segunda-feira, 30 de abril de 2012

O resultado e os comentários

O Avaí venceu e todos estão contentes. É fato. Hémerson de Maria é um dos maiores responsáveis por esta conquista. É verdade.

Mas como o resultado pode modificar os comentários, não é mesmo?

O Avaí venceu porque os jogadores não desistiram e apesar do campo horrível, do adversário difícil, da torcida contra, conseguiram reverter a situação.

Mas isso não aconteceu porque as substituições mudaram a cara do time. Os gols foram lances isolados. Não se pode dizer que o Avaí estava próximo do empate ou da virada, pois não estava produzindo para isso.

HM mudou o time na tentativa de fazer algo diferente, até porque Felipe Alves, Maurício e Robinho nada estavam fazendo. Mas Capixaba, Patrick e Laércio pouco acrescentaram. Tudo bem que Laércio cobrou o escanteio no lance do primeiro gol, mas foi a péssima saída do goleiro índio e a mancada do zagueiro que fez que o gol acontecesse. No segundo gol, Cléber Santana levantou a bola na área e novamente um zagueiro índio desviou a bola de cabeça que sobrou limpa para Patrick marcar.

Méritos para o Avaí que aproveitou os erros adversário e marcou os gols que precisava.

Porém, se o Sobrenatural de Almeida não tivesse aparecido nestes lances e o Avaí não tivesse se classificado, aposto que todo mundo ia estar malhando o HM por ter colocado os três escolhidos. Iam dizer que o Capixaba nem deveria ter ido para Chapecó, que o Patrick estava voltando e ainda não estava pronto e que o Laércio não serve para o Avaí.

Como a vitória aconteceu, tem gente conseguindo enxergar o dedo tático do HM na vitória. O Avaí venceu na raça e em acreditar que podia vencer, e isto com certeza, teve o dedo do HM, que deve ter convencido os jogadores no vestiário que era possível virar o jogo.

Mas na parte tática, o Avaí esteve muito mal. Mika e Pirão não deram a proteção que a zaga precisava e o time do oeste tocava a bola livremente. Cléber Santana não conseguia se desmarcar e Robinho não dava opção para ele. Felipe Alves e Maurício estavam perdidos em campo. Arlan se escondeu do jogo. Aélson é que foi atrevido e atacou.

O Avaí venceu e foi ótimo. Não tem problema se às vezes o time vence na base da trombada.

Mas o próximo desafio é maior. A raça não poderá faltar, mas a organização tática e a técnica tem que aparecer.

Todo mundo acreditava! Será?

O Avaí venceu o índio do oeste e está na final do estadual. Agora a gente vê como a torcida e os blogueiros tinha fé no time, pois a grande maioria acreditava na vitória? Será mesmo?

De minha parte, tenho que dizer que até o jogo da Ressacada tinha bastante esperança. Para o jogo de hoje estava receoso, apesar de saber que o Leão ressurge justamente na hora que ninguém mais acredita. Mas o gol deles no final do primeiro tempo e o futebol apresentado no segundo tempo fizeram com que eu passasse de torcedor para um espectador que esperava qualquer coisa do jogo, mas o que eu menos acreditava era na virada.

Até que saiu o primeiro gol, numa das poucas falhas do time deles e talvez num dos únicos gols que o Avaí fez no campeonato a partir da cobrança de um escanteio. Nada mais improvável.

Aí a coisa mudou de figura. Não porque o Avaí a partir deste momento virou outro time. Nada disso. É porque o time do oeste sentiu que um perigo rondava a área deles. Eles nem tinham se recuperado do gol do empate e sofreram mais um gol, em mais uma falha de uma bola alçada na área. Dois gols totalmente fora das características dos gols que o Avai fez neste campeonato.

O time do oeste foi para cima e deixou a retaguarda aberta para o terceiro do Avaí, que só não fez pela incapacidade "in natura" de nossos atacantes. Mas eles também não tiveram competência de fazer o gol do empate, apesar que nossa defesa não estava tão segura hoje como já esteve em outras ocasiões. Algumas batidas de cabeças entre os zagueiros, mas todos foram salvos no final.

O grande vencedor é sem dúvida Hemerson de Maria, que emocionado ao final do jogo, dedicou a vitória para a família.

O Avaí não fez uma grande partida, mas naquele gramadado horroroso era até difícil que exigir um bom toque de bola. O gol tinha que sair daquele jeito mesmo, porque tabelando é que não ia dar.

Diego esteve bem e a zaga só falhou no primeiro gol, apesar de alguns sustos durante a partida. Leandro e Renato são titulares absolutos. Arlan estava mais preocupado com as costas e Aélson estava fazendo uma boa partida, até sua injusta expulsão.

Pirão não comprometeu, mas não consigo ver esta boa partida que outros dizem que eles fez. Mika foi regular, sem comprometer.
Cléber Santana esteve bem marcado, mas isto não é desculpa para sua pouca mobilidade. Tem os méritos de ter cobrado a falta que resultou no gol da virada. Robinho estava mal, mas o time não melhorou com sua saída, apesar da virada ter acontecido após a entrada de Laércio em seu lugar.

Felipe Alves e Maurício estavam apagados. A desculpa que a bola não chegava deles não pode ser dada, pois o mesmo aconteceu em todo o campeonato e ninguém perdoava o Capixaba, o Neilson e mais recentemente o Nunes.
Patrick entrou e não fez diferença. Fez o gol da virada, é verdade, mas no apoio ao ataque, pouco acrescentou. Capixaba, ao contrário, apesar dos inúmeros impedimentos, se apresentou para o jogo e mostrou vontade. Não tem muita intimidade com a bola, mas pelo menos corria atrás dela (às vezes, na frente). Laércio entrou e mostrou que ainda está verde para este tipo de partida.

A vitória aconteceu pelas falhas do adversário e pelo aproveitamento do Avaí. Foi gol e isso é que vale. Vou entender que o mau futebol foi mais pelo péssimo gramado, do que pelo time.

Agora que o Leão está nas finais, e principalmente pelo regulamento, onde não há vantagem de dois resultados iguais, é possível sim, acreditar no título.


sábado, 28 de abril de 2012

Sem muita vontade de escrever

Ultimamente tenho me limitado a ler alguns blogs e ainda assim, de maneira superficial. Estou um pouco desanimado em escrever sobre o Avaí e sobre o futebol. É verdade que alguns problemas de saúde na minha família fizeram com que eu mudasse minha rotina e meu tempo para escrever, que já não era muito, ficou ainda mais reduzido.

Mas independente disto, o clima da blogosfera não me agrada. Tem muita gente querendo dar de dedo nos outros e se achando o mais correto dos corretos. Eles não admitem, mas assim como o Zunino falou um dia dos 300, eles também se acham mais avaianos que os outros.

Estou de saco cheio desta gente que pousa de honestíssimo, preocupadíssimo com o Avaí e indignadíssimo com a diretoria. Tudo está errado pelas bandas da Ressacada. Eu também acho que tem muita coisa errada, mas também tem muita má vontade no ar.

Para este pessoal cuja única proposta concreta é mandar o presidente embora, já que não vi nenhuma outra que se aproveitasse, eu tenho que dizer que é visível (e risível) como malham a diretoria mais com o objetivo de agradar a torcida e ter audiencia no blog do que dar opinião sobre alguma coisa. Estão mais preocupados em falar mal para manter o público do que discutir soluções. É difícil de encontrar críticas construtivas.

Uma coias que fico me perguntando é se é tão difícil criticar sem ter que xingar. Para mim também seria fácil falar que fulano é idiota, que sicrano é burro e que beltrano é metido a besta. Mas não acho que a gente precisa ser grosseiro com os outros para dar uma opinião.

Essa turma estava esperando o Avaí ficar fora das semifinais para poder botar ainda mais a boca no trombone. Só que o Avaí se classificou. E nem venham me dizer que foi apenas graças ao HM, que é claro, teve o mérito de comandar o time. Se o time não se classificasse, a culpa seria da diretoria. Ora, então se ele está nas semifinais, ponto para este mesmo pessoal. Afinal, foi o presidente que decidiu promover o HM para técnico. Se está dando certo, ponto para a escolha do presidente. Não há discussão sobre isso.

E digo mais. Eu nem sei se esta turma está torcendo para uma vitória azul em Chapecó. Tenho minhas desconfianças se não vão ficar felizes com a desclassificação do Leão. Afinal, só isso para dar a pauta que eles querem. Se bem que eles conseguem falar mal de qualquer coisa que acontece na Ressacada, seja o show do pou, a grama que não estragou ou a reunião de sexta à noite.

Além dos blogueiros chapa-cinza, a torcida também vem me desagradando. É muita reclamação. Não sabem torcer. A cada erro, um berro e um xingamento. Não aplaudem. O time tem que estar vencendo de pelo menos uns 3 e ainda dando chocolate para esses camaradas esboçarem um incentivo. Acho até que quando apoiam só o fazem por vergonha de ficar quieto enquanto outros cantam o hino do Leão.

Está chato ler os blogs e ir ao estádio.

domingo, 22 de abril de 2012

Previsão do Tempo

Problemas e compromissos particulares não me permitiram fazer as postagens na frequencia que gostaria. Mas para não deixar passar o fim de semana em branco, vou acionar minha bola de cristal:

- Tempo quente em Joinville - a torcida que adora gritar "au, au, au, quero morar na capital" (eu sei que não é isso) vai lotar o estádio que foi construído e é mantido com dinheiro público (por isso o ingresso é tão barato e o estádio vive cheio) e vai tentar empurrar seus bailarinos pra cima da turma da Barbie. O time do parafusito vai para o jogo com banca de imbatível, mas deve se contentar com um empate, fazendo aquela cera já lustrada no clássico. O time do norte precisa, além de vencer, colocar pelo menos uns dois gols de diferença para sonhar com uma chance no domingo que vem. E é o que acho que vai acontecer. E o choro dos injustiçados e prejudicados pelo regulamento já vai começar no domingo a noite.

- Tudo azul na capital - o jogo contra os índios será difícil, mas nada que assuste os soldados do comandante HM. O time do oeste vem de uma desclassificação na Copa do Brasil, mas não deve se deixar influenciar por isso. Também não acredito em cansaço, pois numa decisão, ainda mais contra time da capital, os caras vão dar tudo que pode. Se a torcida comparecer e apoiar, do começo ao fim, a vitória vai chegar. E no mínimo com dois gols de diferença. A categoria de Cléber Santana vai aparecer e Nunes vai quebrar a maldição. Eu acredito.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Ainda sobre o julgamento de Bruno e Nunes

Não sou jurista e pouco ou quase não entendo das leis dos tribunais esportivos e por isso, a opinião que vou escrever pode até esbarrar em algum regulamento jurídico. Mas tudo bem.

O que eu acho sobre a punição do Nunes e do Bruno que nem amarelo ou vermelho receberam durante o jogo, é que o tribunal interferiu no andamento da partida. O que quero dizer com isto?

Entendo que quando um atleta é punido com o cartão vermelho, o julgamento a que é submetido serve para estabelecer a pena que deve cumprir pela infração cometida e registrada em súmula (o que eu também acho uma besteira, visto as disparidades que existem nas decisões dos tribunais para casos semelhantes). Ou seja, a partir de um fato registrado pelo árbitro, o tribunal determina a punição ao atleta pela violação da regra registrada na súmula.

No caso do Bruno e do Nunes, o processo foi instaurado por iniciativa do procurador (nem vou falar dos 'paladinos da justiça da imprensa'), já que nem durante o jogo e muito menos na súmula houve registro sobre o fato ocorrido. Aliás, ao que parece, nem o referido procurador estava assistindo ao jogo e só acusou os atletas após ser informado do fato pelos paladinos e daí foi assistir ao vídeo da partida.

Com o resultado do julgamento, é como se os auditores tivessem  tivesse voltado no tempo e aplicado um cartão vermelho nos dois jogadores, no lugar do árbitro, isto é, modificaram o andamento da partida.

Acontece que para outros casos, a lógica não é a mesma. Por exemplo, se durante uma partida um time faz um gol, validado pelo juiz, mas que pelas imagens fica claro que estava em impedimento, não adianta levar estas imagens, por mais esclarecedoras que sejam, para o tribunal, que o mesmo não vai mudar o resultado da partida.

Aí você pode dizer que isto não pode ser feito, pois não se sabe como seria o resto da partida. Porém, se um pênalti é marcado no último minuto da partida, posteriormente convertido em gol e depois as imagens mostram que não foi pênalti, também não adianta mostrar as imagens, pois o tribunal não vai mudar o resultado da partida.

Para finalizar, acho que daqui para frente, a gente tem que tentar filmar todos os lances do time adversário, principalmente na Ressacada. Assim, qualquer coisinha que o adversário fizer que viole a regra e que não seja marcada pelo juiz, tendo sido gravado pelas nossas câmeras, deve ser oferecido como denúncia ao tão preocupado procurador.

Vamos transformar o futebol num BBB. Para que disputar uma partida no gramado já que se pode decidir um campeonato no tapete verde dos tribunais? O perigo é que tem um time perto daqui que é imbatível nesta modalidade.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Tem que diminuir o estadual

As campanhas de Brusque e Marcílio Dias mostraram que o campeonato estadual ainda tem muita equipe na disputa. Já foi pior, é verdade, mas 10 equipes ainda é muito, pois as últimas duas normalmente são bem inferiores que as demais.

O campeonato que já é bem disputado, visto que pelo menos 5 equipes sempre começam como candidatas ao título (Avaí, Figueirense, Criciúma, Joinville e Chapecoense), poderia ficar ainda mais emocionante se tivessemos apenas 8 equipes na disputa. E daí poderia rebaixar apenas uma equipe.

É bem verdade que os grandes iam correr algum risco, pois sempre vai ter um Atlético de Ibirama ou um Metropolitano para se enfiar entre eles. Mas é isto é que vai valorizar o campeonato.

Neste ano, o time de Itajaí conseguiu a proeza de marcar apenas um ponto no returno e se não fosse os pontos acumulados no turno, teria feito uma campanha historicamente vexatória para um clube de sua tradição. O aproveitamento do time foi de apenas 13 %, que só não é pior que os desempenhos de Alto Vale (2003), União Timbó (2005-imbatível), Caxias (2006) e Atlético Tubarão (2009), considerando os campeonatos desde 2002.

O Brusque não ficou muito atrás e fez apenas 8 pontos, com um aproveitamento de 15 %, também entre os piores dos últimos 10 anos.

Neste período, os dois últimos do campeonato tiveram os seguintes aproveitamentos:

2002 - Kindermann - 8 pontos em 10 jogos = 27 % e Alto Vale - 10 ptos / 10 jogos = 33 %
2003 - Alto Vale - 2/10 = 7 % e Tiradentes - 10/10 = 33 %
2004 - Lages - 8/10 = 27 % e Tiradentes - 9/10 = 30 %
2005 - União de Timbó - 0/10 = 0 % e Tubarão 5/10 - 17 %
2006 - Caxias - 2/10 = 7 % e Chapecoense - 10/10 = 33 %
2007 - Próspera - 19/22 = 29 % e Joinville - 19/22 = 29 %
2008 - Brusque - 16/22 = 16 % e Juventus - 19/22 - 29 %
2009 - Atlético Tubarão - 5/18 = 9 % e Marcílio Dias = 18/18 = 33 %
2010 - Juventus - 8/18 = 15 % e Chapecoense - 15/18 = 28 %
2011 - Concórdia - 14/18 = 26 % e Imbituba - 15/18 = 28 %

Destes times, Chapecoense, Joinville, Brusque e Marcílio Dias disputaram a primeira divisão neste ano. Atlético Tubarão, Caxias, Concórdia, Imbituba e Juventus vão disputar a divisão especial no segundo semestre. O Próspera vai disputar a divisão de acesso. Kindermann, Alto Vale, Lages, União Timbó, Tubarão e Tiradentes devem estar licenciados.

Um campeonato estadual um pouco mais enxuto seria mais competitivo e precisaria de menos datas.

Eu sei que com o atual comando da federação é difícil acreditar numa mudança, mas fica aí a sugestão.

Tava já decidido

Para o Bruno e o Nunes fazerem em casa:

Marmelada
Ingredientes:

1kg de marmelo limpo
1kg de açúcar
1dl de água

Preparação:

Levar os marmelos cortados em pedaços ao lume com o açúcar e a água. Deixar cozer bem. Quando tudo estiver cozido, reduzir a puré com a varinha mágica, de modo a ficar uma mistura homogénea. Deixar ferver mais um pouco até atingir o ponto de estrada.
Deitar em tacinhas e deixar secar com uma tampa de papel vegetal embebida em aguardente.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Sobre o chororô do regulamento

Vem cá, se o regulamento era tão ridículo, por que eles não falaram nisso antes do campeonato começar? Ou ele só ficou ruim depois que viram que podiam vencer os dois turnos?

O que as gazelas precisam entender é que cada time joga de acordo com o regulamento. Será que o time do oeste, por exemplo, faria apenas 15 pontos no returno se soubesse que de nada adiantaria os 18 pontos que ele fez no turno, ou será que tentaria jogar com tudo para impedir a segunda conquista do parafnusito?

Outra coisa que precisam entender é que com esta fórmula adotada, dos campeões do turno e returno, mais os dois melhores do índice técnico se classificarem para as semifinais, a hipótese do mesmo time ser campeão diretamente ao conquistar o turno e o returno poderia gerar uma outra situação ainda mais esdrúxula, que seria um time precisar perder para se classificar para as semifinais.

Querem saber como? Se na rodada anterior o time do Oeste tivesse vencido o time de Ibirama e o time do sul tivesse vencido o time de Blumenau, sabe o que teria acontecido? Os índios já estariam classificados pelo índice técnico, pois já teriam chegado aos 33 pontos, mas teriam poucas chances de conquistar o returno, pois estariam com 15 pontos, atrás do time do sul que estaria com 18 pontos, e do parafusito com 17. Ou seja, para continuar sonhando com o título e se classificar para as semifinais, era melhor o time do oeste perder na última rodada para os amarelos do sul, entregando o título para do time do sul e daí se classificar pelo índice técnico. Caso contrário, se o time do oeste vencesse esta partida, poderia entregar o título do returno para o parafusito e daí acabar o campeonato.

Aí sim, eu ia chamar o regulamento de ridículo. Ou seja, não é simplesmente incluir esta cláusula, pois a emenda seria pior que o soneto.

Para que a hipótese do campeão do turno e returno conquistar diretamente o campeonato seria necessário que a fórmula previsse que para a final se classificariam apenas os campeões do turno e do returno. Outra maneira seria ter decisões no turno e no returno (ou seja, ninguém seria campeão pela pontuação). Aí poderia incluir a clásula da choradeira.

Mas o que vale mesmo é o que assinaram no início do campeonato. O resto é chororô e medo de amarelar (como já fizeram várias vezes) na hora H.

Balanço da Rodada

A fase de classificação terminou, e os jogos desta última rodada tiveram apenas uma surpresa.

Prometeram espinafre - o marinheiro afogado e morto veio para a terra da fartura motivado por uma dose de espinafre que devem ter prometido para ele e aprontou pra cima dos rapazes do seu Marchetti,  quase saindo da terra da fartura com uma vitória. Com isso, o time de Itajaí ia deixar a lanterna do campeonato para o time dos marrecos. Chegaram a ter 3 gols de vantagem, mas nem com dois jogadores a mais, conseguiram segurar a reação atleticana, que empatou nos acréscimos. Mas isso não foi o suficiente para o time da terra da fartura, que deixou escapar a vaga para a série D. Fizeram o mais difícil que foi vencer no oeste. Não mereciam mesmo, pois dos 7 pontos conquistados pelo marinheiro lanterna, 4 foram dados pelo time do seu Marchetti. Aí é para chorar. O seu Marchetti ainda vai ver se quer participar da Copa Santa Catarina, enquanto o time do Delfim vai esperar para ver se herda a vaga na série do time dos marrecos que ainda estão fazendo vaquinha para participar da competição.

Bailarinas assustadas, mas classificadas - no segundo jogo com prognóstico mais fácil de acertar (o primeiro foi o de Ibirama que todo mundo errou), o time do norte venceu o time dos marrecos, com direito a suspense e drama. O gol do primeiro tempo deveria dar tranquilidade para o time, mas a torcida bailarina acabou com o esmalte das unhas, pois o perigo rondou a área do time do norte durante boa parte do segundo tempo. Só perto do final é que um segundo gol alivou a coelhada, que agora vai disputar as semifinais com o time do parafusito. O time dos marrecos tem direito a disputar a série D, mas não sabe se tem verba pra isso.

Índio não bobeia e mata tigre amarelo - o time do oeste já tinha deixado passar a primeira chance no domingo passado, quando perderam para a turma da terra da fartura, mas dessa vez não deram chance para os amarelos do sul e garantiram a vitória. O time do sul até começou melhor, mas o time verde do oeste foi mais objetivo e marcou primeiro. Os amarelos sentiram o golpe e não conseguiram mais ameaçar a meta adversária, ainda mais depois de levar o segundo gol. O time do supermercado até descontou, mas no final, de penalti, os índios garantiram a vitória e o primeiro lugar no índice geral. Depois de serem eliminados de duas competições na mesma semana, o time do supermercado fecha as portas para balanço e só volta na série B. Já os índios do oeste vão enfrentar o Leão da Ilha, poir uma vaga na final do campeonato.

Apito amigo até quando não vale nada - o condicionamento dos sopradores de apito para ajudar o time do parafusito já está tão automático que até em jogo que não vale nada, a turma da barbilândia é ajudada. Saíram na frente numa falha bizonha do zagueiro do caçula e levaram um empate logo em seguida, num penalti, que existiu. Voltaram a ficar na frente, num penalti, que não existiu e antes de levarem novamente o empate, o apito amigo enxergou um impedimento num lance de gol do time visitante. Elas não sabiam se entregavam o jogo ou se tentavam a vitória, pois em determinado momento do jogo, a combinação do resultado levava a um clássico nas semifinais. Elas ficaram apavoradas com isso. No fim, venceram e agora vão jogar com as bailarinas. Não podia ser um encontro mais perfeito.

Leão passeia de metrô - tirando alguns sustos leves do início do jogo, a partida foi tranquila e o Leão garantiu a vitória e a classificação com tranquilidade, em cima de um adversário que não gosta jogar em casa (na verdade a casa não é deles, pois eles não tem estádio). Depois dos 3x0, o time verde do vale esboçou uma leve reação, que foi imediatamente bloqueada pelo quarto gol azurra. Eles fizeram o segundo, mas pararam por aí. No final, o quinto gol selou a vitória do Leão. O time de Blumenau, mesmo perdendo, conquistou a vaga para a série D, graças ao espinafre enviado para Itajaí. Já o Leão vai enfrentar o sempre perigo time dos índios, para alcançar mais uma final.

Domingo que vem começam as semifinais e tudo pode acontecer.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Classificado

Numa partida muito segura e sem muitos riscos, o Avaí goleou o time de Blumenau e garantiu a classificação para as semifinais, como segundo colocado no índice técnico. Se não fossem as derrotas para este mesmo time de Blumenau no turno e a bizarra derrota para o caçula do campeonato, o Leão poderia ser o primeiro colocado no índice geral e até ter brigado pela conquista do returno. É verdade que com isso, talvez o Ovelha não caísse.

Mas o que interessa é que o Leão chegou e agora só depende dele para ir mais longe.

Em relação ao jogo:

Diego - seguro quando foi exigido.

Cássio - não foi mal, mas acho que a defesa fica mais segura com Renato Santos

Leandro Silva - seguro como sempre, mas fez algumas bobagens na partida.

Arlan - além do gol (que eu achei que ia perder), foi algumas vezes ao ataque. Mas cruzar na cabeça do Nunes, que é bom, nada.

Aélson - muito guerreiro, levou um amarelo por causa da falha do Pirão. Fez a jogada do terceiro gol e esteve bem na partida, mas assim Arlan, não consegue cruzar uma bola certa.

Pirão - falhou várias vezes, errando passe e bolas e marcando errado. Se fez alguma coisa certa, eu não vi.

Diogo Orlando - discreto, fez  partida de sempre. Como o resultado foi bom, tem gente que dessa vez jogou bem. Jogou, na verdade, do mesmo jeito que as outras partidas. Na média.

Robinho - estava meio sumido até que deu um belo passe para o Felipe Alves fazer o primeiro gol. Fez o segundo, mostrando calma e frieza na conclusão. Poderia ter feito o terceiro, mas não concluiu a tempo (mas daí era pedir demais). Caiu de produção no segundo tempo e foi substituido.

Cléber Santana - joga em outro ritmo, diferente do time. Com ele, o time tem mais qualidade e troca mais os passes. Todo mundo procura ele para passar a bola. Mas de concreto, só participou da jogada do quarto gol.

Felipe Alves - fez o primeiro e o terceiro (um golaço), mas se empolga fácil e começa pensar que é craque. Deve ter levado um puxão de orelha do HM pela entregada que deu no segundo tempo, um pouco antes de sair. Pra sua sorte, não saiu gol nesse lance.

Nunes - não fez gol, de novo, mas dessa vez deu um passe açucarado para o Robinho. Deve ficar desesperado vendo os cruzamentos passarem a uns 5 metros de altura. Só com escada para alcançar a bola.

Diego Palhinha - entrou e se movimentou bem. Fez o gol nos acréscimos. Ainda não justificou a titulariedade.

Laércio - entrou e fez umas firulas que o pessoal de Blumenau não gostou e por isso que aconteceu aquela confusão no segundo tempo, que os míopes da TV acharam que era por causa do Nunes (é verdade que ele foi pra cima, mas a origem da confusão foi por causa do Carreirinha). Deixou de fazer um gol, ao ir junto com o Nunes para a bola, num lance que era para se colocar no lado esquerdo da área, onde o grandão cruzou a bola.

Mika - mal tocou na bola.

HM - como dizem os boleiros, está com o time na mão. Espero que continue armando bem o time para as próximas partidas, onde vai encarar um grande desafio.

domingo, 15 de abril de 2012

Previsões para domingo

A última rodada do returno vai apontar os finalistas do catarinense, já que os rebaixados sabemos há muito tempo. Também saberemos se é o time de Blumenau ou o time de Ibirama que vai para a série D, apesar que o time de Blumenau, caso não conquiste o acesso, poderá herdar a vaga do Brusque, se o time dos marrecos desistir da competiçao.

- Vendaval em Ibirama - o time do seu Marchetti vai tentar massacrar o marinheiro afogado e enterrado, para conquistar uma vaga nas semifinais, ou pelo menos, conquistar a vaga da série D. Para isso precisa vencer e torcer pelo Leão. Não deve conseguir os 10 gols necessários, mas mesmo assim deverá estufar a rede adversária várias vezes.

- Brisa leve na capital - o time do parafusito vai jogar com time misto e não sabe se quer conquistar o returno ou fazer uma tramóia para desclassificar o Leão. O caçula do campeonato não tem nada com isso e vai tentar beliscar mais um pontinho. Mesmo com o time se esforçando para perder, a torcida barbie vai comemorar e deve aproveitar, porque vai ser a última taça do ano.

- Chuva em Joinville - a turma do balé vai pressionar o time dos marrecos desde o início, para garantir a vitória que classifica o time do norte para as semifinais, e talvez até o título do returno. Mas como eles costumam amarelar no seu palco, estou desconfiado que os marrecos vão arrancar um empate, para desespero da turma do balé.

- Sol forte no oeste - os índios tiveram uma boa atuação durante a semana, pela Copa do Brasil, contra o time azul de BH e vão pra cima dos amarelos do sul, que ao contrário do time do oeste, foi varrido da competição pelo furacão original. O time verde deve conquistar 3 pontos, garantir a primeira colocação no índice técnico e eliminar o time da terra do carvão.

- Vento sul em Blumenau - será o Leão que vai rugir pra cima do Jacaré do Vale, que não vem se dando bem em casa. Para o Leão, o empate está bom, mas para os verdes do chopp, só a vitória garante alguma coisa. Vai ser jogo sofrido, mas que, assim como em 2009 e 2010, vai ter final feliz azul.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Balanço da Rodada


A rodada do último final de semana teve resultados surpreendentes e o Leão foi um dos beneficiados pelo passeio da zebra pelos gramados catarinenses.

Cachorro morde marujo afogado – o caçula não teve trabalho e tirou uma casquinha do já morto e enterrado marujo de Itajaí, que deve terminar o campeonato com a lanterna na mão e sem conseguir nenhum pontinho no returno. O caçula agora vai fechar sua boa participação no campeonato indo até a capital para tentar fazer um crime no misto quente do parafusito. Já o marinheiro vai fazer sua melancólica despedida na terra da fartura, correndo o risco de levar uma goleada histórica, em virtude do time do seu Marchetti precisar melhorar seu saldo de gols.

Amarelos amarelaram – o time do sul poderia encaminhar a classificação, mas na hora H, amarelaram diante dos verdes de Blumenau, que de quase mortos, ressuscitaram para o campeonato. O craque RC deu novamente o ar de sua graça e meteu mais uma bucha, consolidando sua liderança na artilharia do campeonato. O time da terra do carvão, que dispensou o artilheiro Zé Reclamão Carlos e afastou o goleiro Andrei Marrento, viaja até Curitiba para tentar um milagre contra o Furacão original na Copa do Brasil e depois vai para o oeste, tentar outro milagre, contra os índios. O time de Blumenau recebe o Leão, de olho numa vaga na série D e nas semifinais.

Marreco com brócolis – o time de Brusque até tentou, teve um pênalti a seu favor, mas o apito amigo novamente funcionou a favor do time do parafusito, deixando de marcar mais um pênalti para o time da casa e inventando um a favor das barbies. O time dos marrecos se despede da primeira divisão contra os bailarinos do norte e com certeza vão tentar estragar o roteiro deles, arrancando pelo menos um empate. O time brocolense recebe o caçula, num jogo onde eles podem conquistar a taça que pode ser a última deles no ano.

Índios deixam o cachimbo cair – era para ser a vitória da classificação, mas esqueceram de combinar com os rapazes da terra da fartura, que jogaram muito e conquistaram uma vitória que manteve o time do seu Marchetti vivo na disputa pela vaga na série D e até por uma improvável vaga nas semifinais. O time do oeste ainda tem mais uma chance para garantir a vaga nas semifinais, precisando apenas de um empate, em casa, contra os amarelos do sul. Já o time de Ibirama recebe o marinheiro afogado precisando de uma vitória e com muitos gols.

Em dia de Páscoa, quem deu o chocolate foi o Leão – não foi bem um vareio de bola, mas o domínio na partida inteira foi grande. Se o ataque tivesse um pouquinho de eficiência, era para ser uns 4 só no primeiro tempo. Quando do time do balé, que só queria fazer teatro, resolveu jogar, emparelhou o jogo. No fim, venceu quem veio para jogar. Agora o Leão vai até Blumenau precisando apenas de um empate para se classificar para as semifinais, enquanto o time do norte precisa afogar os marrecos dentro de casa, para também se classificar, podendo até conquistar o returno, dependendo do resultado do jogo da capital.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

As contas de cada um

A calculadora sempre aparece na última rodada, com cada time fazendo suas próprias contas:

- Índios do oeste - é o time com situação mais confortável, pois joga em casa e só precisa de um empate para se classificar. Se vencerem, garantem a primeira vaga pelo índice geral. Se perderem, só se classificam se o time do balé não vencer os marrecos, o time de Ibirama não vencer o marujo afogado e não haver empate entre o Leão e o time de Blumenau. Ou seja, é melhor não perderem de novo em casa.

- Amarelos do sul - não precisam fazer contas ou olhar para os outros jogos, pois só se classificam se vencerem no oeste, independente dos outros resultados. Qualquer outro resultado elimina o time do supermercado. Ah, se o time de Ibirama fizer uma supergoleada no marujo afogado, pode ser que o time do sul não se classifique mesmo vencendo.

- Bailarinos do norte - só se classificam se vencerem os marrecos, independente dos outros resultados. Se empatarem, a única chance de se classificarem é conquistando o returno, se o time do sul não vencer no oeste e o time do parafusito perder do caçula por cinco gols de diferença. Ou seja, é melhor tentar vencer os marrecos para não precisar contar com o impossível.

- Verdes do vale - se classificam se vencerem o Leão. Se empatarem, precisam torcer para que o time do norte não vença os marrecos, nem o time de Ibirama vença o marujo afogado. Se perderem, podem até se classificar, mas precisam que os amarelos do sul, o time do norte e o time de Ibirama não vençam seus jogos.

- Time de Ibirama - só se classifica se vencer o time do marujo e o time do norte não vencer o marreco. Nem vou levar em consideração a hipótese dele vencer a partida por 11 gols de diferença e passar o Leão e os amarelos do sul no saldo de gols.

- Leão - se classifica com um empate em Blumenau, independente dos outros resultados, pois fica na frente do time de Blumenau e na frente de um dos times do confronto do oeste. Esta teoria só falha se o time da terra da fartura golear o marujo afogado por 10 gols de diferença. Se vencer, aí pode até ficar com a primeira vaga do índice técnico, caso os índios não vençam no oeste. Se perder, ainda pode se classificar, mas para isso os amarelos do sul, o time do norte e o time de Ibirama não podem vencer. É melhor jogar para vencer e não precisar contar com os outros.

domingo, 8 de abril de 2012

Venceu o time que queria jogar

O início do jogo foi ótimo, com algumas chances perdidas e o time do norte, que fez cera desde o primeiro minuto, todo recuado. A única chance deles foi num cruzamento em que o grandão se machucou. Pela metade do primeiro tempo, o ritmo foi diminuindo, mas o domínio continuava o mesmo.

Veio o segundo tempo e nada havia mudado. Até que Cléber Santana foi acionado através de um arremesso lateral cobrado por Arlan, chutou cruzado e o goleiro da turma do balé defendeu para o próprio gol.

Aí o time do norte veio para cima, mas o Leão também teve suas chances, a maior delas num cruzamento de Felipe Alves, que Maurício e Aélson não aproveitaram e no rebote Diego Palhinha chutou no travessão.

O Avaí não liquidou o jogo e viu o time do norte crescer na partida. No fim do jogo, mais uma chance avaiana para fechar o placar, mas Cléber Santana desperdiçou mais um pênalti.

O péssimo juiz deu 3 minutos de acréscimo e encerrou a partida, com a vitória avaiana.

O time estava organizado, mas ainda precisa melhorar nos cruzamentos e nas finalizações. Se fosse mais eficiente nisto, seria uns 3x0 já no primeiro tempo.

Agora é ir para Blumenau, sabendo que até um empate classifica o time para as semifinais.

O papel de cada um

Neste domingo de Páscoa, o Leão tem uma tarefa difícil, que é vencer o time do norte, que começou muito mal o campeonato, mas que nas últimas onze partidas, venceu oito, empatou duas e perdeu somente uma (para os índios, por 4x1). Ou seja, não vai ser moleza.

Por outro lado, o Leão vem de uma vitória por goleada contra o marujo afogado e uma grande atuação contra o time do parafusito. O técnico HM pareceu que arrumou a casa, organizando taticamente o time e dando equilíbrio a equipe.

A torcida atendeu aos apelos da diretoria e deve comparecer em grande número a Ressacada. Além dos 1760 heróis do jogo contra o Marcílio, os não sei quantos corajosos que foram até o remendão, a Ressacada dever receber muita gente, pijamas ou não, para assistir a este grande jogo do campeonato.

Espero que todos os avaianos que forem assistir ao jogo, tenham em mente que é preciso incentivar o time desde o começo até o fim. E acima de tudo, ter paciência com os jogadores. Pressionar os jogadores para que em menos de 20 minutos já estejam vencendo de 3x0 não é o melhor a se fazer. O time do norte vem para buscar, pelo menos o empate, e vai amorcegar o jogo desde o começo.

Os jogadores já mostraram no clássico que podem encarar qualquer time. Com o auxílio da torcida, este time pode se tornar imbatível dentro de casa. Mas para isso, a torcida tem que fazer o seu papel, que é incentivar os jogadores, aplaudindo todas as jogadas, mesmo as que darem errado. O atleta só arrisca um chute de longe, um drible, um cruzamento, se sente o apoio da torcida. Se ele sabe que pode errar que vai ser apoiado, ele vai tentar outras vezes até acertar.

Mas se a torcida começa a pegar no pé por causa de um erro, pode ter certeza que ele vai jogar no modo segurança, que é pegar a bola e passar pro cara do lado. Vai ser difícil encontrar alguém para encarar o desafio de tentar uma jogada difícil com o risco de levar uma vaia da torcida.

O papel da torcida é incentivar o time, não importa o placar.

O papel dos jogadores é desempenharem o melhor futebol que puderem, mostrando raça e qualidade.

A combinação destes dois papeis, se realizados da melhor forma, só pode dar um resultado: a vitória avaiana.

Eu vou estar lá e acredito na vitória do meu Avaí.

Vai para cima deles, Leão!

sábado, 7 de abril de 2012

Previsão para o feriadão

Esta penúltima rodada poderá definir algumas vagas, mas acho que vai ficar quase tudo para semana que vem.

Sol e chuva em Camboriú - este jogo aconteceu nesta sexta-feira e era quase óbvio que o cão Boriú ia morder as canelas do marinheiro afogado. Não muda nada, apenas confirma a lanterna para o time de Itajaí.

Tempo quente em Criciúma - os amarelos levaram uma lambada no meio da semana pela Copa do Brasil e vão tentar descontar nos verdes de Blumenau, que estão ladeira abaixo, mas ainda sonham com a vaga na série D, o que podem confirmar se venceram na terra do carvão e o pessoal da terra da fartura não vencerem no oeste. Apesar do favoritismo do time do sul, não vai ter vencedor neste jogo.

Brisa em Brusque - num jogo de desinteressados, o time dos marrecos vai se despedir de sua torcida neste campeonato, com o risco de levar outra assada. O time do brócolis pode garantir a liderança geral em caso de vitória, o que deve conseguir, mesmo que nem se esforce muito.

Sol de rachar em Chapecó - e quem vai fritar os miolos vai ser o pessoal de Ibirama. Os índios vem de duas boas vitórias e devem fazer mais um escalpe no domingo e garantir a vaga para as semifinais pelo índice técnico. Os rapazes do seu Marchetti vão tentar buscar um empate, mas se não der, ainda podem tentar a vaga para a série D na última rodada, em casa, contra o marujo afogado.

Céu azul na capital - o domingo é de Páscoa, mas quem levar um chocolate vai ser o coelho, que perdendo só não vai ficar numa situação desesperadora porque na última rodada recebe o marreco já assado e embrulhado. Ao Leão, só a vitória interessa para manter a esperança de chegar nas semifinais. Parada difícil, mas a vitória vai ser do Leão.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Quem está falando a verdade?

Parece que tem gente que se incomoda quando o clima está bom pelos lados da Ressacada. E olha que o Leão nem está tão bem no campeonato. Acho que a atuação do time no clássico e a mobilização da torcida para encher o estádio no jogo contra a turma do norte deve ter mexido com os brios de algumas cobras espalhadas pela ilha. Devem ter ficado nervosas com o bom clima que estava voltando para o sul da ilha e agora devem estar espumando pela boca de alegria com esta notícia sobre o Narcíso.

Só que o presidente deu uma declaração desmentindo qualquer interesse do Avaí pelo técnico da equipe júnior do Corínthians. Também falou que não há qualquer parceria firmada com algum time.

E agora, em quem acreditar?

Que o Avaí precisa procurar um técnico, não há dúvida, pois se o resultado do clássico não fosse bom, já ia ter gente xingando a diretoria na demora na contratação de um técnico de renome para a série B. Até acredito num bom trabalho do HM, mas vai ser uma aposta e das grandes. Vou torcer para que ele faça um bom resto de campeonato e quiçá, até seja campeão. Só não sei se a torcida vai ter tanta paciência assim, se resultados ruins vieram na série B. Hoje, por causa da atuação no clássico, ele é o cara. E amanhã?

Voltando ao caso Narcíso. Eu também não acho que ele seja um bom nome para o Avaí. Se for para pegar um técnico que nunca treinou um time profissional, que fique com o HM. Outra coisa foi o momento da notícia, totalmente fora de hora, em virtude do jogo decisivo que o time tem no domingo.

O que pode ter acontecido?

Talvez a diretoria esteja de fato tentando estreitar um relacionamento com o Coríntinhias,
mas daí a trazer um técnico e um dirigente, acho que vai uma distância. Acho que alguém lá em São Paulo andou comentando alguma coisa e aí virou um telefone sem fio. Alguem falou demais e como sempre tem um jornalista querendo se aparecer, dando furo de notícias, deu nisso daí.

Porém, se de fato a diretoria estava com estes planos, talvez o vazamento tenha colocado os planos, literalmente por água abaixo. O Zunino não deve ter gostado do que aconteceu e pode melar tudo.

E como vai ficar?

Com esta diretoria, é difícil prever o futuro. Na teoria, o Zunino vai sustentar a história e nenhum negócio vai ser feito. Os fofoqueiros vão dizer que estavam falando a verdade e quem mudou de ideia foi o Zunino. E muitos torcedores vão apoiar... os fofoqueiros.

O que se tira desta história?

Como é que um mal (com L mesmo) falador de microfone pode ser tão mau educado?
Como tem coisas que acontecem no Avaí na hora errada
Como tem gente que gosta de xingar, antes de saber a versão dos dois lados.

Independente da veracidade de uma parte ou de toda a história, o que eu espero que a diretoria não traga nem o Narcíso, muito menos o Marcelinho Paulista para cá.

Se o técnico para série B não for o HM, que traga alguém com experiência e bom currículo.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Sorteio de ingressos x Público Zero

A diretoria distribuiu 5 ingressos para alguns blogs avaianos para serem sorteados entre seus leitores. Nem vou discutir o critério da escolha dos blogs, até porque a única coisa que tenho certeza que este blog não deveria mesmo ser escolhido para isso.

Mas, fiquei curioso em saber qual era a opinião destes seletos blogs avaianos em relação a campanha público zero, deflagrada antes do jogo contra o Marcílio Dias. Talvez hajam outros blogs fazendo a promoção, mas estes foram os blogs que encontrei em minha pesquisa.

Blog dos Avaianos
Temos que nos Unir
Estão querendo adotar uma campanha de público zero na Ressacada, no meu ponto de vista isso não levará a nenhum lugar, quem sairá prejudicado com esse movimento é o nosso Avaí, que no atual momento está precisando muito do nosso apoio. Agora mobilizar para realizar protestos é valido, pois mostra para a nossa diretoria o amor que agente torcedor Avaiano tem por esse clube.

Temos que voltar a realizar o REAGE LEÃO, O  RESSACADA ONFIRE e voltar a comparecer ao estádio, mesmo com esses valores absurdos, pois se depender da nossa diretoria para baixar os preços, nunca mais iremos colocar os pés em nosso templo.

A nossa união nesse momento é muito importante, pois a UNIÃO FAZ A FORÇA.

Dnazul
A Casa é Sua

Eu vou vou o jogo Avaí x Marcílio Dias.
Desde 2010, da minha maneira, eu venho lutando contra o esvaziamento da Ressacada.
Minha postura tem sido defender a torcida para que nos respeitem e valorizem em 'Nossa Casa'. 
E a Ressacada é o nosso lugar, a nossa Casa.
Sei que não está fácil assistir aos jogos do Avaí.
Um dia desses até escrevi que estão nos roubando o desejo, a vontade de torcer.
Muito reclamamos das ações do Clube a partir de 2010. 
Erros administrativos que nos faz colher seus frutos até hoje.
Nós precisamos lutar para permanecer dentro do Clube, da nossa Ressacada.
Entendo todo o tipo de manifestação pacífica por mudanças necessárias e urgentes dos que estão administrando vários setores do Avaí. Entendo e respeito.
Mas a minha posição pessoal é ir aos jogos na Ressacada sempre que posso.
Não vou deixar de ir porque o nosso Avaí está sitiado; porque o nosso Avaí está errando; porque o nosso Avaí está nos machucando, e muito.
Claro que perder os jogos não é o que está nos incomodando.
Eu sei que é a maneira e o, porque de tantas derrotas vergonhosas, que nos faz questionar até se devemos ir aos jogos ou não.
Ora, nós devemos questionar o Clube, exigir mudança no Clube, mas não deixar de fazer o que nos cabe fazer pelo nosso time. Torcer e frequentar o nosso estádio. 
Viver dentro de casa a nossa Paixão.  
Paixão-Amorosa. Isso é torcer. 
Paixão que todos os dias transformamos num sentimento maior, constante e incondicional. 
O amor por nosso Avaí.
Se a "intensão" de 2010 foi nos afastar, não vamos permitir que a vontade de meia dúzia vença. 
Vamos nos impor com a nossa presença; com a nossa torcida; com a nossa indignação; com a vaia, se assim for preciso. 
Vamos nos deixar ver e ouvir na nossa casa e levar o nosso time a buscar vitórias. 
Em todos os times do Avaí, a camisa 12 é nossa!

Blog do Tarnowsky
Nunca abandonamos o time

O avaiano sempre teve orgulho de ser avaiano. No nosso conceito, somos uma torcida diferente, apaixonada, fiel, simpática. Avaiano que é avaiano sabe disso e não se deixa macular pelos atos de uma meia dúzia que se aproveita de uma "fantasia" de torcedor para aprontar barbáries. Temos orgulho de sermos avaianos, de sermos a maior e mais apaixonada torcida de Santa Catarina.
Nossas manifestações de apoio ao time sempre deixaram as outras torcidas boquiabertas, despertando uma certa dor de cotovelo. A mídia, principalmente a local, nunca entendeu como uma torcida poderia enfrentar sol, chuva, frio, calor, horários impróprios, fila para ir, fila para voltar, perder horas antes e depois do jogo, para estar num estádio que não é central...
Além de toda a inconveniência para chegar até o nosso reduto, o avaiano ainda chega com antecedência para confraternizar no entorno da Ressacada, fazendo daquele espaço um local de bom bate papo, democrático, onde até os adversários são bem recebidos. É da nossa essência, da nossa índole.
Tenho observado com certo estranhamento a movimentação em alguns blogs numa espécie de campanha por um público "zero" no jogo de amanhã, na Ressacada, contra o Marcílio Dias.
Não sou de ficar em cima do muro, e nesse caso, sou frontalmente contra. Não seria uma atitude natural de um avaiano. Diga-se de passagem, poucos anos atrás, vi esse mesmo filme, mas na torcida "doladelá"...
Existem duas posições bem claras nisso tudo: a primeira, nunca aprovei a política de preços adotada pela direção do clube, bem como sua forma de agir, nos últimos anos, começando em 2010, e sempre deixei meu posicionamento marcado; a segunda, é querer abandonar nosso lugar, que é no estádio. Posso até não ir ao jogo, mas campanha para que isso aconteça, não vejo sentido.
Aliás, pelo que temos notado, pela campanha pífia, pelo elenco mal montado, pelas limitações da equipe, pela falta de perspectiva por um futuro mais azul e branco, campanha para esvaziar o estádio ainda mais é absolutamente desnecessária. Zunino e seus escolhidos estão fazendo isso por todos nós.


Blog Vento Sul Azul / Elite Azul e Branca / Chuleta Avaiana / Avaixonados

Não se manifestaram sobre o assunto

Nobre Azurra

Público zero com Z de Zunino.
Não sou de convocar torcida para ir ao estádio, torcedor sabe o seu papel e vai aos jogos quem quer, no mais, quem leva público ao estádio é o próprio time e sua campanha durante as competições.
Os torcedores avaianos agora estão promovendo um movimento para ninguém ir a Re$$acada ou quem for não entrar, o chamamento é para o público zero.
Pois bem, não sou de convocar e também não sou de ficar em cima do muro, acho salutar essa atitude de alguns torcedores, é preciso que a torcida avaiana tenha um posicionamento contra tudo que estão fazendo, não é uma simples mudança no comando técnico que vai resolver, quem não aprova esse modelo de gestão que ai está é a hora de mostrar a força que tem o torcedor.
Todo  movimento de protesto desde que seja pacífico e que tenha bem definidos os seus objetivos com certeza terão cada vez mais uma boa representatividade e adeptos. 
Bom dia para quem é de bom dia, boa noite pra quem é de boa noite e estamos conversados.
Público Zero com Z de ZUNINO - Eu Apóio!!! 
 
Assis Azul
A Devida PaciênciaPrezado torcedor, depois de mais uma pataquada da atual equipe, conclamo a nossa querida a torcida a conceder aos jogadores e a "esforçada" diretoria a devida paciência tão solicitada para a torcida, aquela que parece ser a culpada, se é que você me entendem! 
Na próxima quarta-feira não vá ao estádio da Ressacada, tenha paciência torcedor, vamos conceder aos protagonistas deste capítulo negro de nossa história, toda paciência deste mundo, vamos conceder a eles o silêncio dos mortos, o silêncio ensurdecedor do desprezo, quem sabe assim eles nos escutam!
Vamos usar a paciência até quarta-feira, e na quinta colocar o grito de nossa revolta com o estado de coisas pra fora, tá na hora da torcida mostrar um pouco de indignação com o que está acontecendo, o que estamos esperando acontecer?
O campeonato catarinense está acabado para nós avaianos, façamos uma revolução. Não vá ao jogo contra ao Marcílio, vamos mostrar a estes incompetentes que a mesma torcida que coloca 5000 torcedores no treino, também sabe calar e pedir mudanças num silêncio que falará por si só!
Bom domingo em família!

Resistência Avaiana 
Não aceitou fazer a promoção. Também não se manifestou sobre o assunto, mas reproduziu a postagem Protesto: Cadeiras Vazias por Carmen Fuhrmann, do blog Meu Avai.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Agora todo mundo é torcedor apaixonado


O clube anunciou que fará uma promoção de ingressos para o jogo contra o Joinville, reduzindo os preços dos setores B, F e H, oferecendo ingressos para acompanhantes de sócios e chocolate para as crianças.

Parabéns a diretoria pela iniciativa. Precisamos mesmo encher a Ressacada. Tomara que os torcedores aproveitem a promoção.

Mas não posso deixar de fazer um comentário sobre a reação de muitos torcedores que agora estão dizendo que vão estar no domingo, torcendo pelo Leão, que é a sua paixão.

Torcedor é mesmo um vira-lata, uma biruta de aeroporto. Até semana passada havia campanha para não ter público na Ressacada, que a diretoria tinha afastado o torcedor, que o time não merecia a torcida que tem, que isto e que aquilo.

Já teve gente até torcendo por uma derrota do Avaí, achando que só isto mudaria os rumos do time, como única solução para evitar um vexame maior na série B.

Só que depois da boa atuação no clássico e a conquista de um empate depois de estar por dois gols de diferença, a conversa já é outra.

É claro que para este pessoal de opiniões coerentes, a diretoria ainda é uma porcaria e o time ainda é de R$ 1,99.

Mas como o jogo é num domingo à tarde, contra um time grande de Santa Catarina e ainda por cima com promoção de ingressos, aí tudo muda. Agora a paixão pelo time é mais importante que a razão do boicote.

Interessante que não era assim que eles pensavam na quarta à noite, com frio, contra o lanterna do campeonato e sem promoção de ingresso.

Antes que falem, não estou discutindo quem é mais avaiano, sócio ou não, presente ou ausente na quarta passada, chinelo convicto ou outro tipo que exista.

Apenas dizer, que tem muito torcedor que só vai na boa.

Balanço da Rodada

Agora só faltam duas rodadas e só os rebaixados é que estão definidos e que o caçula entrou no limbo, sem perigo de cair e chance de se classificar. Os outros 7 times estão lutando por alguma coisa.

Melancolia em Itajaí - num jogo que não valia nada, além da lanterna, os dois piores times do campeonato se enfrentaram e o menos pior foi o time dos marrecos que venceu o time dos marinheiros. O nível de futebol destes times só mostrou que o campeonato deveria ser disputado por apenas 8 clubes e não 10.

Tigre dança no palco dos coelhos - o time do balé jogou melhor e venceu o time dos amarelos do sul, interrompendo a sequencia de 5 vitórias do time do supermercado. O marrento goleiro amarelo fez boas defesas mas não evitou os gols do bailarinos. O time do norte na próxima rodada vem para a capital defender a liderança, enquanto o time do sul, depois de jogar pela Copa do Brasil no meio da semana, vai receber os verdes de Blumenau.

Verdes do vale amarelaram - o time do craque RC amarelou na hora H. Se tivesse vencido estaria muito próximo das semifinais e praticamente com a vaga da série D assegurada. Como perdeu, vai ter que recuperar os pontos no sul, onde joga na próxima rodada, porque senão, vai disputar a última rodada apenas pela série D, e ainda com o risco de perder a vaga que estava na mão. Já os índios do oeste voltaram a conquistar pontos importantes fora de casa e estão praticamente nas semifinais, através do índice técnico, pois só se perderem as duas próximas partidas, que são dentro da tribo, para não se classificar. O próximo jogo é contra os rapazes de Ibirama, quando podem carimbar o passaporte para as semifinais.

Só termina quando vira - com um gol nos acréscimos, o time do seu Marchetti conseguiu uma vitória que manteve as esperanças de conquistar uma vaga para a série D. Depois de levar o gol do caçula no primeiro tempo, o time da terra da fartura começou o segundo tempo com tudo, marcando o gol de empate no primeiro minuto. Só que a agonia foi até o final, quando Matozinho fez o gol da vitória. Agora o time de Ibirama viaja até o oeste, sonhando em trazer pelo menos um ponto para decidir a vaga para a série D na última rodada. Já o caçula, que já tem o oitavo lugar do campeonato garantido (nem mais, nem menos), vai receber o time do marinheiro afogado.

Elas não conseguem - o time das barbies saiu na frente, num gol ilegal (impedimento), fez o segundo num penalti duvidoso, rebolaram para a torcida e acharam que iam quebrar o tabu de não vencer o Leão há 5 anos no remendão. E a barbilândia acreditou, só que esqueceu que era Primeiro de Abril. O Leão jogava melhor desde o primeiro tempo e com calma, empatou e manteve a escrita e a esperança de classificação. Agora o time do parafusito vai até Brusque afogar o marreco, enquanto o Leão recebe a turma do balé.

A próxima rodada vai ser quente e promete fortes emoções.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Acredite: o Avaí só depende dele

Apesar de ocupar a quarta colocação no returno e a quinta na classificação geral, o Avaí só depende de si para se classificar. A conquista do returno ficou difícil, pois depende de uma grande combinação de resultados.

Já para a classificação pelo índice técnico a conta é simples. Os dois próximos jogos são contra concorrentes diretos (JEC e Metro), e duas vitórias farão o Leão chegar a 32 pontos e se classificar como, provavelmente, segundo melhor no índice técnico, na frente justamente dos times do norte (que poderá fazer no máximo 31) e de Blumenau (que poderá fazer no máximo 29). Poderá também ficar na frente do time do sul e até do time do oeste, mas daí depende dos resultados das outras partidas.

Não será fácil, é claro, pois além de vencer o time do norte em casa, o Leão vai precisar vencer o time do craque RC em Blumenau. Curiosamente, em 2009 e 2010, quando o Avaí foi bicampeão, a classificação para as finais só foi conseguida na última rodada do returno, com vitórias pelo mesmo placar de 2x1 em Blumenau

A matemática se explica pelo seguinte:

O mais provável é que o time do parafusito seja campeão do returno, abrindo três vagas pelo índice técnico. Como já estará na frente dos times do norte e de Blumenau, só sobrarão os times do sul e do oeste para disputar. Terá vaga para todos e o Avaí deverá ficar com a segunda ou terceira colocação, dependendo é claro da pontuação dos times do oeste e do sul.

Mas se o time brocoloense resolver entregar o returno para outro time e perder pontos nas próximas partidas, isto também não vai fazer diferença.

O time do norte, por exemplo, perdendo a próxima na Ressacada, poderá chegar no máximo a 31 pontos na classificação geral, atrás do Avaí. Mesmo que o time da terra do balé seja campeão do returno, ele vai chegar no máximo a 19 pontos no returno, o que significará que o time dos amarelos do sul por sua vez, terá alcançado no máximo os mesmos 19 pontos do time do norte no returno e consequentemente, 31 na geral. Ou seja, atrás do Leão.

Já se o time do sul for campeão do returno, as duas vagas do índice técnico deverão ser do time do Oeste e do Avaí, que estarão a frente dos times da terra do balé e do chopp.

Por fim, o time do oeste, que só pode chegar a 18 pontos no returno, mesmo que consiga ser campeão do returno, não vai atrapalhar os planos do Leão. Se os índios forem campeões do returno, vai significar que os times do norte e do sul também terão feito no máximo estes 18 pontos, e que na classificação geral terão alcançado 30 pontos, ou seja, atrás do Leão.

A conta é simples. O complicado é conseguir estas vitórias. Só que depois do desempenho do clássico, acho que dá para acreditar. Você não acha?

domingo, 1 de abril de 2012

Não vencemos, mas melhoramos

O resultado foi o que eu esperava, apesar que durante o jogo tive o sentimento de derrota, em virtude da grande desvantagem sofrida no início de cada tempo e o sentimento que o Leão poderia vencer o jogo, pela vontade e melhor distribuição em campo.

O jogo mal tinha começado e o time do parafusito fez um gol, em impedimento, num lance realmente difícil para o bandeira marcar. Mas estava impedido. GOL ILEGAL.

O Avaí foi para cima e sem nenhum apavaro, tocou a bola e sufocou o time das letras, que ainda teve mais uma chance com o gordito marrento que girou sozinho na área e chutou para fora. Foi só o que eles fizeram no primeiro tempo.

Do lado avaiano, Pirão chutou para um bate roupa do goleiro deles que Nunes aproveitou para marcar, mas estava em impedimento claro. Robinho ainda teve uma grande chance, chutando meio prensado, mas que o goleiro deles defendeu, a bola bateu na trave e voltou para as mãos dele. Parecia que a noite não seria do Leão.

No resto do primeiro tempo, muita cera, muito cai-cai e muita encenação deles. O Leão teve mais posse de bola e encurralou o Barbiecelona no campo deles. Mas não fez.

No segundo tempo, novamente no começo do jogo, penalti para eles. Foi, mas se fosse do outro lado, tinha minhas dúvidas se seria marcado. Diego quase pegou.

O jogo parecia perdido, porque eu não me lembro a última vez que o Avaí conseguiu empatar um jogo que estivesse perdendo por 2, ainda mais num clássico. Aliás, isso merece uma pesquisa.

Mas o time não se desorganizou e foi pra cima. Numa tabela entre Cléber Santanta, Robinho e Nunes, o twiteiro finalmente marcou o seu gol, numa bola açucarada dada pelo craque que é perseguido pela torcida.

Hemerson de Maria fez algumas substituições, mas o gol de empate saiu num cruzamento de Renato Santos para Cléber Santana, que cabeceou e venceu o arqueiro deles.

Daí para diante, quase ninguém teve chance e o resultado ficou nisto mesmo, com a barbilândia triste por mais uma vez não saber o que é vencer um clássico, lá no remendão, desde 2007.

Para um time que estava perdendo por 2, a nota de partida de todos os jogadores avaianos tem que ser no mínimo 8.

Diego - quase não foi incomodado no jogo, mas talvez poderia ter defendido o primeiro gol, caso não deitasse antes da hora. Do mais, esteve bem.

Zaga - falhou no primeiro gol e quase entregou a rapadura para outros dois gols. Mas Leandro Silva é realmente um bom zagueiro e Renato Santos não é ruim. Cássio e Rafael têm é que ficar no banco mesmo.

Laterais - Arlan parecia um menino assustado e Aélson foi bastante ao ataque, mas nossas jogadas de laterais são inexistentes.

Volantes - Bruno esteve bem e o amarelo que levou foi injusto. Pirão não comprometeu, mas acho que Diogo Orlando é melhor. A diferença é que Pirão vai mais ao ataque e tem um bom chute.

Meias - Cléber Santana é disparado o melhor do time e talvez um dos melhores do campeonato. Mas também errou várias bolas no jogo. No final do jogo, ao invés de cobrar a falta para dentro da área, resolveu rolar para o Bruno, que devolveu a bola para ele, que depois perdeu a bola. Se fosse o Robinho ia ser uma chiadeira só. Falando em Robinho, ele se movimentou bastante e ainda participou do primeiro gol. Não deveria ter saído, pois Diego Palhinha não melhorou o time como se esperava, apesar que já mostrou mais velocidade do que nos outros jogos.

Ataque - Felipe Alves esteve apagado e Nunes tem que combinar com o resto do time como é que faz para jogar com ele. Os cruzamentos na área são horríveis e de cabeça vai ser difícil ele marcar. No chão, o domínio de bola não é seu forte, apesar de não ser ruim. Mas ele precisa melhorar ainda muito. Para sua salvação, fez um gol no clássico, que conta muito. Maurício entrou e fez umas firulas, mas não acrescentou muito. Laércio mal tocou na bola.

Hémerson de Maria - teve coragem e mostrou que sabe do riscado. Não sei se a diretoria pode apostar nele, pois é só vir alguns maus resultados que a torcida esquece tudo.

O time brocolense tem um bom toque de mole, mas está se achando a última bolacha do pacote. Acha que pode vencer o jogo a qualquer. Vai cair do cavalo. Fez cera desde o começo do jogo. O arqueiro invencível deles deveria ter levado um amarelo pela cera que fez durante todo o jogo. Além disso, muito cai-cai e muita encenação. Querem levar o juiz na conversa. E quase conseguiram.

A situação avaiana na tabela não é boa, mas o futebol apresentado nos permite sonhar com a classificação pelo índice técnico.

Previsões para o fim de semana

A rodada já começou com o clássico do rebaixamento, mas ainda tem quatro jogos que valem bastante, com vários confrontos diretos pela classificação.

Chuvas e trovoadas em Itajaí - é o fim melancólico da dupla que esteve dentro do poço negro praticamente todo o campeonato. Eu previa um empate, e sem gols, mas o time dos marrecos conseguiu fazer dois e levar um só do time do marinheiro afogado.

Tempo nublado em Ibirama - numa reedição da final das segundona do ano passado, os dois times que não correm mais risco no campeonato irão fazer uma partida de interesses diferentes. O time do seu Marchetti ainda sonha com a série D e para isso não pode pensar em outra coisa se não a vitória em cima do caçula, que por sua vez, já cumpriu sua meta no campeonato, que era não ser rebaixado. O tricolor da baixada de Copacabana do Sul pode no entanto, tentar estragar os planos da turma da terra da fartura, mas acho que não vai conseguir.

Tempo quente em Blumenau - no clássico verde do catarinense, o time do craque RC recebe os índios do oeste, num confronto direto pela classificação para as semifinais através do critério técnico, pois dificilmente conquistarão o returno. Nenhum resultado garante ou elimina qualquer um dos dois, mas o time de Blumenau não pode nem pensar em empatar, se quer mesmo chegar lá, além de ter cuidado com a sombra do time da terra da fartura, na disputa pela vaga na série D. Já o time do oeste pode ficar satisfeito com um empate, pois vai jogar as próximas em casa. Jogo com cara de empate.

Muita chuva em Joinville - num confronto que já decidiu vários campeonatos, os times do norte e do sul se enfrentam em outro confronto direto pela classificação. O time da terra do balé pode alcançar a liderança em caso de vitória e um empate no clássico. Aliás, se não vencer, vai se complicar para arranjar a vaga depois. Já os amarelos do sul pode dar um bom salto rumo a classificação caso consiga uma vitória, apesar do empate também poder ser considerado um bom resultado para a turma do carvão. Outro jogo com cara de empate.

Céu azul na capital (?) - clássico é clássico e não há resultado provável. Pela campanha e pela situação, o time do parafusito tem um leve vantagem, mas isso pode não ser suficiente num clássico. O único objetivo deles é vencer para acabar com o jejum de quase 5 anos sem saber o que é vitória lá no remendão, pois não estão preocupados com a classificação. Já o Leão sabe que não precisa ter medo de jogar no continente, pois tem se dado bem nas últimas visitas. Pode muito bem surpreender os boca-alugadas e trazer pontos preciosos de lá. Acho que é outro jogo para empate, mas é claro que vou torcer pela vitória azurra.