sábado, 27 de julho de 2013

Mais do mesmo

Mais uma derrota e a coisa tá ficando cada vez pior. HM não consegue fazer o time jogar o futebol que a gente espera. Não há criatividade e as falhas na defesa estão acabando com os esquemas do técnico (se é que tem).

No primeiro tempo, até levar o gol, achei que a partida estava equilibrada, mas sem muitas chances de cada lado. O meio de campo e o ataque do Avaí parecem que não sabem o que fazer com a bola e criam pouquíssimas chances de gol. Apesar das limitações de Tauã e do individualismo do Márcio Diogo, o problema me parece mesmo na falta de criatividade de CS88 e M10. Não é falta de qualidade, mas é falta de inspiração.

Aí veio o gol, que me pareceu falha de marcação do Leandro Silva. O zagueiro deles sobe sozinho e o nosso zagueiro chega atrasado. O Avaí continuou no mesmo ritmo, ou seja, lento e sem criatividade, mas o time do Oeste também não fazia muita coisa. O contra-ataque no final do segundo tempo matou qualquer chance do time na partida. Defesa desarrumada e lenta para voltar, Alê marcando com os olhos e Diego nem se esforçando para ir na bola.

No segundo tempo, pouca coisa mudou e naquele ritmo, o empate não chegaria nunca. O terceiro gol não refletia a partida, pois o time do Oeste também não fez tudo isto para merecer o placar. Leandro Silva ficou reclamando do juiz ao invés de prestar atenção no atacante que estava atrás deles. Nova falha do zagueiro que até tirou várias bolas, mas reclama muito dos companheiros, como se só os outros fossem culpados pelos erros do time. Ele me lembra uns caras que jogam comigo, que estão sempre reclamando dos outros, mas são os que mais erram.

Para não dizer que tudo foi ruim, gostei do Héracles, que apoiou bem e pode ajudar o time. Luciano, que entrou no segundo tempo também foi uma boa surpresa. Reis entrou com vontade e Diego Jardel fez uma fumacinha.

O negócio tá feio e o clima entre os jogadores não parece muito bom. Não quero jogar lenha na fogueira, mas realmente parece que o grupo não está tão unido como dizem.

Perder em Chapecó é um resultado normal. O que não é normal é o futebol que o Avaí está mostrando.

Faltam 28 partidas, das quais serão 15 na Ressacada e 13 fora. Para chegar aos 71 pontos, que foi a pontuação que o quarto colocado teve no ano passado, o Leão vai precisar fazer 62 pontos, o que significa 17 vitórias e 11 empates. Para cada derrota, uma vitória a mais deve ser acrescida nesta conta. Ou seja, se conseguir vencer todas as partidas que faltam em casa, ainda vai precisar buscar 2 fora e empatar todas as outras.

É desanimador, mas só vou jogar a toalha quando a calculadora não me permitir mais sonhar.

Maria, não desista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com ofensas ou palavrões não serão publicados