terça-feira, 18 de setembro de 2012

O que dizer agora?

Não costumo criticar a diretoria por antecipação, baseado em boatos que depois não se confirmam. Prefiro aguardos os fatos aconteceram e depois dar minha opinião. Nem tudo está resolvido nesta negociação do Cléber Santana e do Renato Santos, mas já é possível escrever alguma coisa sobre isto tudo.

Independente do acerto ou não do negócio, a diretoria já mostrou que não está pensando no acesso. A diretoria pode até não dizer que desistiu do campeonato, mas pelo menos poderia ser mais transparente. Em 2007, quando a parceria com a LA Sports foi fechada, o próprio Luiz Alberto declarou que naquele ano o objetivo do time era não cair e que somente no ano seguinte é que o time disputaria o acesso com chances. Apesar do berreiro geral, foi o que aconteceu. O ano de 2007 foi de sofrimento e o de 2008 de alegria.

Se o acesso para a série A já estava difícil, deverá ficar ainda mais complicado com a saída do Cléber Santana. Não que ele seja um super craque, até porque nas últimas partidas não tem feito a diferença, mas está num nível bem acima dos demais atletas do elenco avaiano.

O problema não está tanto na saída dele, mas na opção da diretoria em liberar um jogador, que é indicado por todos, não só avaianos, como um jogador de qualidade, que torcedores de vários times, da A e da B, gostariam de tê-lo em seu clube.

Ainda temos chances de subir, mas a esperança está cada vez menor. É impossível vencer as partidas que faltam e conseguir o acesso sem o CS10? Não, mas se com ele já estava difícil, ficar contando com a criatividade de Camilo e Nenê Bonilha para fazer os gols que não vem acontecendo, é quase acreditar em Papai Noel.

É claro que a culpa maior desta lambança é da diretoria, mas o atleta também tem parte em tudo isto. Ele tem todo o direito de mudar de clube, mas estará indo contra a sua palavra, que disse que ficaria no clube até o final do ano. Não adianta querer protegê-lo ou santificá-lo. O futebol apresentado em campo não o imuniza de receber críticas. Falou que ia ficar e não vai. Tem seus motivos para sair? Tudo bem. Chame a imprensa, explique sua situação e aproveite para se despedir da torcida que tanto gosta dele.

Em relação ao Renato Santos, apesar de bom zagueiro, já estava se achando o Baresi. Ele está querendo receber o troféu Belfort Duarte? Podemos até sentir sua falta, mas não é uma reposição tão difícil de se fazer. É claro que contar com o Marcelinho Paulista para isto é pedir demais.

Por último, mesmo que a negociação não aconteça, o clima de desânimo e revolta da torcida já estará estabelecido. A diretoria, que não é bem vista por boa parte da torcida, deu mais motivos para os protestos.

Depois desta, a gente pensa se vale a pena continuar sócio de um clube que não dá bola para o torcedor.

Um comentário:

  1. Agora é esperar os 40% dos direitos federativos do Renato Santos pertencentes ao Avai sejam creditados no caixa do Avai!!
    É ver para crer!!

    ResponderExcluir

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados