ressacada.


Marcinho Guerreiro se doa, mas nem sempre isto é suficiente. Está sem velocidade e chegando atrasado nas bolas. Acho que o companheiro ideal para ele é Diogo Orlando, que tem mais velocidade e poderia compor melhor o setor de marcação do meio de campo. O Acleisson tem características semelhantes ao Guerreiro e ontem esteve várias vezes no ataque. Só que ele não tem velocidade para voltar a tempo de recompor o meio de campo.


E o Marquinhos Gabriel? Realmente não jogou bem, assim como Marquinhos Santos e Willian. Então não dá para carregar a culpa em um único jogador. Na partida contra o São Paulo ele fez o gol da classificação e no jogo contra o Botafogo no Engenhão fez uma ótima partida. E o Marquinhos Santos, o que fez na partida? Nada. É melhor que vá para o Olímpico? De jeito nenhum. Se não jogou bem ontem, não quer dizer que não possa voltar aos seus melhores dias. Precisamos dele para fazer uma boa campanha na série A. E o Willian? Também esteve abaixo do que vinha fazendo, mas de todos os jogadores do plantel é atualmente o que tem mais crédito com a torcida. Rafael Coelho entrou, mas não está bem. Acho que está usando calção número 52. Estrada entrou e não acrescentou muita coisa. Talvez se começasse jogando, a história seria outra, mas ele não mostrou isso contra o Flamengo. Por que ontem s eria diferente? Robinho entrou numa fogueira. Se já não é grande jogador, ontem mesmo que não ia resolver.


Bola pra frente, que sábado já tem Brasileirão.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Para ir, torcer e festejar

Dia histórico, que será ainda mais lembrado se o resultado final for favorável ao Leão dão Ilha. Apesar do time não ser uma seleção, acredito muito nele, pois o considero melhor que time do Rio. No jogo da semana passada, com um pouco mais de ambição e o Willian numa noite mais inspirada, poderíamos ter liquidado a fatura lá mesmo.


Apesar disto, não acredito em jogo fácil. É um jogo decisivo, jogo nervoso e que tudo pode acontecer. Se fosse um jogo do campeonato brasileiro válido pela Loteria Esportiva, sem aquela pressão pelo resultado e a classificação, cravaria no Avaí, palpite simples. Como é um jogo pela Copa do Brasil, que qualquer gol pode mudar o rumo da história, é preciso ter cuidado.


Não é hora de inventar ou ser audacioso. Vencemos o São Paulo, depois de estar perdendo por 2x0 no placar agregado e conseguimos reverter a situação. Empatamos com o Vasco no Rio, num jogo que poderíamos ter vencido, já que o time carioca não teve tantas oportunidades claras de gol. Por isso, acho que o Avaí tem todas as condições de vencer o time da Colina e se classificar para a final.


Para nós, torcedores, só resta uma coisa: ir, apoiar todo o jogo e no final, festejar.


Vamos para cima deles, Leão!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Arquibancada mista não

Li que com a venda de todos os ingressos para a torcida do Vasco, tinha vascaíno comprando ingresso no Setor F setor E. A polícia não pode deixar este pessoal entrar, principalmente com a camisa do Vasco. Não me interessa se compraram ingressos, pois sabiam que aquele lugar não é para torcedor do Vasco. Espero também que a polícia não queira fazer uma divisão no setor F para evitar confusão. O que tem que fazer é mandar os vascaínos embora do setor, que é só para a torcida do Avaí.

Por último, o caso dos cambistas que devem ter feito muitas apostas na Timemania para comprar ingresso e depois vender mais caro.

Li no blog do André Tarnowski que os ingressos para menores de 12 anos vem com o nome da criança. Se eles conseguem colocar o nome nestes ingressos, acho que poderiam colocar no nome em todos os ingressos. Eu sei que dá mais trabalho e que a venda dos ingressos pode até demorar um pouco mais, mais não seria ótimo se em cada ingresso tivesse o nome e o número da identidade da pessoa. Não precisaria nem trazer a identidade, basta dizer o nome. Assim, se eu fosse comprar o ingresso para alguém, bastaria eu saber o nome e a identidade do meu amigo.

Podem dizer que é muito complicado, que só burocratiza o acesso ao estádio, mas isto evitaria duas coisas: acabaria com os cambistas, já que não iam podem inventar nome de ninguém e afastaria os bandidos com ficha na polícia, infiltrados na torcida (infelizmente deve ter).

Ah, claro, o sistema teria que impedir a venda duplicada para a mesma pessoa.

A conferência do nome e da identidade de quem está entrando poderia variar, dependendo do jogo. Em um jogo com um público menor, confere todo mundo. Num jogo com muitos ingressos vendidos, faria uma conferência por amostragem.

É uma sugestão para a gente civilizar um pouco o acesso ao estádio.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Analisando a rodada

Os jogos da primeira rodada valem tanto quanto da última (três pontos por vitória e 1 ponto por empate). Entretanto, a maioria dos times que perde dá a desculpa que é começo de campeonato, o time está se ajustando, não tem entrosamento, etc. etc.

Entre os resultados esperados (não necessariamente os placares) estão as vitórias do Atlético-MG, do Flamengo (sim, ele era favorito) e do Palmeiras. O Galo ganhou fácil do xará paranaense e o Verdão venceu por um placar magro do Botafogo, num jogo horrível (eu assisti uns pedaços). Já falei da vitória rubro-negra no sábado.

O empate entre Santos e Inter também pode ser considerado normal, apesar do peixe ter jogado com o time reserva. Aliás, que horário horrível esse! Sábado a noite é para passear com a namorada ou ficar com a família.

Já as vitórias do Vasco e do Atlético-GO não eram esperadas, mesmo que seus adversários estivessem jogando com o time reserva e mais preocupados com a Copa do Brasil (como Avaí e Vasco). Aliás, a torcida do Coxa já não deve estar tão confiante, pois já estão há três partidas sem vencer. Se forem desclassificados na quarta (o que não é provável), os mesmos que elogiavam irão xingar os jogadores, pode apostar.

As vitórias de Corinthians e São Paulo fora de casa sobre Grêmio e Fluminense, respectivamente, se não eram esperadas, também não são anormais. Já aconteceram antes e mostram que os dois times paulistas estão entre os melhores do país. Quem falou mal do São Paulo para desdenhar a classificação avaiana ficou sem argumento.

Para finalizar, a derrota do Cruzeiro para o Tombense e a vitória do América-MG sobre o Bahia. O time do Cuca não estava com vontade de jogar e achava que poderia ganhar a qualquer momento. Já o time do Jorgito é só vontade e correria. Teve sorte com o gol contra que ganhou de presente. Continuo achando que não vai longe. Não vi o jogo dos chegados da série B, mas me disseram que os dois realmente são candidatos a voltar para lá.

No sábado vamos encarar o Galo e não podemos perder ponto em casa. Mas isso será assunto somente para a sexta-feira. Até lá, é só Copa do Brasil.

sábado, 21 de maio de 2011

Chega logo quarta-feira

Para a gente esquecer este jogo contra o Flamengo.

O time do Flamengo jogou como deveria jogar o Avaí, marcando em cima e atacando com velocidade. Já o Avaí, jogou no estilo rubro-negro de outros tempos, toquinho para lá, toquinho pra cá. Chance de gol que é bom, muito pouca e só no primeiro tempo.

Até gostei do time no primeiro tempo, mesmo perdendo, não estava afobado e teve algumas chances para marcar. Tocava bem a bola e procurava os espaços. Já no segundo tempo foi uma tristeza. Toque, toque e toque, toque. Nada mais do que isso. Do outro lado, uma defesa que não dava espaço e jogava com raça. Do nosso lado, um medo danado de fazer falta e um tempo de bola todo errado, chegando atrasado em várias jogadas.

E os jogadores?

Defesa - Renan não teve culpa em nenhum dos gols e fez ainda algumas bonitas defesas. A zaga lembrou o campeonato estadual. Gustavo Bastos não estava muito bem hoje. Cássio está mostrando porque o Muricy dispensou ele do Fluminense. O Bruno foi bem e olha que do lado dele tava a fera. Romano esteve bem e se apresentou bastante para o jogo. Mas vai continuar na reserva do Julinho. Felipe. Felipe? Eu falei dos dez jogadores do Avaí e no final fiquei pensando: tá faltando um. Quem será? Ai me lembrei que era o Felipe e voltei nesta parte do texto para tentar escrever sobre ele. Isto mostra a importância que ele teve no jogo.

Meio de campo - Tem gente que ainda insiste que o Avaí não precisa jogar com tanto volante. Olha só o buraco que estava no meio de campo. Fabiano foi uma nulidade. Não marcava e não criava. Acho que pode entrar quando o time está ganhando apenas para "amorcegar" o jogo, devido a sua experiência. O Estrada jogou alguma coisa no primeiro tempo, mas se escondeu no segundo. Se o banco do Avaí fosse na lateral (era no fundo do campo) e ele se sentasse ali, ninguém ia notar sua falta. Mesmo assim, mostra que é bom jogador e pode ser muito útil ao time. Acleisson mostrou que pode ter lugar no time. Deu um passe açucarado para o Rafael Coelho, que pra variar, não fez o gol.

Ataque - Não dá para analisar o Fábio Santos por esse jogo, pois acho que nem sabe o nome de todo mundo ainda. Pra pedir um passe devia gritar, ei, psiu, passa a bola aí. Vamos esperar para ver se ele faz no Avaí aquelas jogadas do DVD dele. O Rafael Coelho é aquele que todo mundo conhece. Se ele consegue aquele drible, se ele acerta aquela bola, se ele ganha aquela dividida... Enquanto isso não acontece, ele fica assim, sem marcar gols.

Dos que entraram: Robinho está como no ano passado - não acrescenta nada ao time. O Maurício Alves é bom jogador, mas analisar o futebol dele neste time é covardia. Mas podia fazer melhor e tem que melhorar. E o Gustavo nem teve tempo de esquentar.

E o Flamengo? É Ronaldinho Gaúcho e Thiago Alves, dois grandes jogadores, e só. O resto é comum e alguns deles seriam reservas no Avaí. Se não contratar mais gente, não acredito em vida longa do WL na Gávea.

Agora é pensar na Copa do Brasil, porque Brasileirão, só no sábado que vem, contra o Galo, que hoje venceu o seu xará paranaense.

Nota Oficial

O Avaí Futebol Clube, em nome de sua Presidência e Diretoria Executiva, vem a público reconhecer as propostas ofertadas por vários clubes brasileiros, e do exterior, aos nossos jogadores, motivo de muito orgulho para a Nação Avaiana. O momento é de extrema valorização dos atletas em virtude da excelente campanha em 2011. Diante das discussões nos últimos dias, esclarecemos:

Primeiro, o clube não abrirá mão de seus jogadores sem a negociação consolidada, que inclui o pagamento das multas;

Segundo, o momento é de decisão e o foco está no jogo de hoje contra o Flamengo e no jogo de quarta-feira contra o Vasco pela semifinal da Copa do Brasil;

Terceiro, o torcedor avaiano pode ficar tranqüilo, pois não haverá “DESMANCHE” para a continuidade da temporada;

Sobre o atleta Marquinhos, todos sabem do amor e dedicação que este atleta tem pelo clube. A história de glórias do jogador passa pela Ressacada e o mesmo sabe da importância que tem junto ao grupo. O clube, dentro de suas obrigações, tomará todos os esforços para manter o jogador. Cabe exclusivamente ao atleta decidir o rumo de sua carreira.

No mais, vamos torcer por um grande resultado hoje em Macaé e desde já convocamos a Nação Avaiana para comparecer à Ressacada na próxima quarta-feira, dia 25, para escrever mais um capítulo da história do futebol catarinense chegando à final da Copa do Brasil.

Nota do Blog: Para a diretoria se manifestar desta maneira, é porque tem realmente fogo onde viram fumaça. Agora é esperar que a diretoria veja que esta não é a hora se desfazer dos seus melhores jogadores. O negócio é tentar segurá-los e no final do ano, com uma boa campanha no brasileiro, aí sim, faturar em cima.


Marquinhos reprovado no exame médico

Calma, é só uma brincadeira.

Escutei esta historinha esta noite de um avaiano fanático, o Jonei, e quero compartilhar com vocês.

Ele disse que o Marquinhos Santos foi até Porto Alegre fazer os exames médicos para jogar no Grêmio.

Entretanto, os médicos gaúchos constataram uma anomalia no coração do galego.

Eles esperavam ver uma imagem como essa:


No entanto, tiveram uma surpresa. Ao invés da imagem esperada, viram seguinte:

É o coração avaiano do Marquinhos, que bate em seu peito.

Aí não tem jeito, ele fica por aqui mesmo.

Abraços ao Marquinhos Santos, nosso craque maior.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Vai começar mais um Brasileirão

Considero que o campeonato brasileiro deste ano será um dos mais difíceis em um dos mais disputado dos últimos anos.

Um dos motivos é que todos os chamados grandes clubes estarão participando. Isto também já aconteceu no ano passado, quando quase fomos rebaixados. Outro motivo é a presença de vários ótimos jogadores nos elencos dos grandes times e a vontade da maioria em ficar por aqui, por causa da Copa do Mundo que se aproxima.

Outro detalhe é que para os grandes clubes que foram desclassificados da Libertadores (Cruzeiro, Grêmio, Inter e Fluminense) só sobrou o Campeonato Brasileiro para disputar este ano. Ou seja, vão entrar com o time completo desde a primeira rodada e no segundo semestre não vão disputar a Sulamericana (que será disputada por Atlético-PR, Botafogo, São Paulo, Palmeiras, Vasco, Ceará, Atlético-MG e Flamengo). Apenas a seleção brasileira pode desfalcá-los. Ainda assim, pela última convocação do Mano Menezes, apenas dois jogadores do Cruzeiro e um dos demais times.

Considero Inter, Cruzeiro, Santos, São Paulo e Corínthians como times de primeiro escalão, que não correm perigo de rebaixamento. Os três primeiros devem brigar pelo título e os outros dois paulistas devem brigar por uma vaga na Libertadores. Acredito mais no time mineiro e no gaúcho.

Num segundo patamar, coloco times grandes que já mostraram no passado que tanto podem fazer sucesso como fiasco: Grêmio, Palmeiras, Atlético-MG e todos os cariocas. Destes, considero Botafogo, Vasco e Atlético-MG como aqueles que correm mais perigo em ficar na parte debaixo da tabela. Acho que um dos três vai disputar a série B do ano que vem. Grêmio e Palmeiras devem ficar na zona da Sulamericana e a dupla Fla-Flu é uma incógnita. O rubro-negro, pelo investimento que fez com o mega-star Ronaldinho, vai estar pressionado para ficar na zona da Libertadores. Acho que não consegue. Não acredito que o time do pó-de-arroz repita a campanha do ano passado, mas não creio que vai correr perigo. Também deve ficar na zona da Sulamerica.

No terceiro bloco temos os times médios que já brilharam: Coritiba, Atlético-PR e Bahia. Não sei se o Coxa, time sensação deste início de ano manterá o pique. Depende muito do resultado da Copa do Brasil. Acho que tem time para brigar lá em cima. O Atlético-PR, apesar da ótima campanha do ano passado, acho que vai ter um ano de sofrimento, principalmente se o interminável Paulo Baier não render o que pode. Acho que o time baiano vai freqüentar a parte debaixo da tabela e corre risco de rebaixamento.

No último bloco, temos os que sempre lutam primeiro para permanecer e depois para alcançar algo a mais: Avaí, Figueirense, América-MG, Atlético-GO e Ceará. Acho que os vizinhos letrados, apesar do futebol sensação que encantou a todos ... da imprensa, não montou uma equipe competitiva para o campeonato deste ano. Sem querer secar, mas já secando, acho que são candidatos a voltar para a série B (não estou sozinho nesta opinião). Não sei o que o Coelho de Minas preparou, mas não acredito em longa vida deles na elite. O Atlético Goianiense tem um time ajustado e acredito que com o susto que levou no ano passado, deve conseguir permanecer mais um ano na série A. E o time cearense já mostrou que é osso duro de roer em casa e deve fazer pontos suficientes para alcançar a Sulamericana novamente.

E o Leão?

No começo do ano, as contratações deram uma grande esperança para a torcida. Depois, o campeonato estadual deixou esta mesma torcida preocupada. E agora, com o desempenho da Copa do Brasil, tem gente delirando.

Os resultados da Copa do Brasil têm que ser vistos com cuidado. Por um lado, ele provou que temos time para encarar os grandes do Brasil. Por outro, o Brasileirão é um campeonato longo, em que os jogadores não se entregam em todos as partidas, como fazem no mata-mata da Copa do Brasil. Haverá muitos jogos com desfalques, por conta de contusões e cartões. Para compensar, acho que o elenco deste ano é mais homogêneo que o do ano passado (e melhor).

Acho que temos um bom elenco e podemos ficar tranqüilamente na zona da Sulamericana. Entretanto, não poderá bobear, porque cada ponto perdido poderá fazer muita falta lá na frente.

Chegar na Libertadores ainda é muito difícil, pelo menos via Brasileirão. É claro que para quem já chegou na sexta colocação, não é demais sonhar com a quinta ou a quarta vaga do torneio continental. Nossa chance de se classificar para o torneio das Américas está na Copa do Brasil, onde acho que temos muita condição de levantar o caneco.

Nosso primeiro desafio será contra o Flamengo, que apesar da eliminação da Copa do Brasil, sempre é um time forte em casa, por conta da torcida, da camisa e da arbitragem. Não sei que o Silas vai escalar, mas acredito num mistão, deixando alguns jogadores descansando para a Copa do Brasil. Não acho errado e não vejo nenhuma relação com a tática que deu errado no ano passado, quando o Antônio Lopes resolveu poupar o time por causa da Sulamericana e dalí pra frente, deu tudo errado.

Agora estamos numa semi-final de Copa do Brasil e o campeonato brasileiro está apenas na sua primeira rodada. É claro que o Leão não tem time para se dar ao luxo de perder pontos por achar que vai recuperar lá na frente. Mas é um risco que temos que correr este ano, pois se não, podemos ficar sem nada.

Acho que vai dar novamente empate com o rubro-negro, mas como a maré anda boa, não duvido que consigamos uma vitória.

Estarei amanhã, na frente da TV, torcendo novamente pelo nosso Avaí.

Vai pra cima deles, Leão!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sobre a promoção e a Timemania

Promoção

Ao fazer sua aposta, não esqueça de indicar o Avaí como time do coração.

Agora não dá para reclamar da diretoria. Ingresso a R$ 34,00 (R$ 4,00 pelas duas cartelas da Timemania e R$ 30,00 pelo ingresso) para assistir uma semi-final de Copa do Brasil, com grandes chances do Avaí passar para a final e ainda num setor coberto é muito barato.

A venda começa na segunda e termina na terça. Vou ficar desapontado se na terça ao meio dia ainda tiver ingresso. Espero que acabe tudo na segunda. Quem sabe depois de esgotar estes 2000 ingressos a diretoria não faz outra promoção para os setores descobertos?

Timemania

Nunca tinha dado bola para a Timemania e resolvi dar uma olhada no site da caixa. Pela lista da colocação dos clubes na timemania, é possível ver que:

Em 2009 o Avaí terminou na 23a colocação. Em 2010 subimos para 22a posição, mesma posição do acumulado deste ano. Segundo o site do Avaí, no mês de abril subimos para o 20 lugar. Não encontrei esta tabela, apenas a que mostra a colocação do último concurso (210) em que o Avaí aparece realmente na posição 20.

Apesar da boa colocação no mês de abril (20), no acumulado do ano estamos em 22, precisando tirar uma diferença de quase 5.000 apostas para ingressar no grupo dos 20 primeiros, ultrapassando Santa Cruz (21) e Atlético Paranaense (20). Temos 10.000 apostas de vantagem em relação ao Sport, nosso concorrente mais próximo (23), mas em compensação, estamos a mais de 60.000 apostas do Vitória (19).

Ainda temos muito tempo para tirar estas diferenças, mas não podemos dormir. No ano passado, o Avaí teve 726.637 apostas (média de 6.987 apostas por concurso) e com isso ficou na 23 colocação, 123.000 apostas a menos que o Ceará (20 colocado com 843.762 apostas).

Este ano, a média avaiana está em 7.248. Se aumentar a média para 7.500 apostas por concurso podemos ultrapassar o Atlético e o Santa Cruz (caso estes times não aumentem suas médias). Se considerarmos o total de apostas do Ceará no ano passado, precisamos aumentar a média para 8.600 apostas por concurso, pois fecharíamos o ano com quase 849.000 apostas, número ligeiramente maior que o total de apostas cearenses em 2010.

Eu que não sou de apostar em nada, vou começar a fazer esta aposta na timemania.

Se a torcida pegar junto, podemos classificar o time para o grupo dos 20 primeiros. Este é um torneio que a torcida pode literalmente fazer toda a diferença. E estaremos ajudando o clube a obter mais recursos, como está explicado no texto do site do clube.

Como curiosidade e informação:

- o prêmio está acumulado e a previsão para o próximo concurso é de R$ 1.600.000 (Um milhão e seiscentos mil reais) para quem acertar os 7 números. Nada mal para uma aposta de R$ 2,00.

- Nos 210 concursos que acontceram até hoje, em apenas 8 vezes alguém acertou os 7 números e em todas estas vezes, sempre teve apenas 1 ganhador.

- o Avaí, junto com outros 4 times (Atlético-PR, Criciúma, Guarani e Olaria) nunca foi sorteado como time do coração. Entre os 80 times, o clube mais sorteado foi o América do Rio (7 vezes). Não fique preocupado com este detalhe, pois isso não faz diferença para a premiação do concurso. Acertar o time do coração só acrescenta R$ 5,00 no valor do prêmio. A marcação do time do coração tem o objetivo de verificar quais times tem mais apostas para definir o rateio dos valores arrecadados.

Então, vamos às apostas.

Promoção de ingressos para Avaí x Vasco

Com dois bilhetes da Timemania, você poderá assistir a decisão por R$ 30,00

Promoção especial para o jogo decisivo contra o Vasco, na Ressacada. O torcedor avaiano que fizer duas apostas na Timemania poderá adquirir ingressos ao preço de R$ 30,00 para os setores C e E (cadeira coberta). Serão 2 mil bilhetes promocionais. A venda se dará de forma antecipada nos dias 23 e 24 de maio (segunda-feira e terça-feira) nas bilheterias da Ressacada das 9h às 19h.

É importante informar que cada ingresso poderá ser comprado com pelo menos duas apostas da Timemania. Cada aposta apresentada terá o seu recibo carimbado no verso, proibindo a reutilização para compra. Serão válidas apostas feitas de 20 a 24 de maio.

Assista a este jogo decisivo por um preço especial e ainda ajude o Avaí a continuar entre os vinte clubes com maior arrecadação na Timemania. No mês de abril, o Leão da Ilha subiu de 21º para 20º lugar no ranking nacional, voltando a figurar no grupo de clubes que divide a maior parcela de recursos da loteria, o que dá melhores condições para investimentos em contratações e na melhoria das instalações da Ressacada.

No dia 25 de maio, data do jogo Avaí x Vasco, o ingresso para os setores C e E custarão R$ 80,00, portanto, terá o preço normal aplicado para venda.

Fonte: www.avai.com.br