domingo, 5 de fevereiro de 2012

Há limites para torcer?

Na partida de ontem, como aliás já havia acontecido em outras, um torcedor do setor A, que depois descobri quem era, ficou durante o início do jogo xingando, em especial o Ovelha e o Robinho. Para minha surpresa, vários outros torcedores ficaram irritados com isso e protestaram contra aquele festival de palavrão. Para seu azar, com a vitória de 3x0, aí mesmo que alguns se exaltaram contra o que ele tinha feito no início do jogo.

Cada um tem seu jeito de torcer e não pretendo escrever nada sobre isso. Não me acho mais ou menos torcedor que aquele que fica em silêncio ou que berra o jogo inteiro. Cada um tem o direito de se manifestar, apoiando ou não o time, mas eu não vou escrever sobre isso.

O que eu quero falar é sobre o MEU direito de assistir a uma partida, sem ter que ouvir um monte de palavrão, seja de quem for. Se o torcedor acha que tem o direito de gritar, berrar, falar palavrão, ele também tem que entender que do mesmo modo, há pessoas que não gostam disso e têm o direito de assistir ao jogo sossegado.

Não espero e nem quero que a torcida fique assistindo a torcida em silêncio, como numa partida de tênis, mas também meu ouvido não é penico para ter que aguentar alguém berrando atrás de mim, soltando um palavrão atrás do outro.

Para tudo há limites e para este tipo de manifestação, também. Uma coisa é você soltar um grito aqui e acolá, outra é você ficar berrando sem parar, xingando todo mundo, parecendo até que é torcedor adversário.

Mesmo se tratando de futebol, de paixão, ainda sim, é preciso haver respeito entre as pessoas.

Até mesmo os corneteiros precisam ter bom senso e impor limites às suas manifestações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados