quinta-feira, 31 de março de 2011

A imprensa e o Hino Nacional

Que coisa mais vergonhosa o comportamento dos comentaristas da rádio que troca a notícia! Durante a execução do Hino Nacional, os dois continuaram falando sobre a escalação do time do Avaí, não respeitando o momento. Será que já estão tão velhos que não escutaram o hino sendo executado? Depois ficam cobrando isto da torcida.

Avaí 4, Ipatinga 1, Torcida 0

Fui um dos 4.450 torcedores que teve coragem de ir numa noite chuvosa até a Ressacada. O que eu vi?


Começo pela torcida. Dizer que a torcida não apóia porque o time não joga bem é desculpa de corneteiro e de pijama. Quando o time joga bem é mais do que natural que o torcedor aplauda e incentive: só um poste fica parado. Torcedor que é torcedor, incentiva o time desde o início do jogo até o final. É claro que quando o time leva um gol, é natural que a torcida se silencie e leve um tempo até voltar a apoiar. Mas eu não admito vaias e gritos de burro, quando o jogo mal começou.


Nota Zero para muitos corneteiros, pijamas e frustrados que foram ontem ao jogo. Deviam ter ficado em casa.


Agora o jogo.


Eu também gosto de um time ofensivo, mas no jogo de ontem, achei correta a troca de um volante por outro. Para que arriscar num jogo que 0x0 era favorável? O gol sofrido logo no início não tem nada a ver com o esquema tático. Eu como técnico não iria mudar o esquema por causa disso, já que havia muito tempo para reverter o placar. E foi o que aconteceu.


Vários jogadores estavam perdidos em campo e jogando mal e daí sim, acho que é problema do treinador. Apenas não acho que é o esquema tático que deixa o time assim. Em relação ao esquema, 3-5-2, 3-6-1 ou 4-4-2, acho que o time deve jogar no Catarinense como pretende jogar no Brasileiro. Se o Avaí pretende jogar contra o São Paulo, no 3-5-2, com a idéia de vencer, porque não fazer o mesmo contra o Marcílio Dias?


Sobre os jogadores:


- Renan – não falhou no gol. Ainda não passa segurança para o time. Não quero que aconteça (pois vai significar sofrimento), mas ele precisa de uma partida com grandes defesas para poder voltar a ter a confiança da torcida.


- Julinho - horrível. Tem falar para o guri que ele até joga bem, mas menos do que ele pensa. É muito toquinho. Fez o gol contra, mostrando o que um defensor não deve fazer na pequena área.


- Gustavo – não esteve bem, perdendo muitas bolas, principalmente no 2º tempo.


- Gian – gostei bastante. Ganhou várias bolas no alto e se antecipou em várias outras. Para mim, Leonardo fica no banco.


- Cássio – está longe de lembrar aquele zagueiro que jogou aqui. Precisa melhorar e muito.


- Émerson Nunes – o zagueiro regular de sempre. Às vezes até se arrisca no ataque. Tem qualidade com a bola nos pés.


- Marcinho Guerreiro – estava perdido em campo. Quase todas as bolas alçadas na área do Avaí foram em virtude de faltas cometidas por ele. Achei que ia se expulso. Tem que melhorar o tempo de bola.


- Acleisson – já tinha percebido pela TV que havia emagrecido e pude comprovar ao vivo. Começou um pouco estabanado, cometendo a falta que resultou no gol do adversário. Depois foi se achando, dando combate, roubando bolas, fazendo lançamentos, até o seu gol de falta. Escutei um babaca ironizando o volante dizendo que ele deveria imitar o Rogério Ceni, que bateu 15.000 faltas antes de tentar a primeira vez. Pois é, mas na segunda vez no jogo botou uma bomba na rede. Chupa essa. Silas, deixa o Diogo Orlando descansar mais um pouco.


- Marquinhos Santos – melhorou, mas ainda está longe do que pode fazer. Fez o cruzamento para o primeiro gol e cobrou a falta que o Rafael Coelho marcou o terceiro. Só. Espero que ele dance o créu no domingo.


- Rafael Coelho – não é comum falar mal do jogador que faz 3 gols numa partida, mas achei que ele jogou muito mal. Estava perdido em campo, querendo jogar muitas vezes no meio de campo. Errou todos os passes que podia. Um conselho para ele: se está no contra-ataque e só tem mais um zagueiro na tua frente, joga a bola na frente que você chega antes dele. Não inventa de passar, porque você erra. Seja fominha.


- Willian – mostrou a raça que conhecemos, fazendo uma jogada improvável no segundo gol. Merecia ter feito o seu.


- Estrada, Marquinhos Gabriel e Cristian – não tiveram tempo de mostrar muita coisa.


Agora é o clássico. Tem que melhorar muito para a gente vencer o time das letras.

quarta-feira, 30 de março de 2011

O que esperar para hoje?

1 - Casa cheia: o jogo é importante, decide vaga para seguir adiante na Copa do Brasil, tem promoção de ingresso, o horário (apesar de muito tarde) não tem problema de liberação de pista. O torcedor tem que ir. Entretanto, acho que não passa de 7000.


2 – Cornetas e Pijamas: o time levou uma paulada no último final de semana, não vem mostrando um futebol que agrade e vai ter muito corneteiro querendo que o Silas mude o esquema e a escalação, mas que se não der certo não vai botar a cara para bater ou dizer que estava errado. Vai ter muito pijama, que vai pedir a entrada do Maurício Alves ou do George Lucas que estão machucados, ou que vão criticar o Cássio, pensando que é o Rafael. Recado para vocês: fiquem em casa. Mais vale a pena 4000 torcendo do que 8000 corneteando.


3 – Torcida Apoiando: apesar dos cornetas e pijamas, espero que a maioria incentive o time desde o começo do jogo. Muitas vezes vejo que é o time que acorda a torcida, fazendo uma boa jogada ou criando um lance de perigo. É a torcida que tem que empurrar o time pra frente, cantando e a apoiando. Espero não escutar vaias quando o Avaí ficar tocando a bola, esperando o momento certo de lançar a bola. Quem tem que partir para cima é o adversário, pois o resultado inicial (0x0) classifica o Leão. Apoiar sempre. Vaiar, só depois do jogo.


4 – Raça e Vontade: o time tem qualidade, mas tem que mostrar raça para jogar. Dividir as bolas sem pensar que tem clássico no domingo.


5 – Velocidade: tem muito jogador com a mão na cintura assistindo o jogo. Quando a bola vem para ele, leva até um susto, pois não estava esperando. Os jogadores têm que se movimentar mais, para dar alternativas para o meio de campo lançar.


6 – Não desperdiçar as chances – como já dizia Dadá Maravilha, não existe gol feio, feio é não fazer gol. Portanto, apareceu a chance, não pode desperdiçar. Prefiro que um jogador perca uma chance tentando chutar no gol do que tentando passar a bola para o companheiro. Se não chutar, não tem como fazer gol. Alô Rafael Coelho, acorda. Willian, volte a ser o matador.


7 – Grande partida do Marquinho Santos: espero que ele mostre o que sabe jogar e assim não permita que eu e mais um monte de gente o critique após o jogo. Quando o galego joga bem, o time todo joga bem e a vitória é quase certa.


8 – Vitória sem sofrimento: espero que o Avaí faça um gol logo no início e já tente fazer logo outro. Não quero ver o time cozinhando o adversário, com um 0x0 perigoso, ou um frágil 1x0. Já vimos que o Sobrenatural de Almeida aparece de vez em quando na Ressacada. Não vamos dar sopa para o azar. Quanto mais cedo fechar o caixão do adversário, melhor.

terça-feira, 29 de março de 2011

Mudando o foco

Passada a ressaca da sacola de gols que o Avaí trouxe no último domingo de Joinville, agora o pensamento está voltado para a Copa do Brasil. É possível esquecer o campeonato local e pensar apenas no torneio que pode nos levar a Libertadores? Sim e não.

Sim - porque é um campeonato, que o Avaí deve jogar com o regulamento na mão. Gostaria que fosse pra cima e marcasse um gol logo de cara, para tranqüilizar o time e a torcida. Entretanto, visto que o Avaí começa o jogo classificado, pois o 0x0, combinado com o 1x1 da primeira partida dá a classificação para o Leão, não é necessário sair desesperado para fazer um gol e deixar a retaguarda descoberta, como ficou no último domingo. Por outro lado, não gostaria de ver o time enterrado na sua defesa, o que normalmente dá campo para o adversário crescer e gostar do jogo. Atacar sim, sem descuidar da defesa, mas não ficar atrás, para jogar no contra-ataque.


Não - como é possível esquecer a derrota acachapante da última rodada? Como é possível jogar, sem pensar que no próximo domingo tem clássico? A torcida tem que apoiar, mas vai cobrar mais disposição do time. Por isso, seria muito bom que o Avaí conseguisse impor seu ritmo e decidisse a partida já no primeiro tempo, porque daí sim, poderia tirar o pé na segunda etapa, poupando até alguns jogadores para o próximo jogo. Infelizmente, ainda não vimos o Avaí mostrar em campo o que pensamos que ele pode fazer, com o elenco que tem.

O time tem obrigação de se classificar. Não me venham dizer que o futebol é uma caixinha de surpresa, que no campo são 11 contra 11, que não tem mais bobo no futebol, que o Ipatinga é uma boa equipe, blá-blá-blá, blá-blá-blá.

O Ipatinga é o lanterna do campeonato mineiro, jogou 9 partidas, com 4 empates e 5 derrotas (nenhuma vitória). Na última rodada, perdeu em casa para o América de Teófilo Otoni (que está em segundo no campeonato). O time fez 6 gols e levou 20 até agora.


Se não se classificar, a casa vai cair.

domingo, 27 de março de 2011

O campeão sumiu

Não fizemos e levamos uma surra. Não dá para dizer o time joga bem quando leva quatro gols e não faz nenhum.

Renan - falhou no primeiro gol e cometeu uma penalidade infantil. Defendeu o penalti cobrado no cantinho pelo Ramon. Fez alguns bons lançamentos. Não é hora ainda o Aleks.

Juninho - não acertou nenhum cruzamento.

Gustavo - se apresentou para o jogo, mas não chegou na linha de fundo.

Zaga - falhou no primeiro gol e bateu cabeça nos outros três. Já nem sei quem escalar mais. Acho que tem que contratar zagueiro. Já falei e volto a dizer: coloca o Mauro Galvão para treinar a zaga.

Marcinho Guerreiro - hoje não estava tão bem. Levou amarelo e se fica, ia ser expulso. O Silas fez bem ao tirá-lo, pois precisamos dele no clássico.

Diogo Orlando - é ruim elogiar um volante quando o time leva quatro, mas acho que ele se apresentou bastante para jogo, não se escondeu.

Marquinhos - não precisa ir para o banco, mas hoje estava mal. Depois que o time levou o terceiro, me pareceu daqueles cara de pelada que joga muito, mas quando o time está perdendo, se desinteressa pelo jogo. Ah, perdeu mais um penalti que poderia ter mudada a história do jogo.

Rafael Coelho - só tem vontade, o que é muito pouco. Correr atrás da bola até o Cristian corre. Pode render mais, mas hoje foi muito mal.

Willian - hoje não foi bem. Como tem muito crédito, nem merece muita crítica. Parece que estava preocupado em não levar cartão amarelo.

Marquinhos Gabriel - quando entrou, deu um gás, mas caiu com o resto do time após o terceiro gol.

Estrada - tem que entrar bem antes, porque não dá tempo de mostrar nada. Quando entrou, o time já tava no bagaço.

Acleisson - na televisão, parece que emagreceu um pouco. É só o que dá de falar dele.

Silas - espero dê uma sacudida no time, pois com esse futebol a gente não chega a lugar nenhum. Se for para manter três zagueiros e dois volantes, não pode levar tanto gol.

Time - de positivo, vi que o time não ficou tão irritado como imaginava, e não levou tantos cartões como imaginava que ia levar. Vi poucas reclamações. De negativo, todo o resto. Como já falei, o time parece muito auto-suficiente, que acha que pode resolver o jogo a qualquer hora.

Joinville - joga na vontade, mas não vai chegar. Lima deu um baile na zaga do Avaí. Deixa eles comemorarem, pelo menos ficam felizes num final de semana. Com esse time voltam para a série D.

Arbitragem - não temos o que reclamar.

Não acredito muito, mas espero que este resultado sirva para acordar o time, como aconteceu em 2009, quando levou 5x1 da Chapecoense e depois foram 5 vitórias e 1 empate, que levou o time a conquistar o returno. Infelizmente, desta vez só temos 3 rodadas para se recuperar.

O tricampeonato está ficando longe.

Criticando sem saber

Olhando a blogosfera avaiana, percebo pelas postagens e pelos comentários como muitos criticam uma decisão do técnico sem conhecer os motivos que o levaram a fazer isto. Desta vez, a maior crítica era sobre a não ida de Evando - o queridinho pisca-pisca, e do Maurício Alves, que antes não servia nem para vestir a camisa azurra e pelo inclusão do Cristian na lista. Também há suspeita sobre a saída do Zé Carlos da lista. O iluminado está contundido e o Maurício Alves não saiu do DM. O motivo da saída do goleiro Zé Carlos foi uma gastroenterite.

Mas tudo isto não importa, pois para estes torcedores o Silas já tem suas preferências e isto é apenas uma desculpa para camuflar a verdadeira razão. O Evando deve ter faltado em alguns encontros e por isso está de castigo (lembro que o Evando entrou no último jogo contra o Metropolitano - e não fez nada, mas isto deve ter sido um lapso do Silas). O Maurício Alves deve estar fazendo corpo mole e por isso não sai do DM. O problema do Zé Carlos também deve ser uma invenção para cobrir uma insatisfação do goleiro com a reserva.

Interessante que este pessoal se comporta exatamente como os que trabalham na imprensa (que pensam que entendem de futebol). Ficam sabendo de uma notícia ou de um boato e já passam a fazer críticas ferozes ao técnico, a diretoria, a chamar jogador disso e daquilo. Não procuram conhecer o fato e suas razões. É uma atitude muito comum entre aqueles que possuem um microfone na mão, de disparar contra o clube, apenas por ter ouvido falar de alguma coisa. Nem sabem se é verdade. Quando um repórter traz um fato, não procuram saber o motivo. Fulano não viajou? Deve ter brigado com o técnico. Siclano não foi relacionado para o banco? Não está lendo a Bíblia. Beltrano estava no banco e não entrou durante o jogo? Não rezou direito.

Eu não gosto disto e fico ainda mais indignado quando vejo torcedores indo na onda desta turma da imprensa míope. Não concordo com muitas ações da diretoria ou de decisões do técnico, mas não sou de elaborar teorias mirabolantes para justificar minhas idéias.

Gente, vamos criticar, mas vamos primeiro nos informar. Pode ser que haja problemas dentro do grupo? Claro, mas vocês queriam o que, que alguém viesse e expusesse tudo para a imprensa? Roupa suja se lava em casa. Graças a Deus o nhô saiu e pelo desempenho do time do norte e do bate-boca da semana deve estar fazendo um ótimo trabalho lá. Ainda bem que é probrema deles.

Deixem o Silas trabalhar.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Projeções para o 2º Turno

Vejo o Avaí praticamente classificado para as semifinais, mas com pequenas chances de ficar em primeiro no returno, por causa da vantagem do time do Oeste. Em relação a trazer a partida final para a Ressacada, acho que tem boas chances (mas tem que ser campeão do returno primeiro).


Analisando os jogos que faltam para os principais times do campeonato:


Avaí: 10 pontos – 3 vitórias – Saldo +6

Casa (2): Clássico e Concórdia

Fora (2): Joinville e Marcílio Dias


Tem que ganhar as duas partidas que faz na Ressacada e no mínimo empatar as duas fora de casa. Se quiser ser campeão, tem que vencer uma das duas fora de casa. Acho que pode consolidar a caminhada para o Tri neste domingo, vencendo o Joinville fora de casa. Se não vencer o clássico, vai ter que vencer as duas fora. Deve terminar com pelo menos 17 pontos, mas precisa chegar a 20 para sonhar chegar em primeiro no turno e também trazer a final para a Ressacada. Acho menos difícil trazer a decisão para a Ressacada do que chegar em primeiro no turno.


Chapecoense – 13 pontos – 4 vitórias – Saldo +6

Casa (1): Marcílio Dias

Fora (3): RME, Concórdia e Brusque


Com o futebol e os resultados que vem conseguindo não deve deixar escapar o primeiro lugar do turno. Só joga mais uma partida em casa (Marcílio Dias) que deve vencer, mas joga fora contra o Concórdia, onde também deve ganhar, apesar de ter empatado em casa, no turno. Deve perder no Remendão (acho que o empate é o melhor resultado para o Avaí). Na última rodada pega o Brusque que pode estar decidindo o seu rebaixamento e de quem não deve ganhar. Deve pontuar entre 17 e 20 pontos (aí garante o primeiro).


Criciúma – 8 pontos – 2 vitórias – Saldo +3

Casa (2): Joinville e Marcílio Dias

Fora (2): Metropolitano e RME


O time do carvão deve se classificar para as semifinais, mesmo tendo empatado com o Imbituba. Deve vencer o Marcílio Dias e o Joinville em casa. Acho que pelo menos empata com o Metro e pode até roubar pontos no estreito. Deve ficar em terceiro no turno. Não deve levar a decisão para o sul.


RME – 8 pontos – 2 vitórias – Saldo +5

Casa (2): Chapecoense e Criciúma

Fora (2): Avaí e Imbituba


Deixando de lado a secação, acho que corre até perigo de ficar fora da semifinal se não conseguir confirmar o favoritismo em casa, onde joga contra dois times fortes (Chapecoense e Criciúma). Pode chegar na última rodada sem chances de classificação, ou tendo que fazer conta, mas acho que se classifica em quarto por falta de adversários melhores.


Joinville – 6 pontos – 1 vitória – Saldo +1

Casa (2): Avaí e Imbituba

Fora (2): Criciúma e Metropolitano


Com a confusão que está no time, acho que nem se classifica para as semifinais. Se perder para o Avaí, pode ir pensando na série C.


Outros times – olhando a tabela, acho que vai ser um perde e ganha muito grande e só vejo o Imbituba com chances de chegar às semifinais.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Com vontade e com preguiça

Um primeiro tempo muito bom e um segundo tempo que deixou a desejar. Poderíamos ter resolvido a partida no primeiro tempo, se o Marquinhos Gabriel usasse a perna direita para outra coisa se não apenas para subir no ônibus. A diferença era tão grande que 4 ou 5 gols não seria exagero. O time se movimentou bem e muitas oportunidades de gol foram criadas.

Aí veio o segundo tempo e a preguiça tomou conta do time. Logo no começo do segundo tempo, Marcinho Guerreiro quase faz um gol, numa bola lançada na área. Daí, levamos um gol de cabeça (de novo), mas agora não foi culpa dos zagueiros grandes (Gian estava marcando outro jogador). Para mim, a falha tinha sido do Cássio, mas já li num blog que a falha foi do Émerson Nunes. Outro blog disse que foi o Diogo Orlando, mas este não foi não. O time de Blumenau veio com mais vontade, mas era só correria. Não me lembro de nenhum lance de perigo ao gol avaiano.

Já pelo lado avaiano, o time ficou desorganizado e sem inspiração após levar o gol. Criou algumas chances, mas poucas em relação ao primeiro tempo. No final, Gustavo aproveitou o rebote do goleiro verde para tranqüilizar a torcida.

Renan - não foi exigido e não teve culpa do gol. Porém, é nessa hora que ele poderia aparecer, caso voasse no alto para tirar a bola que foi no ângulo.

Zaga – tirando o gol que levou de cabeça, se comportou bem.

Julinho – jogou bem, foi várias vezes à linha de fundo, mas tem que botar a cabeça no lugar. Já ta achando que é craque e de vez em quando faz umas firulas desnecessárias. Errou vários passes. Virou queridinho de muito torcedor, que por isso, vê nele apenas as coisas boas.

Gustavo - jogou uma baita partida. Participou dos três lances de gol. Roubou a bola e achou Marquinhos Gabriel livre, que lançou para Willian marcar o primeiro gol. Repetiu o lance de Imbituba cobrando rapidamente o lateral e fazendo um lançamento para o Willian, que cruzou para Marquinhos Gabriel marcar o segundo. E no final do jogo, foi oportunista ao pegar o rebote do goleiro e marcar o terceiro. Além disso, foi várias vezes ao ataque, cruzando bolas e fazendo tabelas. Se fosse outro lateral, teria sido escolhido o melhor em campo, mas como é o Gustavo, nem se fala nele. Ao contrário do Julinho, a torcida e os narradores têm uma má vontade incrível contra ele. Se erra, como vários outros erraram, é aquele chiadeira. É difícil jogar assim. Não é craque, mas até o George Lucas melhorar, merece ser titular.

Diogo Orlando - não comprometeu.

Marcinho Guerreiro – só vi ele aparecer no lance do segundo tempo quando quase marcou um gol. No resto do jogo estava desaparecido. Este é outro querido da torcida. Pode não jogar nada, mas é sempre elogiado. Alguns dizem que a saída dele prejudicou o time, mas o Metropolitano já havia empatado e estava incomodando o time do Avaí com o Guerreiro em campo.

Marquinhos Gabriel – jogou muito bem no primeiro tempo, quando fez um lançamento primoroso para o Willian marcar o primeiro e apareceu bem na segunda trave para fazer o segundo gol da partida. Depois, perdeu várias oportunidades que poderiam fechar o caixão do adversário. Precisa treinar chutes com a perna direita, porque esta mania de sempre ajeitar para a perna esquerda vai acabar lhe prejudicando. No segundo tempo caiu de produção, assim como todo o time.

Marquinhos Santos – está jogando no nome. Fez um bonito lançamento de letra e só. Distribui bem as bolas, mas não vem sendo decisivo. Não sou daqueles que acha que ele deve ir para o banco, mas tem que jogar mais bola. É outro que a torcida só enxerga o seu passado brilhante e não consegue ver o futebol do presente.

Willian – está com um aproveitamento impressionante. Aproveitou a primeira chance que teve e ainda serviu o companheiro no segundo gol. Desapareceu no segundo tempo.

Evando – apagado em campo. Está mostrando que só vai iluminar de vez em quando. Outro querido da torcida que nunca é vaiado, mesmo que erre um passe como fez num contra-ataque que tivemos. Se fosse o Cristian ou o Gustavo, tinha sido aquela vaia. Como foi o queridinho, vi várias viúvas até aplaudirem o cara.

Revson – quase nem teve tempo de tocar na bola.

Metropolitano – time que pode fazer fumaça, mas tem que estar num dia muito feliz para conseguir alguma coisa. Vai disputar o rebaixamento até a última rodada.

Arbitragem – não comprometeu e não interferiu no resultado. A bandeira loirinha não viu um escanteio claríssimo para o Avaí no primeiro tempo.

Torcida – público na média esperada. Comportamento: como sempre. O time estava ganhando e muitos torcedores vaiando e xingando, ao invés de apoiarem. Vão pra casa assistir pelo ppv, vão.

Imprensa - são todos ruins, mas ontem me decepcionei com o ex-técnico, agora comentarista, que sempre achei o menos pior. Está sempre falando mal do Gustavo, independente de como ele joga. É muita má vontade. Do outro lado, temos um boca ruim que eu nem escuto, pois sempre troco de estação quando ele começa a falar. Quanto à narração, o Salles Jr. é disparado o melhor, até porque a concorrência é muito fraca. O pb&p acha que é o melhor e vive fazendo comentários durante o jogo. Não é à toa que outro mala, filhote de MAL, escreveu em sua coluna num jornal de 1,99, sobre ele, dizendo que agora participa de um programa "sem estrelismos ou vaidade de um cara só".

quarta-feira, 23 de março de 2011

O que esperar para hoje?


O time de Blumenau está andando fora dos trilhos neste campeonato. Começou bem o turno, fazendo 7 pontos nas três primeiras rodadas, mas depois perdeu 4 vezes, empatou uma (com o Avaí) e surpreendeu o cavalo paraguaio do norte na última rodada. No returno, venceu o time de Itajaí e perdeu as outras três partidas, sendo a última em casa para o time do oeste. Levou um baile do RME e perdeu, pasmem, de 3x0 para o lanterna do campeonato.

Como dizem, são 11 contra 11, mas hoje não tem desculpa. Primeiro para a torcida: tem que ir. É feriado, horário é bom e o tempo está agradável. Depois para o time: tem que jogar com vontade e ir pra cima dos verdolengos de Blumenau. Às vezes sinto o time do Avaí como uma equipe soberba, não no sentido elogioso, mas que eles parecem pensar que são a seleção brasileira e que podem fazer o gol a hora que quiserem.

Não é bem assim. Temos uma equipe qualificada e talvez o melhor plantel do campeonato. Mas o jogo é jogado e o lambari é pescado. No jogo de hoje quero ver o Avaí partir para cima e sufocar o adversário. Quero ver uma defesa bem postada, sem levar sustos em cruzamentos ou contra-ataques. Quero ver um meio de campo que marca e distribua bem a bola. Quero ver um ataque eficiente - apareceu a oportunidade, tem que marcar. Eta time perfeito. Se for assim, é goleada à vista.

Leonardo deve voltar no lugar de Gian. Não é porque o Avaí venceu a última com o Gian na zaga que podemos dizer que ele é melhor que o Leonardo. Para mim, são iguais, com o Leonardo mostrando ser menos pior na saída de bola.

No ataque, vem vai no lugar do Rafael Costa? Eu também não colocaria o Cristian, muito menos o Evando. Apostaria do Maurício Alves, ou no Marquinhos Gabriel. Cada técnico com sua preferência, não é verdade?

Meu time: Renan, Cássio, Leonardo e Émerson Nunes. Gustavo (tem que colocar o George Lucas no segundo tempo) e Julinho. Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando (quando é que vai testar o tal de Revson?) e Marquinhos (se resolver o jogo logo, tira ele no 2 tempo para descansar). Willian e Maurício Alves.

Nos vemos na Ressacada.

Vai pra cima deles Leão!

domingo, 20 de março de 2011

Melhoramos?

Faço esta pergunta porque não sei se foi o Avaí que jogou melhor ou foi o time do Imbituba que jogou muito mal. Até o Diogo Orlando jogou bem e ganhou várias bolas dos atacantes do Zimba.

Independente desta dúvidas, vamos aos comentários da partida:

- Renan - seguro na maioria dos lances, mas ainda sai pouco do gol. Mas já melhorou bastante.

- Zaga - não teve trabalhou, mas deu alguns sustos em alguns momentos. A bola aérea ainda é nosso calcanhar de Aquiles. No final do jogo, em várias jogadas, alguns jogadores do Imbituba fizeram fumaça na defesa. Que coisa difícil de eles tirar a bola do adversário!

- Laterais - Julinho e Gustavo estiveram bem na partida. Parabéns ao Gustavo pela rapidez no raciocínio ao cobrar rapidamente o lateral, fazendo um lançamento para o Willian, no primeiro gol. Parabéns também ao Julinho, que se não me engano, foi quem roubou a bola que resultou no segundo gol. Depois ainda colocou aquela bola na trave, que seria o quinto gol.

- Meio de Campo - Marcinho Guerreiro não sai mais do time. Roubou várias bolas. Até o Diogo Orlando apareceu bem, marcando e roubando a bola. Até se arriscou no ataque, quando sofreu a falta que o Marquinhos converteu em gol. O Marquinhos melhorou, mas acho que pode render ainda mais. Marcou um golaço, na cobrança de falta, que eu não achava que ia conseguir fazer. Parabéns ao galego. Marquinhos Gabriel entrou para ganhar o bicho.

- Atacantes - Esta dupla ainda vai dar mais alegria ao time. O Willian está fazendo a torcida esquecer completamente todo aquele rolo que fez quando saiu daqui para o Grêmio. É isso aí, nada melhor do que fazer gols para apagar o passado ruim. O Rafael Coelho se movimentou bastante e merecia mesmo fazer um gol. Acho que falta ainda um pouco de entrosamento entre este ataque e o pessoal que dá apoio, como o Marquinhos, os volantes e principalmente os laterais. Às vezes parece que não treinam juntos. Estrada entrou com vontade e pode ser uma ótima opção para atuar ao lado do Marquinhos. Evando não fez nada.

Imbituba - se continuar deste jeito, só tem um caminho, que é o rebaixamento. Mais ainda não está morto. Vai brigar com Brusque e Metropolitano para ver quem fica com a outra vaga, pois uma já é do Concórdia.

Arbitragem - o careca não complicou, até porque o Avaí não deixou ele complicar. Amarelar o Rafael Coelho e o Marquinhos foi só para não deixar passar em branco, né?

Torcida do Avaí - parabéns a todos que foram prestigiar o Leão no Ninho da Águia. Tava bonito de se ver.

Transmissão pelo pay-per-view - colocaram dois secadores para trabalhar no jogo. Um alvinegro (Lino) que estava atento a qualquer lance contra o Avaí, principalmente nas faltas, em que queria cartão para tudo e o outro, se não me engano, era o Sílvio Criciúma, que disse que o Marquinhos poderia levar o segundo cartão amarelo quando chutou a bola para fora do estádio para o Diogo Orlando receber atendimento. Será que ele não viu que o juiz não deu falta e que a bola estava em jogo? É vontade de ver o Avaí se dando mal. Estamos sem saída: nem rádio nem TV de qualidade.

Abaixo, os gols do jogo.

O que esperar para hoje?

Hoje tem jogo contra o Zimba.

O único jogo que o Avaí fez no Ninho da Águia contra o time do Imbituba foi no ano passado, quando perdeu por 1x0.

Num jogo de um time fora de série contra um time de série A, era de se esperar uma vitória tranqüila do time com maior estrutura. Isto nem sempre acontece, basta ver que neste sábado o Fluminense, atual campeão brasileiro, perdeu para o Boavista, que nem a série D disputou no ano passado.

Por isso, mas principalmente pelo futebol que o Avaí vem apresentando, não tenho muito otimismo em relação a vitória, ainda mais porque é difícil de ganhar deles dentro de sua casa.

É possível? É. Como fazer? Não sei. Não me importo se o Avaí vai jogar no 3-5-2, no 3-6-1 ou no 4-4-2. Aliás, eu jogaria o campeonato inteiro no esquema que fosse usar no Brasileiro, afinal, o estadual também serve para preparar o time para isto. Não tem essa de dizer que jogar com 3 zagueiros é ser retranqueiro. O problema é ter 3 zagueiros e mais 2 laterais que não apóiem e mais 3 volantes que só sabem marcar. Porque daí fica difícil para o Marquinhos e os dois atacantes resolverem a parada. Tem que colocar mais gente no meio de campo que saiba passar e apoiar. Vamos ver se o Marquinhos Gabriel joga melhor ou quem sabe o Estrada comece a partida como titular.

Vamos torcer.

Vai pra cima deles Leão.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Vida que segue...

Deixei a tristeza para trás para poder continuar a caminhar em frente em direção à alegria. Já volto com novas postagens.

segunda-feira, 14 de março de 2011

E lá vem outro Tigre

É assim que é chamado o time do Ipatinga. O clube, que foi criado em 1998, subiu da série C para a B em 2006 e em 2008 já estava na série A.
Desceu tão rápido quanto subiu, sendo rebaixado para a série B em 2008 e para série C em 2010.

Pelas minhas pesquisas, o Avaí só enfrentou time mineiro em duas ocasiões, pela série B de 2007, vencendo na Ressacada por 1x0 e empatando no Ipatingão por 2x2. depois de estar vencendo por 2x0.

O melhor desempenho do time do vale do aço na Copa do Brasil foi em 2006, quando chegou nas semi-finais, sendo eliminado pelo Flamengo. Na série B do ano passado, o time mineiro foi muito mal, ficando em penúltimo lugar, sendo rebaixado para a série C.

A campanha do campeonato mineiro deste ano também não é boa, estando em 9 lugar (com 12 times na disputa), com 3 empates e 3 derrotas. O time ainda não sabe o que é vencer no campeonato estadual, algo que ele só conseguiu na Copa do Brasil, vencendo o Vitória (ES) por duas vezes (1x0 e 3x0).

Na rodada de domingo, o Ipatinga empatou com o Atlético-MG por 2x2, que jogou com o ataque reserva. Foi a quarta partida sob o comando do técnico Guilherme (2 vitórias e 2 empates).

O Ipatinga não é o Vilhena, mas também não é o Cruzeiro. Até acredito na vitória, mas o problema é que o Avaí vai ter que jogar o que ainda não jogou este ano. Sem querer ser pessimista, acho que vamos trazer um empate e ter que jogar a segunda partida. Tomara que eu esteja errado e o time do Silas liquide a fatura na quarta feira.

Está ficando cada vez mais difícil

Não pude assistir ao jogo e então não posso comentar a atuação dos jogadores. A partir do que escutei pelo rádio, do pouco que assisti do jogo, dos comentários dos blogueiros avaianos e dos lances dos gols, vou falar o seguinte:


- Time que está vencendo por 2x0, em casa, não pode dar esta moleza, ainda mais se pretende ser campeão. Me lembrou o início do brasileiro de 2009.


- o comportamento do Silas: Por pior que seja o árbitro, cabe ao treinador, nestes momentos, ter sangue de barata, porque seu nervosismo e reclamações passam para os jogadores que acabam seguindo o comportamento do chefe.


- 1º gol do Avaí – não sei se a jogada era ensaiada, mas a execução foi perfeita. Só não esperava que fosse o Marcinho Guerreiro. Finalmente o Marquinhos acertou o pé. Fazia tempo que não via o Avaí fazer gol a partir de uma cobrança de falta.


- 2º gol do Avaí – chute errado que deu certo. De Marquinhos para Marquinhos. Faz parte do jogo. Não estava impedido.

1º gol do Criciúma – nossa zaga parece a turma do Cascão: quando tem chuveirinho na área, fica toda perdida e apavorada. O Zé Carlos poderia ter saído para cortar? Talvez, mas a culpa maior foi da zaga, pois o jogador dos amarelos ficou sozinho, nem precisou subir para cabecear. E quando a zaga falha, a culpa do arqueiro diminui. Todavia, o Sandro Darós tem que treinar mais o fundamento da saída do goleiro nestes lances de área, pois todos os últimos goleiros do Avaí apresentaram este problema (Martini, Renan e Zé Carlos). Só saem debaixo da trave para ir para o vestiário.


- 2º gol do Criciúma – aqui penso que a falha maior foi do Zé Carlos. A zaga não deveria ter deixado o jogador dos amarelos chutar? Claro que não, mas o goleiro está lá é para defender este tipo de bola, se não, não precisava colocar ninguém debaixo do gol. Bola molhada, chute forte, bla, bla, bla. Não tem justificativa. Falhou mesmo ao espalmar a bola para frente, dando chance para o atacante deles fazer o gol. Acho que o Zé Carlos ainda tem crédito. Não dá para querer mudar a todo momento. Não acho o Renan melhor que o Zé Carlos e o Alex ainda é muito novo para ser colocado nesta roubada. Pode acabar se queimando. A zaga também falhou em não acompanhar o rebote, mais é mais do que normal o atacante chegar primeiro que a zaga.


Li que no segundo tempo o Avaí desperdiçou várias chances de gol. Isto significa que criou lances de perigo. É o primeiro passo para a vitória. Não é tudo, mas já é alguma coisa. Provavelmente algum comentarista deve ter feito aquele comentário clássico: falta caprichar no penúltimo passe. Acho que falta caprichar é em todos os passes.

Agora é Copa do Brasil, onde somos o único representante do estado. Depois da quarta volto a falar do Catarinense e fazer as projeções para o returno.


domingo, 13 de março de 2011

Tem jogo em Itajaí, mas não tem em Brusque

A federação adiou a partida do RME contra o Brusque por causa das chuvas que assolaram a cidade. Interessante ressaltar que eles adiaram a partida já desde ontem. Ou seja, não esperaram para ver se hoje o tempo poderia estar bom e as condições do gramado aceitáveis para o futebol. Interessante também que o jogo do Marcílio contra o Joinville que ocorre em Itajaí não foi adiado e a distância entre as cidades é bem pequena.

Daí eu me pergunto: se fosse o Avaí, teria esta preocupação? Já vi o Avaí jogando em cada gramado que vou te contar, a bola não rolava, mas a federação nem se preocupou com isso. O máximo que aconteceu foi um adiamento para uma segunda feira, que não adiantou nada porque o gramado continuo péssimo. Para piorar, não quis adiar a partida de quarta para quinta, quando perdemos para a Chapecoense naquele fatídico jogo de 2x3. Interessante que neste mesmo dia, o time letrado teve sua partida em Itajaí adiada para o dia seguinte.

Quero lembrar que o adiamento ou não de uma partida não deve levar em conta o calendário. Ou seja, não interessa se na próxima quarta estes times não jogam e por isso não tem problema em adiar. O que interessa é o estado do gramado, se há condições de jogo. Se o gramado está pesado ou não, se vai machucar alguém por causa dos buracos, isto não interessa. Adiar a partida para ajudar dois times significa prejudicar os outros oito que estão na disputa.

Aí fica a pergunta: será que adiaram a partida porque tem time cansado, que jogou na quarta com gramado pesado e pediu um refresco para se recuperar? Fala aí dotô!

Só posso dizer uma coisa: é uma vergonha.

O que esperar para hoje?

Vamos jogar contra o campeão do turno, o time que nos deu uma breve alegria ao conseguir derrotar o outrora invencível e poderoso esquadrão de lata do continente. No turno, o time do carvão não me convenceu e achava que ele não iria chegar às finais. Errei feio. Eles já estão lá e nós estamos ainda buscando a vaga.

Na partida em Criciúma, apesar da derrota, o jogo foi igual e o Avaí teve chances de vencer, apesar de ser a primeira partida oficial do time titular, que antes estava fazendo uns amistosos nos pampas que não sei se serviram para alguma coisa.

Hoje, parece que o time do sul virá com força máxima, depois de perder em casa para a Chapecoense. Será que é mais um time que vai tentar ajudar os outros para ver se deixa o Avaí fora da final? Me lembro que em 2009 o Joinville perdeu em casa na última rodada do returno para ver se tirava o Avaí do quadrangular final e se deu mal. O troco veio depois. Todavia, estão no direito deles, já que conseguiram o que queriam e agora estão esperando ver quem vem com eles.

Temos que nos preocupar? É claro. Jogar contra o Criciúma sempre é difícil, ainda mais que a pressão e a obrigação da vitória está do lado azul. Se no turno eles fizeram cera no primeiro tempo, jogando em casa, não tenho dúvida que hoje, qualquer falta, lateral ou escanteio vai levar uma eternidade para ser cobrado. O goleiro deles vai pedir atendimento umas 5 vezes, só no primeiro tempo. Faz parte. O que temos que fazer é partir para cima e marcar logo o gol. Ai, sim, eles vão querer sair para jogo. Fácil né? Infelizmente os times treinados pelo Silas parecem que não tem pressa de fazer o gol. O atual em particular não faz o gol logo não é porque não tem pressa, é porque não consegue mesmo.

Para piorar, ainda não vimos o time jogar o que sonhamos. Contra a Chapecoense, foi um pesadelo e contra o Brusque, uma dor de cabeça. Espero que o Silas apresente os zagueiros para eles mesmos, porque na quarta foi uma bateção de cabeça horrorosa. Espero que o Batista jogue um pouco mais (não tenho tanta esperança). Espero que a torcida incentive o Cristian (eu sei que é pedir demais). Espero que o Marquinhos jogue com mais vontade. Espero que o Avaí vença.
No ano passado, vencemos por 1x0, gol de Clayton.

Para esquentar e trazer bons fluidos, segue os melhores lances da partida de 2009, 4x0, com um golaço do Marquinhos no final, ele que havia dito após o jogo contra a Chapecoense (quando o Avaí perdeu de 5x1), que o Criciúma ia pagar o pato... e pagou.

O Galego, faz eles pagarem o pato de novo hoje.

quinta-feira, 10 de março de 2011

O trevo da seta vai ajudar a reduzir o engarrafamento avaiano?

Ontem quando estava indo para a Ressacada observei o elevado que está sendo construído no trevo da seta e fiquei me perguntando se esta obra ajudará na redução do engarrafamento que sempre acontece nos dias de jogos do Avaí na Ressacada.

Considerando que a maioria dos jogos ocorre em horários cujo trânsito para o sul da ilha é reduzido e possivelmente 90 % dos carros vão para a Ressacada, a única melhoria que vejo será o fato de que a pista dupla ficará estendida até a entrada da ponte. Nada mais do que isso, o que é muito pouco. Em dias de grandes jogos o problema continuará o mesmo.

Para a volta, que até considero o problema maior, pois todos querem sair ao mesmo tempo, talvez o trevo ajude pelo fato de não haver mais cruzamento com os carros que querem ir para o sul da ilha. Entretanto, a liberação da segunda pista continuará sendo necessária e continuaremos dependendo do bom humor da polícia e da Infraero.

É claro que a solução definitiva só ocorrerá com a duplicação completa da transavaiana, mas enquanto isto não acontece (acho que o Avaí vai primeiro para Libertadores) as autoridades (in)competentes poderiam pensar em soluções alternativas para reduzir este problema que atormenta nossa paciência a cada jogo.

Minha primeira sugestão é disponibilizar ônibus e vans para o deslocamento da torcida. Poderiam ser criados bolsões de estacionamento em vários pontos da cidade para dali saírem vans para levar a torcida ao estádio. Poderiam começar ativando o terminal de ônibus do Saco dos Limões que está fechado e preparar o terreno ao lado (que deve ter uns 50.000 m2) para servir como estacionamento, onde devem caber no mínimo 2.500 carros.

A rua da Toca do Leão, no trecho ao lado dos campos de treinamento poderia servir para estacionamento dos ônibus, sendo interditado para a passagem e estacionamento de veículos. Deste modo os torcedores poderiam ir a pé, tranquilamente e sem medo de ser atropelados até o estádio e no final do jogo, pegar o ônibus ou van no mesmo local. A passagem de carro por esta via já é complicada por conta do grande fluxo de pedestres em frente à Toca do Leão e as bilheterias da Ressacada e, portanto, não vai fazer tanta falta.

Para completar a idéia, há um detalhe muito importante: ao final do jogo, a liberação do trânsito se daria em primeiro lugar para os ônibus e vans estacionados naquele trecho citado anteriormente. Talvez 20 minutos sejam suficientes para escoar todos os ônibus e vans. Quem for de carro vai ficar retido durante este tempo. Talvez alguns vão dizer que daí vai prejudicar quem quer ir de carro até o estádio, mas daí meu amigo, não tem jeito. Enquanto não existirem vias exclusivas para o transporte coletivo, não há outra maneira de valorizá-lo a não ser prejudicando quem prefere andar de carro.

Se a Prefeitura, a Polícia Militar e o Avaí conversassem poderiam viabilizar esta idéia ou quem sabe até encontrar soluções melhores que esta. A Prefeitura poderia cadastrar as vans interessadas (que neste período estão paradas) e a Policia Militar poderia organizar o trânsito, interditando a rua da Toca e direcionando os veículos no final do jogo. Ao Avaí, caberia o papel de articulador e de fazer campanha com seus sócios e torcedores para darem preferência ao transporte coletiva. Poderia até isentar o sócio do pagamento do estacionamento, pois daí ele gasta o dinheiro com a passagem da van.

Em outras postagens, darei outras sugestões para melhorar a viagem do torcedor avaiano até a Ressacada.

Vitória preocupante

A vitória de ontem a noite mostrou um Avaí ainda desorganizado, sem inspiração e nem transpiração. Pouco futebol e muitos gols. Vamos aos destaques:

- Zé Carlos – não teve culpa nos gols, mas está precisando aprender a sair debaixo da trave. Parece o Martini. Com essa zaga batendo cabeça, ele precisa sair mais para dividir as bolas aéreas com os atacantes adversários. Fez ótimas defesas durante a partida.

- George Lucas – ainda está muito lento. Mostrou que sabe cruzar, mas precisa treinar com os atacantes onde vai mandar a bola. Precisa que alguém do meio do campo se aproxime dele para aparecer mais. Não achei tão ruim como alguns comentaram. Pode render mais.

- Julinho - já havia elogiado ele em duas postagens anteriores. Jogou como fosse o titular da lateral esquerda. Fez um golaço e um ótimo cruzamento para o terceiro gol. Entretanto, levou muitas bolas nas costas e precisa melhorar seu posicionamento na defesa. Deve permanecer na equipe.

- Rafael, Leonardo e Émerson Nunes – pareciam os três patetas. Horríveis. Como é que uma zaga de um time da série A pode levar um baile de um ataque de um time da série D? Com todo respeito ao Brusque e aos seus atacantes que mostraram que sabem jogar bola, e bem, não se pode admitir o totó que eles levaram ontem. Estou muito preocupado com este setor. E o pior é que na reserva estão Gian e Cleyton, ou seja, não são melhores do que os titulares. Acho que temos que contratar pelo menos mais um (ou até dois) bons zagueiros.

- Diogo Orlando – eu não sei se ele é discreto ou realmente se esconde do jogo. Desarmou alguns ataques do Brusque, mais parece que cerca mais do que marca. O início das jogadas de ataque não podem passar pelos seus pés, pois erra muitos passes. Parece o novo Marcos Vinícus. Cadê o Acleisson?

- Batista – Horrível. Acho que não volta mais a jogar aquele futebol que a gente gostava de ver. Se antes ele voltava para pegar a bola e começar a jogada de ataque, agora fica apenas dando passe para o lado. Marca mal e faz muita falta. Será que o Fabiano poderia jogar nesta posição?

- Marquinhos – está jogando só no nome. Não me venham com essa de que não tem com quem jogar, porque tem mais 9 jogadores no time. Tem que calibrar o pé pois não acertou nenhuma das faltas que cobrou. Para compensar, voltou várias vezes para ajudar na marcação. Talvez aí esteja o erro. Craque que é, não deveria ajudar a carregar o piano. Tem que ficar livre para criar as jogadas de ataque.

- Cristian - a torcida não tem paciência com ele. Fez o gol, mostrando oportunismo e se movimentou bastante. Você pode até dizer, que aquele gol até eu fazia, mas o importante é estar no lugar certo na hora certa. Não é o atacante para o time titular, mas não é tão ruim como pintam. Qualquer jogada que errava era vaiado. Assim é difícil jogar bem.

Rafael Coelho - caiu muito de produção. Perdeu dois gols no primeiro tempo que se fosse o Cristian, a torcida teria vaiado. Perdeu um pênalti e ainda assim a torcida não vaiou. Que paciência que esta torcida tem, né? A seu favor, mostra que está sempre atento a partida, se antecipando aos zagueiros em várias jogadas. No final, fez um gol típico do seu estilo: ganhou na velocidade do zagueiro e deu um toque de categoria por cima do goleiro.

Estrada – já mostrou que tem que ser titular. O Silas que se arranje para encontrar um espaço para ele no time. Entrou bem e mostrou qualidade.

Marcinho Guerreiro - não levou amarelo (ah, ah). Não teve tempo de mostrar nada.

Evando - não concordei com a sua contratação, mas havia escrito que até acreditava que poderia entrar durante a partida e marcar gols importantes, como fez ontem. Ainda assim, não vejo nele jogador para a série A. Tem a seu favor a grande quantidade de viúvas na torcida. É muito lobby para um jogador só. Quem vê, parece que é o Pelé.

Silas – continua devendo. Agora está com a mania de dizer que a cada jogo precisa fazer uns testes. Para que serve os treinamentos? Coloca o Mauro Galvão, que foi um zagueiro extra-classe, para treinar a defesa e mostra para o pessoal do meio de campo como se faz para criar jogadas.

Torcida do Avaí – pouca gente no estádio. Fica difícil de fazer futebol deste jeito. E que torcida enjoada, hein? Pelo menos no setor A, parece que a parcela de corneteiro é maioria. Só ficam reclamando e só apóiam quando o time faz uma boa jogada. Não é torcida que carrega o time, mas é o time que acorda a torcida.

Brusque – time organizado mas que acredita pouca em seu potencial. Os dois atacantes (Marcelinho e Leandrinho) deram um baile na defesa do Avaí. Será que jogam isto tudo ou foi só ontem?

Arbitragem – acredito que só expulsou o jogador do Brusque porque não se lembrou que já havia dado cartão amarelo para ele. Não revi os lances na TV, mas acho que não foi pênalti em nenhum dos lances. Teve um lance em que o goleiro do Brusque colocou a bola no chão e rapidamente pegou de volta. Era para marcar tiro indireto para o Avaí. Acho que ele não sabe a regra ou fez de conta que o goleiro não chegou a colocar a bola no chão.

terça-feira, 8 de março de 2011

O que ainda esperar neste campeonato?

Analisando o que já aconteceu e o que ainda nos espera:

- Time do Avaí - no papel é bom, ninguém discute. Cabe ao Silas fazer o time jogar. Quando era o Benazzi, todo mundo dizia que o problema era o treinador. Agora quero ver. Espero que ele não fique fazendo testes no catarinense. Este é o único título que temos reais chances de conquistar. Copa do Brasil e Brasileirão ainda é sonho para a gente. Portanto, não podemos dar bobeira.

- Chances no 2 turno - perder para time do oeste não é o fim do mundo, mas é o começo do fim para quem quer ser campeão. Ainda tem muito tempo para recuperar o terreno, mas o Avaí vai ter que ganhar todas em casa e ainda conquistar pelo menos uns 5 pontos fora, dos 9 que vai disputar.

- Decisão na Ressacada - muito difícil. Já estamos 7 pontos atrás do Criciúma e dependemos de tropeços deles para conquistar a ponta. Como o saldo de gols vale na decisão, isto não me preocupa tanto.

- Paciência da torcida - o jogo contra o Brusque é a última chance para o time mostrar que realmente pode ser campeão. Não estou esperando goleada, mas pelo menos um futebol organizado e um time com raça, que corra atrás da bola.

sábado, 5 de março de 2011

Foram a pé?

Pela vontade que estavam de jogar, acho que eles foram de Florianópolis a Chapecó, a pé, e pela BR 470, como se fazia antigamente, quando a BR 282 ainda não estava completa.

O que eu mais vi foi jogador com a mão na cintura. O time todo foi horrível, mas vou assinalar algumas coisas que me chamaram a atenção:

- Pará - foi o que mais se movimentou no segundo tempo. Deixou de dar um passe para o Rafael Coelho, mas está perdoado, porque tentou marcar, apesar do chute torto. Pelo menos mostrou vontade.

- Emerson Nunes - eu que gosto do futebol deste rapaz tenho que dizer que hoje ele está horrível, muito lento e caindo toda hora.

- Bruno - não perdemos por causa da sua expulsão, mas isto sepultou de vez alguma chance de reação. Eu gosto do futebol dele e não acho este desastre que a imprensa aponta nele, mas ele tem que botar a cabeça no lugar.

- George Lucas - fala bem nas entrevistas. Agora tem que mostrar no campo um futebol melhor.

- Silas - teve muito tempo para treinar e foi isso que conseguiu fazer com o time? Espero que na quarta mostre um time melhor. Ele não vai mais encontrar nenhum Vilhena pela frente.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Avaí na Copa Santa Catarina

Li no blog Memória Avaiana (sempre bom, por sinal) e também em outros sites que o Avaí irá participar da Copa Santa Catarina.

Não sou muito de criticar a diretoria por qualquer coisa, mas realmente não entendo para que participar de um torneio como esse que não traz nada para o clube.

Financeiramente é um desastre, porque o público nos jogos é muito pequeno.
Tecnicamente é uma pobreza, porque os principais clubes irão jogar com seu time B e os que jogarem com o time principal é porque não estão disputando nada a nível nacional. O campeão se classifica para a série D (já estamos na série A) e para a Recopa Sul-Brasileira (que não serve pra nada).

Como a competição começa logo após o final do Catarinense (18/05) e termina dois meses depois (10/07), a única utilidade do torneio que consigo ver é colocar jogadores contratados para a série A ou saídos do DM em ritmo de jogo para comporem o grupo principal que disputará o Brasileirão.

Espero que não seja para testar jogadores ou manter o grupo sub23 em atividade, já que nem se sabe se o campeonato nacional da categoria vai haver este ano. Além disso, o custo-benefício de manter este grupo não é muito favorável.

A diretoria poderia usar o site para confirmar (ou não) a participação do clube no torneio e aproveitar para justificar o motivo para fazer isso.