terça-feira, 2 de abril de 2013

Reforçando o adversário

A diretoria do Avaí liberou os setores E e F para a torcida do Estreito no clássico do próximo domingo. O setor E é aquela parte coberta que eles já liberaram várias vezes para a torcida adversária.

Por mais que alguém queira defender esta ideia dizendo que aquela parte nunca é preenchida e que é uma maneira de arrecadar dinheiro, eu acho que mais importante do que a parte financeira, é o respeito pela torcida do Avaí.

Aquele espaço é da torcida do Avaí, tanto que no próprio site do clube é oferecido cadeiras para o setor E. Sendo assim, não pode se admitir que a diretoria em determinados jogos coloque torcedores adversários naquele espaço, ainda mais da torcida mais rival que temos.

Pelo que sei, o clube é obrigado a oferecer 10 % da capacidade do estádio para a torcida adversária. Só o setor E tem capacidade para 993 pessoas e o setor F+G+H tem capacidade para mais 3320 pessoas. Ou seja, para não ultrapassar os 1780 lugares, que é o mínimo exigido, o setor F terá que ser reduzido para 800 lugares. Será assim, ou veremos 2000 torcedores alvirosados no estádio?

Eu sei que o jogo é decidido no campo e que a maior ou menor presença da torcida adversária não garante a vitória ou a derrota, mas convenhamos que liberar um número maior de lugares para eles é reforçar o adversário, visto que mais torcedores deles estarão lá, apoiando os jogadores multicoloridos. Para mim, quanto menos torcida adversária, melhor para o time que eu torço.

Por fim,é uma temeridade deixar os torcedores do Estreito ocuparem os lugares do setor E, visto que em cima deles estão camarotes de avaianos e esta combinação normalmente não dá certo.

Em relação a quem pensa que aquele poderia ser um setor misto, quero dizer que apoiaria a ideia se tivesse certeza que lá estariam apenas torcedores da paz que sabem curtir um jogo e sabem brincar com o resultado. Infelizmente, esta espécie é cada vez mais rara no estádio. Num jogo como este, até mesmo aqueles que sabem conviver harmoniosamente com os adversários podem se transformar em torcedores exaltados.

Para que isto acontecesse seria preciso criar uma cultura para ter um espaço misto em todos os jogos, que serviria para que famílias que torcem por times adversários pudessem ver o jogo juntos. Estive uma vez no Maracanã, assistindo a Fluminense e Vasco num setor misto e achei muito legal. Mas aquilo não era uma novidade e além disso, a quantidade de jogos entre os 4 times do Rio é bem maior, além do Maracanã ter espaço de sobra para se poder dar ao luxo de reservar uma parte do estádio para isso. Não é o caso de Florianópolis, que só tem 2 times e da Ressacada, que não é tão grande assim. Sendo assim, sou contra o setor misto.

Por fim, quero dar nota ZERO para a diretoria avaiana por esta ideia. Prefiro ver o setor E vazio, do que ocupado por qualquer torcida, ainda mais dos nossos queridíssimos amigos do Estreito.

Um comentário:

  1. É Paulinho... Apenas mais uma das "boas" ações da diretoria avaiana. Enquanto isso a torcida que se ferre.

    Abs

    ResponderExcluir

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados