quinta-feira, 29 de março de 2012

Foi bom, mas foi ruim

Vencer é sempre bom, principalmente de goleada. Não importa se o adversário era fraco. Isto não é problema do Avaí. Jogou os primeiros 45 minutos com vontade, indo pra cima. Teve várias chances e o estreante Felipe Alves mostrou que pode ter vaga no time, marcando três gols.

No segundo tempo, o time mostrou-se muito preguiçoso, irritando demais a torcida. Fez mais três, em lances isolados, de falhas do adversário.

Cléber Santana é realmente um jogador diferente do resto do time avaiano. Fiquei até imaginando o que devia estar passando na cabeça dele, jogando uma partida para pouco menos que 2.000 pessoas, numa noite gelada, contra um adversário horroroso, com os companheiros de equipe que tem. Deve ter pensando: P... m.... Se eu tivesse aproveitado mais as chances no São Paulo eu não tava aqui, tendo que armar jogada pro Nunes e tendo que tabelar com o Robinho. De certo ele via o Arlan fazendo aqueles cruzamentos horríveis e desejeva ir pra casa mais cedo. Mas ficou o jogo inteiro, se movimentou bastante.

Nunes está perdido no ataque, mas vou moderar a crítica porque esperar cruzamento do Arlan e do Aélson é dureza. Ele até perdeu gols, é verdade, mas a maioria das bolas passava longe dele. E não tenha essa de dizer que está mal posicionado na área, pois quem cruza é que tem que procurar o atacante.

Robinho tem que pedir para ir embora do Avaí, pois grande parte da torcida não torce por ele. Parece que os caras ficam contentes quando ele erra um passe, para ter a chance de xingá-lo. Não o acho um craque, mas é melhor que vários outros sem talento do plantel.

Saldanha fez o cruzamento para o primeiro gol, mas é um peladeiro de marca maior. Pode até se destacar em um jogo ou outro por alguma jogada que faça, mas é muito improdutivo.

A defesa jogou com seriedade e Leandro Silva mostrou que realmente é um bom zagueiro. Bruno não comprometeu, mas já fez partidas melhores. Renato Santos fez o básico.

Arlan precisa treinar muito os cruzamentos e Aélson precisa cruzar, o que pouco fez no jogo. Mostrou vontade, é verdade, mas foi pouco.

Diego Palhinha entrou e nos primeiros minutos nem apareceu em campo, de tão lento que estava. Mostrou um pouco de futebol nos minutos finais, quando marcou dois gols. Apesar dos gols, esperava mais dele na criação das jogadas.

Laércio entrou e já estava sendo xingado pelos craques chatolinos do setor A quando marcou um gol. Realmente ele só pode ser opção para banco.

Marrone entrou e quase nem teve tempo para tocar na bola.

E Diego. Como pode levar um gol daquele, meu filho? No primeiro tempo o jogador do time de Itajaí tinha cobrado a falta do mesmo jeito, só que de mais perto. Diego, também estava adiantado e voltou para colocar a bola para escanteio. Não aprendeu e tomou na cabeça. Tem que melhorar, porque no domingo o buraco é mais embaixo.

Aliás, falando em domingo, quando haverá o clássico, as minhas esperanças são pequenas. É possível vencer, dentro do remendão? Sim, é possível, mas não é provável. Ficarei satisfeito com um empate, que ainda manterá o Avaí no páreo.

Para terminar, apesar da atuação não tão boa do time, é duro aguentar as críticas dos boca alugada dos microfones. Quando este mesmo time de Itajaí levou 5 na estréia do campeonato, não escutei os admiradores da boca mole alugada da mídia fazerem qualquer ressalva sobre a qualidade da equipe adversária. Aliás, ao contrário, até disseram que o time grená não ruim, mas era o time do parafusito que era bom. Agora como é com o Avaí, a vitória é enganadora, tinha mais era obrigação de vencer e de goleada, etc. etc. Coisas da mídia alugada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados