segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Ainda estás aí, Grasel?


O Sobrenatural de Almeida requisitado pela KK errou o endereço e deu uma passada na Ressacada. Não que o time de Blumenau precisasse dele, porque o time do Avaí em muito colaborou, tanto a defesa, na generosidade do espaço, como o meio e o ataque, na sua completa ineficiência.

O seu Grasel mudou o time, como muitos pediram. Vejamos o resultado.

Trocou Moretto por Aleks - na hora em que soube disso, me lembrei do episódio de 2008, quando Ramirez deu ouvido para a imprensa e trocou Martini por Pizzato, após a perda do primeiro turno, que coincidentemente, caiu no colo do time do parafusito. Resultado? Não deu certo e Martini voltou após três partidas. Moretto falhou em algumas bolas, mas não foi o culpado pelas derrotas do clássico e em Joinville. Foi uma grande bobagem colocá-lo no banco. Aleks, que é bom goleiro, não correspondeu, deu uma de mão de alface no primeiro gol e deu mais alguns sustos na torcida. Prefiro o Moretto.

Menos defensores - Grasel tirou um dos zagueiros e mesmo que Bruno jogasse mais atrás, Diogo Orlando ficava sozinho, marcando no meio, pois Cléber Santana e Cléverson não marcam. Ou seja, tinha um a menos na marcação. Escutei e li muita gente dizendo que o Avaí não podia jogar o catarinense com tanta gente marcando. Grasel escutou e mudou o que não precisava, pois até o clássico, inclusive, a defesa vinha se comportando bem. Esquema bom é esquema que vence. Se a gente estava vencendo com 30 caras para marcar, então tem que jogar assim. Se Leandro Silva tinha sido liberado para o banco, significa que podia jogar. Se podia jogar, tinha que ser titular. A única coisa que concordo, é que Guerreiro tinha mesmo que ficar no banco.

Robinho no banco - essa o Grasel jogou para torcida. E não funcionou, porque Santana e Cléverson não fizeram muito diferente do que Robinho fazia - atenção para o detalhe, sozinho no meio de campo. Na teoria, seria um meio mais criativo, mas não funcionou muito bem. É bem verdade que Robinho entrou no segundo tempo, mas daí a desorganização já estava estabelecida e ficou difícil de ajudar, principalmente depois que se machucou. Aliás, eu nem vi como foi. Nessa eu vou dar um desconto para o Grasel, porque todo mundo estava querendo isso, então todos erraram juntos.

Capixaba no banco - mais uma jogada do Grasel para a torcida. Novamente não posso culpá-lo, pois ninguém mais agüentava o esforçado Capixaba. Nunes, que no primeiro toque na bola em Itajaí deu a ilusão que era o cara certo para o ataque, mostrou ontem que não conhece a regra do impedimento, além de perder um gol na cara do goleiro. Gol que mudaria os rumos da partida. Mas Capixaba teve 8 jogos e Nunes só 4. Vou dar um tempo para o cara mostrar alguma coisa.

Neilson no ataque e Saldanha nem no banco - ou Grasel deve acreditar muito no ex-atacante do oeste ou ex-jogador do Barueri não está mostrando nada nos treinos. Neilson não mostrou nada, além daquele golaço contra o Camboriú. Só isso. Será que Saldanha não é nada do que falaram? Estou curioso.

Gilmar estréia – não dá para avaliar a estréia do atacante, que muitos dizem ser bom de bola. Quando entrou, o time já estava no desespero. Vou esperar pela próxima entrada dele, e espero falar bem.

Grasel na corda bamba – em 2008 a diretoria demorou para mudar o técnico (Ramirez foi dispensado na terceira partida do returno) e Silas não teve tempo para recuperar o time. No ano passado, Benazzi foi dispensado já no final do turno, mas Silas entrou e não deu jeito no time. O que é pior ou melhor? Eu também estou em dúvida, mas só trocaria o Grasel por alguém com gabarito para a série B. Não me venham com M. Goiano, pelo amor de Deus. Já ouvi falar em Silas e espero que seja mentira, apesar de reconhecer sua competência. Só acho que não é o nome certo. Também não tenho sugestões.

Grasel, se ficares, acorda pra vida meu filho e dá um jeito nesse time.

PS: Mauro Grasel é o nome verdadeiro do técnico Mauro Ovelha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados