domingo, 23 de outubro de 2011

A esperança continua

Tive uma semana um pouco atribulada e por isso não pude fazer nenhuma postagem. Também não pude ir ao jogo, mas assisti pela tv.

Se o time não foi brilhante, conseguiu o mais importante, que era a vitória. O Botafogo teve um pouco mais de domínio do jogo, mas nada assustador, pois o Avaí também perdeu algumas chances de gol.

Felipe fechou o gol. Acho que é um ótimo goleiro, mas na partida de ontem, as grandes defesas foram no primeiro tempo, nos chutes do Maicossuel e do Herrera (este a queima roupa) e no segundo tempo, na defesa do chute do Renato (no erro do Bruno) e na saída perfeita para tirar a bola do Loco Abreu. Não é pouco, é claro, mas parece até que o time da Estrela Solitária deu um banho de bola e isso não foi verdade.

Estou escrevendo isso, porque tem muita gente da imprensa desmerecendo a vitória do Leão, falando que foi graças ao goleiro. Interessante que quando o goleiro do time deles (sabe qual) evita a derrota, ele é exaltado, mas não se fala mal da defesa deles. Não entendo a lógica.

Voltando a falar do nosso time, elogios para Caçapa, ainda um pouco fora de ritmo, mas com um senso de posicionamento bem melhor que os outros, tirando várias bolas. Gian não esteve muito bem. Pra variar, levamos dois gols e nossa sorte foi que o ataque fez três. Só desse jeito para a gente vencer.

Entretanto, considero que no primeiro gol, a falha foi do Willian, que estando dentro da área para ajudar na marcação, deixou Loco Abreu livre para a primeira cabeçada e depois ficou olhando o uruguaio aproveitar a bola que sobrou para estufar a rede.

Já no segundo gol, novamente a marcação com os olhos e a distância. Cortês cruzou na medida para Loco Abreu que deu um "chega pra lá" no Fernandinho e deu um passe de cabeça para Renato. Gian ficou no meio do caminho, sem saber quem marcar e Caçapa estava atrasado no lance.

Em relação aos nossos gols, elogios ao Fernandinho que levantou a cabeça e cruzou na medida para Robinho, que teve calma e categoria para matar a bola e chutar para o gol. O perseguidinho da torcida fez o gol do empate.

No segundo gol, uma pintura de Cléverson, que se tivesse mais fôlego e vontade, já tinha arrumado um contrato num outro clube, pois futebol ele tem. Esteve bem no primeiro tempo, mas estava apagado no segundo. Não sei se cansou, mas ele também não é este craque todo de deixar no campo, na esperança de que, numa jogada isolada, possa decidir a partida. Menos camarada.

No terceiro gol, deixaram Lincoln livre (acho que um dos poucos momentos do jogo), que carregou e chutou ao gol, obrigando Jefferson a fazer uma grande defesa que sobrou nos pés do Robert. O nosso 99, um dos melhores jogadores que já passaram pela Ressacada, não esteve tão bem no jogo de ontem, talvez pela marcação, pois perdeu muitas bolas e errou vários passes. Mas ele tem muito crédito sobrando, ainda mais que foi dele que partiu a jogada do gol da vitória.

Um detalhe que me chamou atenção no gol, foi que o Robert ficou de olho na defesa, para não entrar em impedimento e assim poder aproveitar o rebote, que ele acreditou que poderia acontecer. Já Willian, não prestou atenção e estava em impedimento, mas para nossa sorte, não teve velocidade para chegar antes do Robert. Nosso camisa 9/100 não esteve bem ontem e praticamente não fez nada.

Neste altura do campeonato, o que interessa é o resultado, pois só temos mais 7 rodadas, e 5 vitórias serão necessárias. Agora é tentar fazer o crime em São Paulo.

Um comentário:

  1. É exatametne isso o que tu disseste. O goleiro doladelá toma pirus homéricos e sempre tem crédito. O que me surpreende é que tem gente da nossa torcida que ainda concorda.

    ResponderExcluir

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados