sábado, 11 de junho de 2011

Empate com sabor de... empate

Foi uma noite quase perdida, mas no final, pelo menos o empate minimizou o desastre que estava para acontecer.

No primeiro tempo, só deu Avaí, até que o time mineiro achou um gol. Não tinha feito quase nada até então. Não que o Avaí estivesse massacrando o adversário ou que tivesse perdido um caminhão de gols, mas tinha muito mais posse de bola e chegou muito mais vezes ao gol adversário.

Então saiu o gol deles e a torcida começou a jogar contra. Tudo bem, a torcida não entra em campo, não dá passe errado, não perde gol. Mas ele atrapalha. E a nossa anda atrapalhando muito. Até o gol do América, não se escutava vaias. Não tinha tanto incentivo, mas a torcida estava apoiando. Então veio o gol e tudo mudou. Parecia que o time estava jogando mal desde o começo do jogo, que estava sendo sufocado pelo adversário, que estava levando um banho de bola. Não era nada disso. Mas a torcida não é muito racional mesmo.

Veio o segundo tempo, vi o time com muita vontade, mas pouca organização. Até que Julinho fez uma jogada, que poderia tentar mais vezes durante a partida, e conseguiu um pênalty que ele mesmo bateu, e bem, e fez o gol de empate.

A gente mal comemorou e o Marcinho Guerreiro, que já não estava bem, fez uma lambança, completada pelo Aleks, que parece que aprendeu a sair do gol com o Renan. Penalty para o time mineiro que o cover do cantor não perdoou. Não bateu bem, mas fez. A torcida até ensaiou vaiar o Guerreiro, mas desistiu em seguida. Menos mal, mas pela lógica desta turma bipolar, deveriam tê-lo vaiado até o final da partida.

O desespero tomou conta do time. Para ajudar, nosso técnico interino fez umas substituições que só ele para entender. O torcedor para ajudar, já vaiava o Robinho antes mesmo dele entrar. O Romano, outro que entrou , se errasse na bola, também levava vaia. Interessante que o craque da galera, Estrada, que para mim, fez uma partida nula, para não dizer péssima, não recebeu uma única vaia.

Acleisson entrou no lugar de Pedro Ken, que por sinal, mostrou que veio para ser titular. Espero que o Fabiano não volte para o time, pois o ex-atleta do Cruzeiro se mostrou muito participativo e deu ótimos passes. Fazia tempo que a gente não via alguém naquele posição com esta eficiência. Espero que ele melhore ainda mais, já que estava há um bom tempo sem jogar e deve ter sentido o ritmo da partida.

No fim, no sufoco, conseguimos empatar, na raça, com Cássio. Ele se redimiu da lambança que fez, ao quase entregar o terceiro gol para o América. Na sequência, quase fizemos o gol da virada, mas o goleiro deles tirou a bola, para desespero da nossa torcida.

Destaque para George Lucas. Fez vários cruzamentos e duas boas cobranças de faltas. Mostrou que sabe bater na bola. Ele só não pode é estar na grade área para finalizar.

Bruno também esteve muito bem, mais no desarme que no apoio.

Fábio Santos não esteve bem, mas achei uma injustiça a vaia sobre ele. Tem futebol e é bem melhor que o Rafael Coelho, que hoje, não fez muita coisa.

Gallo vai ter muito trabalho, mas eu ainda acredito.

Nosso time não é pior que muitos outros da série A. Temos condições de permanecer na elite.

Podem ter certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados