segunda-feira, 25 de março de 2013

Vitória na medida certa

É claro que a gente gostaria de ver uma goleada em cima do Moleque Travesso, mas isto ia ter um efeito colateral: esconder as muitas deficiências do time.

Se o time goleasse, o técnico Ricardinho não ia poder chamar a atenção dos zagueiros, que perderam todas as bolas no alto e não por serem baixos, mas por não saberem se colocar na área. Não sei se só o Leandro Silva é suficiente para consertar esta zaga.

Se o resultado fosse uma goleada, a gente ia pensar que o meio de campo estava ótimo. Agora, o técnico vai poder chamar o galego (que apesar de craque não jogou o que sabe), o Jéferson Maranhão (que estava bem), o Ricardinho (que lutou o tempo todo) e o Alê e falar que não pode dar este espaço todo para o adversário. Será que o Higor, que está vindo do Fluminense, pode ajudar a mudar isto?

Se o placar fosse elástico, o Ricardinho não ia poder falar para o Julinho jogar mais e fazer menos pose. Acho que este guri poderia jogar muito mais, mas acho que tá com a cabeça noutro lugar.

Se a rede tivesse balançado só a nosso favor e muitas vezes, o técnico não ia poder chamar o Arlan no canto e dizer para ele treinar cruzamento na área até anoitecer. Fôlego o rapaz tem, mas o pé é muito torto.

O futebol não foi bom, mas o resultado veio na medida certa: 3 pontos necessários, sem esconder os defeitos do time.

O técnico Ricardinho vai ter muito trabalho. Mas é pago pra isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados