segunda-feira, 30 de abril de 2012

Todo mundo acreditava! Será?

O Avaí venceu o índio do oeste e está na final do estadual. Agora a gente vê como a torcida e os blogueiros tinha fé no time, pois a grande maioria acreditava na vitória? Será mesmo?

De minha parte, tenho que dizer que até o jogo da Ressacada tinha bastante esperança. Para o jogo de hoje estava receoso, apesar de saber que o Leão ressurge justamente na hora que ninguém mais acredita. Mas o gol deles no final do primeiro tempo e o futebol apresentado no segundo tempo fizeram com que eu passasse de torcedor para um espectador que esperava qualquer coisa do jogo, mas o que eu menos acreditava era na virada.

Até que saiu o primeiro gol, numa das poucas falhas do time deles e talvez num dos únicos gols que o Avaí fez no campeonato a partir da cobrança de um escanteio. Nada mais improvável.

Aí a coisa mudou de figura. Não porque o Avaí a partir deste momento virou outro time. Nada disso. É porque o time do oeste sentiu que um perigo rondava a área deles. Eles nem tinham se recuperado do gol do empate e sofreram mais um gol, em mais uma falha de uma bola alçada na área. Dois gols totalmente fora das características dos gols que o Avai fez neste campeonato.

O time do oeste foi para cima e deixou a retaguarda aberta para o terceiro do Avaí, que só não fez pela incapacidade "in natura" de nossos atacantes. Mas eles também não tiveram competência de fazer o gol do empate, apesar que nossa defesa não estava tão segura hoje como já esteve em outras ocasiões. Algumas batidas de cabeças entre os zagueiros, mas todos foram salvos no final.

O grande vencedor é sem dúvida Hemerson de Maria, que emocionado ao final do jogo, dedicou a vitória para a família.

O Avaí não fez uma grande partida, mas naquele gramadado horroroso era até difícil que exigir um bom toque de bola. O gol tinha que sair daquele jeito mesmo, porque tabelando é que não ia dar.

Diego esteve bem e a zaga só falhou no primeiro gol, apesar de alguns sustos durante a partida. Leandro e Renato são titulares absolutos. Arlan estava mais preocupado com as costas e Aélson estava fazendo uma boa partida, até sua injusta expulsão.

Pirão não comprometeu, mas não consigo ver esta boa partida que outros dizem que eles fez. Mika foi regular, sem comprometer.
Cléber Santana esteve bem marcado, mas isto não é desculpa para sua pouca mobilidade. Tem os méritos de ter cobrado a falta que resultou no gol da virada. Robinho estava mal, mas o time não melhorou com sua saída, apesar da virada ter acontecido após a entrada de Laércio em seu lugar.

Felipe Alves e Maurício estavam apagados. A desculpa que a bola não chegava deles não pode ser dada, pois o mesmo aconteceu em todo o campeonato e ninguém perdoava o Capixaba, o Neilson e mais recentemente o Nunes.
Patrick entrou e não fez diferença. Fez o gol da virada, é verdade, mas no apoio ao ataque, pouco acrescentou. Capixaba, ao contrário, apesar dos inúmeros impedimentos, se apresentou para o jogo e mostrou vontade. Não tem muita intimidade com a bola, mas pelo menos corria atrás dela (às vezes, na frente). Laércio entrou e mostrou que ainda está verde para este tipo de partida.

A vitória aconteceu pelas falhas do adversário e pelo aproveitamento do Avaí. Foi gol e isso é que vale. Vou entender que o mau futebol foi mais pelo péssimo gramado, do que pelo time.

Agora que o Leão está nas finais, e principalmente pelo regulamento, onde não há vantagem de dois resultados iguais, é possível sim, acreditar no título.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados