sexta-feira, 22 de julho de 2011

Melhoramos, mas nem tanto

É difícil elogiar um time em mais uma derrota, mas pelo menos hoje vi um time com mais pegada e mais vontade. Do outro lado estava um time difícil de vencer, mas que hoje, era até possível.

Divido o jogo em quatro tempos:

- Primeiro Tempo - jogo muito disputado, sem muitas chances, mas que o Avaí esteve melhor.

- Segundo Tempo até a contusão do Bruno - o time estava sendo pressionado, mas sem muita eficiência pelo time colorado.

- Após a contusão até o segundo gol deles - ficamos expostos e em duas falhas de marcação, eles chegaram e fizeram.

- Do segundo gol até o final do jogo - partimos para cima, ficamos expostos ao contra-ataque, quando eles tiveram mais duas ou três chances e fizeram uma. Tivemos poucas chances, mas pelo menos pressionamos. Não foi aquela maravilha, mas até que não achei tão ruim.

Quantos às atuações

Felipe - fez uma boa defesa e não teve culpa nos três gols

Dirceu - não comprometeu, mas não parece ter tanta qualidade. Chutava para o lado que o nariz estava virado (o que até pode ser uma boa qualidade).

Gustavo Bastos - é guerreiro, mas não conseguiu acompanhar o Leandro Damião no segundo gol. Se tivesse desistido, tinha deixado ele em impedimento.

Romano - se complicou algumas vezes, mas mostrou vontade. A torcida até ensaiou pegar no pé dele.

Arlan - muita vontade e velocidade. Deveria ganhar a vaga do Daniel.

Bruno - o melhor em campo, ajudando muito na marcação.

Batista - mais ou menos. No primeiro gol não acompanhou o Andrezinho.

Cléverson - não esteve novamente bem e está cansando muito rápido. Coloca ele no spa.

Pedro Ken - jogador de mil e um utilidades, mas não pode ser nosso armador. É bom, mas não vai consertar o time.

Willian - está voltando a ser o guerreiro que era. Fez dois para valer um (novamente fomos prejudicados).

Leandrinho - teve pouco tempo para mostrar seu futebol, mas me pareceu que tem bom toque de bola. Talvez possa ser bastante útil para o time.

Robinho - não fez nada. Mas também já não dava para pedir tanto assim para ele. Preferia que tivesse arriscado com o Dinélson.

Rafael Coelho - acho que nem tocou na bola. Se fosse para entrar, tinha que ser antes de levar o gol de empate (agora é fácil falar).

Gallo - no intervalo disse que o jogo seria decidido nas poucas chances que surgiriam e que o time não podia falhar e não podia se arriscar em ir para cima. Acertou nas previsões, mas não teve sucesso nas substituições. Ainda tem crédito.

Ninguém gosta de perder, mas vi um time lutando, melhor do que aquele time apático do Silas que parecia não estar nem aí para o resultado.

Está difícil, mas eu ainda acredito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados