quarta-feira, 22 de junho de 2011

LA e as dispensas

A lista de dispensas está dando o que falar. Normal, até porque como li no blog Elite Azul e Branca, nunca existirá unanimidade nesta lista. Outro fato que muitos estão falando é sobre a ausência de jogadores da LA Sports.


Para quem não sabe, são jogadores vinculados a esta empresa, Cássio, Pará, Batista, Bruno, Dinelson, Robinho, William e Fábio Santos. Rafael Coelho e Diogo Orlando pertencem a Energy Sports. Os demais jogadores são vinculados a outros empresários, emprestados por outras equipes ou pertencem ao próprio Avaí.


Quando a LA surgiu no Avaí, o time estava num momento ruim. Suspeitas de todo tipo surgiram e muita gente disse que o Avaí havia virado depósito de jogador refugo da LA. O tempo passou, o Avaí subiu para a série A, foi bicampeão catarinense e o trabalho do Luis Alberto começou a ser reconhecido. Depois de muita pedrada recebida, ele venceu a parada.


Intrigas, ciúmes, vaidades e outras coisas mais afastaram o empresário do dia a dia avaiano. Os jogadores da empresa continuavam no time, mas o empresário já não dava mais tanto palpite. No começo, alguns pensaram que podia ser uma coisa boa, pois poderia ser um sinal de independência do clube. Poucos acharam que o tiro poderia sair pela culatra.


Mas o mundo dá volta. Principalmente para os profetas do passado. Os mesmos que falavam que a diretoria havia terceirizado o departamento de futebol e que acusavam o empresário paranaense de estar enriquecendo em cima do Leão, voltaram a carga, só que agora dizendo que o time ia para o buraco porque a diretoria tinha afastado o cara que mais entendia de contratação. Isto, é claro, depois dos primeiros resultados ruins acontecerem.


Realmente, como diz o Alexandre Aguiar, o torcedor é bipolar. E olha que não estamos falando de jogador, que uma hora faz um gol e vira herói e na partida seguinte erra um passe e vira pereba. Estamos falando de um empresário de futebol, que assim como eu e você, trabalha para ganhar dinheiro. Uma hora o cara é ruim, só manda refugo. Na outra é indispensável para o clube. Vai entender esta turma.


Voltando para as dispensas. É normal que ele (LA), como principal parceiro do Avaí, agora trabalhando junto com o Gallo, Gustavo e Mauro Galvão, esteja junto em todas as decisões. Mesmo ele dizendo que não se envolveu nisto, é natural que a diretoria não ia dispensar, neste momento, jogadores ligados ao empresário.


O que acho que deve acontecer é que alguns jogadores daquela lista deverão receber nova oportunidade, enquanto outros devem ser emprestados para outros times. Imagino que o Luis Alberto já esteja até procurando lugar para eles. Quando conseguir, deve anunciar o empréstimo. Não vai ter essa de dispensar para depois emprestar.


Vamos aguardar os próximos capítulos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados